Blog do Leonardo Alves - Compromissão com o Leitor!

Justiça Federal determina matrícula de alunos excluídos pela UFMA

Intervenção quer garantir a isonomia do seletivo durante investigações.
MPF-MA considerou exigências da universidade ilegais e abusivas.

Estudantes de Medicina protestam na UFMA (Foto: Flora Dolores/ O Estado)

Estudantes de Medicina protestam na UFMA

 O Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) rematricule os alunos do curso de medicina selecionados por meio do Edital 183/2016 e 184/2016 – Proen, admitidos na universidade para preenchimento de vagas ociosas.

De acordo com o Desembargador Jirair Meguerian, “a medida mais prudente, no momento, enquanto se examina a legalidade do ato da Ufma que impôs exigências diferentes os Editais Proen 183 e 184, ambos de 2016, é a manutenção da matrícula de todos os candidatos aprovados para o Curso de Medicina”.

Para o Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA), autor da denúncia, há dúvidas sobre a validade do seletivo, que deverão ser apuradas no processo judicial. No entanto, a fim de não prejudicar os alunos, foi determinada a readmissão deles, sem prejuízo da apuração da possível irregularidade, na ação que tramita na Justiça Federal do

 De acordo com o Desembargador Jirair Meguerian, “a medida mais prudente, no momento, enquanto se examina a legalidade do ato da Ufma que impôs exigências diferentes os Editais Proen 183 e 184, ambos de 2016, é a manutenção da matrícula de todos os candidatos aprovados para o Curso de Medicina”.

 Para o Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA), autor da denúncia, há dúvidas sobre a validade do seletivo, que deverão ser apuradas no processo judicial. No entanto, a fim de não prejudicar os alunos, foi determinada a readmissão deles, sem prejuízo da apuração da possível irregularidade, na ação que tramita na Justiça Federal do Maranhão.

 Segundo o MPF, a nota divulgada pela Ufma contém informações incorretas. Pela nota, a ação judicial teria sido proposta após os candidatos reprovados apresentarem reclamações. No entanto, a ação judicial foi proposta pelo MPF em 19 de setembro de 2016, antes da divulgação dos resultados. Assim que o edital foi divulgado, o MPF recebeu dezenas de denúncias acerca de regras diferenciadas para a seleção do curso de medicina. O resultado do Processo Seletivo foi publicado em outubro de 2016.

Entenda o caso

 O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) propôs ação civil pública, com pedido de liminar, contra a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) para suspender exigências, que o MPF considera ilegais e abusivas, no processo seletivo de preenchimento de vagas ociosas para o curso de medicina da Ufma.

A ação foi proposta a partir de várias denúncias realizadas por candidatos ao processo, que solicitaram a intervenção do MPF/MA para garantir a isonomia do seletivo.

Segundo o MPF/MA, o processo de vagas ociosas da Ufma iniciou-se a partir de dois editais, um exclusivo para o curso de medicina (Proen nº184/2016) e outro para os demais cursos da universidade (Proen nº183/2016). O seletivo do curso de Medicina estabelecia uma segunda fase, também classificatória e eliminatória, que demonstrava desigualdade em relação aos demais cursos. Essa etapa possuía uma comissão especial e exigia uma carga horária de 75% de cada módulo, diferente dos demais cursos que exigiam apenas 15%.

Após solicitar esclarecimentos à universidade, o MPF/MA obteve como resposta que a resolução do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe/Ufma) conteria a previsão de aproveitamento de estudos realizado por comissão designada pelo colegiado do curso. Na resolução, porém, não há qualquer previsão acerca de comissão especial para processo seletivo de vagas ociosas de qualquer curso e nem sobre preenchimento mínimo de 75% de conteúdo e carga horária para candidatos às vagas para Medicina.

Fonte: G1 MA

CONHECIMENTO À VENDA?

SABER É UMA ATRIBUIÇÃO ADQUIRIDA PELO ESTUDO E IMPOSSÍVEL DE SER COMPRADA. MAS, COM OS PODERES INSTITUÍDOS DO CAPITALISMO, ALIADO ÀS INSTITUIÇÕES MERAMENTE MERCADOLÓGICAS, A SOCIEDADE REPRODUZ A “ILUSÃO DO SABER” . ALGO CORROBADO PELA CRISE DA FAMÍLIA.

 Nos tempos do capitalismo tardio, o sonho pessoal de se formar em um curso universitário se tornou uma possibilidade franqueada a todo indivíduo capaz de pagar a mensalidade de uma instituição de ensino; inúmeras facilidades são oferecidas, de modo a se agregar cada vez mais estudantes nos quadros universitários. Em princípio, tal mudança de paradigmas seria algo culturalmente excelente, pois mais indivíduos poderiam se especializar profissionalmente e assim favorecer o desenvolvimento social. Todavia, grande parte das mudanças de paradigmas acerca da flexibilização do acesso ao ensino superior ocorre por questões meramente mercadológicas, pois corporações empresariais, camufladas socialmente como instituições de ensino, e que fizeram do sistema de ensino um mercado extremamente lucrativo, um grande negócio movimentador da economia atual.

 No mundo pós- moderno, qualquer pessoa agora pode ter seu diploma, desde que possa pagar pela obtenção do mesmo. Tal como destaca com precisão o sublime filósofo e educador Paulo Freire (1921-1997), no contexto dessa realidade educacional norteada pelo primado economicista: “O dinheiro é a medida de todas as coisas, e o lucro, seu objeto principal” .

 O estudante da instituição “comerciária” é tratado como um cliente de empresa que sempre está com a razão, portanto, ele não pode de modo algum ser reprovado pelo professor, caso contrário o estudante -cliente procurará outra instituição universitária para seguir a frágil trajetória acadêmica eivada de resultados intelectuais pifios. Quando ocorre uma reprovação, a culpa é do professor, quando o aluno não compreende o conteúdo da disciplina, a culpa é do professor, e assim sucessivamente, circunstância que evidencia o espírito de ressentimento  estranhado nessa tipologia estudantil. No sistema comercialista de ensino, o professor é vítima constante de assédio moral e pressões institucionais para que possa satisfazer incondicionalmente os caprichos infantis dos alunos,  cada vez mais narcotizados pela infame lógica monetária  do ” pagou, passou” .

CRISE NA EDUCAÇÃO E NA FAMÍLIA .

(Discussão em Marx, Kant e Paulo Freire) .

DESPREZO: Cadê esse governador? Estudantes da Escola Colares Moreira em Codó fazem reivindicações

  Nota-se uma falta completa de infraestrutura para que os alunos possam ter um melhor aprendizado para que os professores possam trabalhar com competência, alguns trabalhadores da educação se sentem prejudicados por não terem condições necessárias para desenvolverem um bom trabalho com a juventude, o que vemos é um total desgoverno e falta de compromisso e respeito com os estudantes. A reivindicação dos alunos é justa, deveria servir de exemplo para outras escolas. O que os alunos querem é só qualidade e estrutura da escola, o que é uma obrigação do estado.

  Os alunos registraram através de fotos a real situação do prédio, entre as principais reivindicações da classe estudantil está a falta de merenda escolar, relataram que “desde o início das aulas nunca sentiram o cheiro da merenda”, os banheiros estão em péssimas condições, tanto o dos alunos quanto o dos professores, o quadro utilizado pelos professores é muito pequeno, a quadra poliesportiva destinada à pratica de Educação Física está em péssimas condições, salas com pouca ventilação e a biblioteca da escola não funciona, somente é aberta quando os alunos pedem um livro e pelo fato do seu desuso muitos livros acabam estragando por causa das goteiras existentes na biblioteca.

  Um líder de turma da escola destacou que “toda a estrutura da escola precisa ser revitalizada, os banheiros estão precisando de reparo nos vasos sanitários, as pias estão quebradas e sem torneira para a higienização das mãos, só há um bebedouro para todos da escola e ainda por cima as torneiras não funcionam como deveriam e não há copos no bebedouro”.

  O Blog foi até a escola para falar com a Diretora Edna, mas não recebeu autorização da mesma para adentrar nas dependências da instituição. A Professora Sônia que estava na sala dos professores disse o seguinte “não vou   me pronunciar porque só trabalho dois dias da semana em sala de aula” talvez relatou isso pelo fato de ser contratada. Os alunos pedem um posicionamento da gestora da Unidade Regional de Educação (URE), entramos em contato e nos informou que “não foi feita chamada pública para a aquisição de merenda escolar”.

Nefroclínica de Codó realizará Programação do II Dia Mundial do Rim

  A Nefroclínica de Codó em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, convida  toda população codoense a prestigiar a programação do II Dia Mundial do Rim.

Dia: 09 de março de 2017
Local: Praça Ferreira Bayma
7:00h – Verificação de Pressão Arterial, Glicemia Capilar, Cálculo de IMC.

Local: Auditório do CRM
14h – Palestra ” A Doença Renal Crônica e suas formas de prevenção e tratamento”
15h – Palestra ” Doença Renal X Obesidade ”
16h – Roda de conversa e Apresentação de Trabalhos Científicos.

Local: Área de Eventos do IHGC – Instituto Histórico e Geográfico de Codó
18:00h – Aulão de Aeróbica com Educadores Físico da Academia da Saúde.

Contamos com sua presença

Capitã Francilene Gonçalves faz homenagem pelo dia da Mulher

Parabéns guerreiras!

Capitã Francilene Gonçalves.

  Neste 8 de março, tenho a honra de parabenizar a todas as mulheres em especial às que trabalham no Sistema de Segurança Pública do nosso município, sejam as policiais militares, as policiais civis, Delegada Maria Tecla, as Guardas Municipais bem como as que fazem parte do corpo administrativo de cada uma dessas repartições imprescindíveis para a manutenção da ordem pública.

Seja na área operacional ou administrativa, nós mulheres conquistamos com muita luta nosso espaço, inquestionável nos dias de hoje.

Com coragem e fibra, sem perder jamais a ternura e feminilidade, as mulheres pouco a pouco foram mudando a imagem de instituições, que antes eram predominantemente ocupadas pelo sexo masculino.

Certamente, estas Instituições e toda a população têm muito a comemorar, pois, além de mães, esposas e filhas, as policiais femininas, guardas municipais, agentes e delegada são construtoras da cidadania e da paz social com direito ao respeito e admiração de todos os codoenses.

Um feliz dia a todas as  mulheres!!!