Blog do Leonardo Alves - Compromissão com o Leitor!

Jovem evangélico que estava desaparecido é encontrado na cidade de Mirador

Paulo Vinicius de Sousa Araújo

O jovem Paulo Vinicius de Sousa Araújo, de 18 anos, foi encontrado na tarde desta segunda-feira (17), na cidade de Mirador, segundo as primeiras informações. Ele estava desaparecido desde quinta-feira (13), quando saia do Centro (Canto da Fabril), por volta das 16h, em direção ao bairro da Alemanha, em São Luís.

Ainda pela manhã, no programa “Comando da Manhã”, na Rádio Timbira, o pai do jovem, Hélcio Costa, que mora em Codó, informou que havia um informação que o jovem tinha pegado uma van com destino à cidade de Mirador.

“Já temos uma pista importante que foi passada à mãe dele, em São Luís. Ele está vivo, isso é o mais importante. Ele teria pegado uma van para Mirador”, disse o pai sem passar maiores informações.

O pai confirmou que o filho, que moravo com os avós maternos, saiu de Codó há dois anos, depois de passar um ano na Igreja Universal da cidade. Em São Luís, ele morava em um alojamentos na Catedral da Universal, no Canto da Fabril. Ele estava em formação para ser pastor, mas já atuava como substituto.

“Ele foi para São Luís contra minha vontade, pois teve que abandonar os estudos. A última vez que o vi foi há três meses quando veio a Codó rapidamente. A Igreja não gosta muito que esses jovens fiquem em contato permanente com a família”, disse o pai do jovem.

A confirmação foi feita pela mãe de Paulo Vinicius, Lídia Araújo, no facebook. “ENCONTRAMOS Paulo Vinicius para honra e Glória do Senhor! Com sua integridade física intacta!”, informou a mãe do rapaz.

Paulo Vinicius estava em preparação para ser pastor da Igreja Universal do Reino de Deus. Em conversa com o blog do John Cutrim, a mãe contou o ocorrido.

“Foi uma situação pequena que aconteceu, coisa de jovem, e pela pouca idade dele e sem a maturidade suficiente, ele não soube lidar com a situação. Mas está tudo bem, graças a Deus, não aconteceu nada com ele”, afirmou Lidia Araujo.

Ela também agradeceu o apoio da igreja. “O pastor está vindo com ele agora de Mirador para São Luís. Agradeço o apoio da Universal, eles deram o maior apoio”, contou.

 blog do John Cutrim

Seminário debate ações de enfrentamento ao Trabalho Escravo no Maranhão

  Uma das metas do Governo do Estado é a erradicação do trabalho escravo no Maranhão. Ações conjuntas das secretarias estaduais de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), de Desenvolvimento Social (Sedes) e da Educação (Seduc), que integram o ‘Plano Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo’, estão sendo realizadas com o objetivo de elaborar estratégias eficazes para alcançar esta meta, em pauta no ‘Seminário Educação e Assistência Social: os desafios no combate ao trabalho escravo’, que acontecerá nos dias 19 e 20 de abril, das 8h30 às 12h, no Auditório do Tribunal de Contas do Estado.

“O compromisso do governador Flávio Dino é o de combater totalmente o trabalho escravo no Maranhão. A Sedihpop tem se empenhado em pensar políticas públicas estruturantes que garantam os direitos destas pessoas a uma vida e trabalho dignos, com perspectiva de futuro. Durante o seminário, vamos debater estratégias específicas para o fortalecimento da rede de enfrentamento ao trabalho escravo a longo prazo”, explicou Francisco Gonçalves, secretário estadual de Direitos Humanos e Participação Popular.

Para execução e planejamento do enfrentamento ao trabalho escravo, o Governo do Estado criou a Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo no Maranhão, instituída em março de 2007, por meio do Decreto nº 22996/2007, formada por órgãos públicos e organizações da sociedade civil. Esta, responsável pela elaboração, em 2012, do II Plano Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo, com três eixos de atuação que direcionam as estratégias de ações: a prevenção, a repressão e a reinserção, no combate ao trabalho escravo.

No primeiro dia do seminário serão discutidas ações de reinserção das pessoas vítimas do trabalho escravo, com a participação de acadêmicos de Serviço Social, profissionais de secretarias municipais de Assistência Social e profissionais dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) dos 22 municípios de maior incidência de trabalho escravo no Maranhão. “O foco será o papel da assistência social nesse processo, com a capacitação dos profissionais que atuam na porta de entrada do atendimento aos trabalhadores resgatados, no caso, os agentes dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas)”, disse a coordenadora de ações para o combate ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo da Sedihpop, Dayana Coelho.

As ações de prevenção serão debatidas no segundo dia do seminário, com foco nas estratégias de educação e orientação de gestores educacionais e técnicos regionais mobilizados pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e representantes de Unidades Regionais de Educação (URE), além dos estudantes. A programação contará com lançamento do vídeo e da publicação impressa com os resultados do projeto ‘Escravo, nem pensar! – formação de gestores de educação do estado do Maranhão’, realizado entre 2015 e 2016 pela ONG Repórter Brasil em parceria com a Secretaria de Estado de Educação do Maranhão e que contou com apoio institucional da Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo no Maranhão (Coetrae-MA) e da Sedihpop.

Convidados
O seminário contará também com a presença dos coordenadores de educação do programa Repórter Brasil, Natália Suzuki e Thiago Casteli, que vão participar da mesa de debate “O papel da assistência social no enfrentamento ao trabalho escravo no Maranhão” e também vão apresentar dados e informações do Programa Escravo Nem Pensar.

Natália Suzuki é jornalista e cientista social pela Universidade de São Paulo e pós-graduada em Direitos Humanos e Intervenção Humanitária pela Universidade de Bolonha (2008). Foi repórter da Agência Carta Maior de Notícias (2006-07); estagiou na United Nations Office on Drugs and Crimes (UNODC) de Viena (2008) na área de comunicação e no projeto contra tráfico de pessoas; trabalhou nas áreas de comunicação e educação de organizações brasileiras da sociedade civil. É mestranda do departamento de Ciência Política da Universidade de São Paulo.

Thiago Casteli é formado em História pela Universidade de São Paulo (USP), atuou como arte-educador no Memorial da América Latina (2007-2009) e como monitor de intercambistas norteamericanos no Council on International Educational Exchange (2009-2010). Foi educador de uma rede de cursinhos populares de São Paulo (2010-2011).

Sobre o Programa
O programa ‘Escravo, nem pensar!’, coordenado pela ONG Repórter Brasil, teve início em 2004, graças a uma parceria com a Secretaria Especial dos Direitos Humanos, da Presidência da República. No Maranhão, foi instalado em 2015, pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e, desde então, já alcançou quase 40 mil estudantes, com foco nos municípios que concentram a maior parte dos trabalhadores maranhenses, que vivem em situação análoga à escravidão. O programa tem voltado as suas atividades para educadores e líderes populares, cujo perfil multiplicador de informação e conhecimento amplia os efeitos de suas ações.

Equipes de educadores das Unidades Regionais de Educação de Açailândia, Balsas, Codó, Imperatriz, Santa Inês, São João dos Patos e São Luís têm sido responsáveis por multiplicar o tema do trabalho escravo em 378 escolas de  76 municípios do Maranhão.

Dados do Trabalho Escravo no Maranhão
O Maranhão, segundo dados do Ministério Trabalho, responde hoje por 23% dos 52 mil trabalhadores resgatados em condições análogas a de escravo em diversos lugares do país, entre 2003 e 2016. Além disso, o Estado é um dos principais no ranking nacional de ocorrência de trabalho escravo, respondendo por cerca de 3.500 libertados em seu território.

Em geral, o perfil dos trabalhadores escravos no Maranhão é de trabalhadores rurais que são explorados em lavouras e latifúndios, em condições análogas à escravidão do período histórico colonial. Nas cidades, também são identificadas pessoas em situação de escravidão, em obras e setor da construção civil.

A Política Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo tem como uma das metas erradicar o trabalho escravo no estado, e mobilizou, para o seminário, 22 municípios de maior incidência de trabalho escravo: Açailândia, Santa Luzia, Pindaré, Bom Jardim, Bom Jesus das Selvas, Peritoró, Buriti, Timbiras, Igarapé do Meio, Monção Balsas, Pastos Bons, Altamira do Maranhão, Vitorino Freire, Codó, Imperatriz, Santa Inês, São João dos Patos, Parnarama, Brejo de Areia, Paço do Lumiar e São Luís.

O Seminário Educação e Assistência Social: os desafios no combate ao trabalho escravo, é uma realização do Governo do Maranhão, por meio das secretarias de Estado de Desenvolvimento Social, Secretaria de Educação e Secretaria dos Direitos Humanos e Participação Popular, em parceria com a Ong Repórter Brasil, a Organização Internacional do Trabalho e a Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo no Maranhão.

Governador Flávio Dino entrega mais seis ambulâncias a municípios do Maranhão

  O governador Flavio Dino realizará, nesta segunda-feira (17), a entrega de mais uma remessa de ambulâncias que deverão reforçar o atendimento da saúde em municípios do Maranhão. Na solenidade, que acontece às 15h30, no Palácio dos Leões, serão mais nove cidades contempladas. Com a disponibilização das ambulâncias, o objetivo do Governo do Estado é contribuir com a reorganização dos serviços municipal de saúde.

  Ao todo já são 43 ambulâncias entregues, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), às Prefeituras. Esta é mais uma parceria entre a gestão Estadual e municipal que vem gerando bons frutos, segundo afirma o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula. “O objetivo do Governo do Estado é ampliar o acesso da população aos serviços públicos de saúde. Com as ambulâncias, os municípios têm condições de transportar os pacientes para o atendimento em unidades adequadas, e, assim, salvar vidas. Essa é uma parceria que tem contribuído para a reorganização de toda a rede de saúde no estado do Maranhão”, enfatizou o secretário de saúde, Carlos Lula.

  Agora, serão beneficiadas as cidades de Viana, Porto Rico, Duque Bacelar, Cândido Mendes, Itapecerica, Carutapera, Codó, São João dos Patos e uma ambulância será entregue ao Hospital Carlos Macieira, na capital. Ao perceber que essa era uma demanda constantes nos municípios, o governador Flavio Dino traçou como meta A entrega dos veículos a todas as 217 prefeituras do estado.

  Com investimento de R$ 160 mil por cada unidade entregue, o equipamento pode ser utilizado como unidade básica ou Unidade de Suporte Avançado (USA). E dispõem de estrutura adequada para o transporte de pacientes e contam com duas macas, duas pranchas, um umidificador, cadeira de rodas, cilindro e bala de transporte para oxigênio.

Municípios contemplados

  Também já foram contempladas com as ambulâncias as prefeituras de Colinas, Barreirinhas, Peritoró, Presidente Dutra, Raposa, Alto Parnaíba, Arame, Benedito Leite, Bom Jesus das Selvas, Central do Maranhão, Governador Nunes Freire, Matinha, Fortaleza dos Nogueiras, Santa Luzia do Tide, Senador La Roque, Tasso Fragoso, Tutóia, Penalva, Santa Luzia do Paruá, Paço do Lumiar, Bom Jardim, Buriti Bravo, Coelho Neto, Formosa da Serra Negra, Paraibano, Presidente Vargas, Santa Inês, Turiaçu, Pedreiras, Mirinzal, São João Batista, São Benedito do Rio Preto, Pio XII e Mirador.

Enem 2016: redações corrigidas já estão disponíveis

De seis milhões de candidatos, apenas 77 alcançaram a nota máxima na redação

Para acessar a avaliação detalhada, o candidato deve acessar Página do Participante no site do Inep

Já estão disponíveis as correções detalhadas das redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016. Para acessar o espelho com a avaliação, disponibilizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o candidato deve acessar a  Página do Participante. No ano passado, foram mais de seis milhões de candidatos e, segundo balanço divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), apenas 77 pessoas tiveram nota 1.000. Por outro lado, 291.806 estudantes tiraram nota 0 ou tiveram a redação anulada.

No espelho, além dos detalhes da correção, os candidatos saberão quanto tiraram em cada uma das competências avaliadas e poderão comparar seu desempenho com o dos demais. As provas são pontuadas de 0 a 1.000, nota que estava disponível desde 18 de janeiro. Agora, os estudantes podem saber como se saíram em cada categoria de avaliação e, pelas regras do exame, sem a possibilidade de recorrer em relação ao resultado.

Fonte: Veja

Igreja Assembleia de Deus realiza o II CONFRAJOVEM

   Igreja Assembleia de Deus realiza o II CONFRAJOVEM

    A Igreja Assembleia de Deus, realizou o II CONFRAJOVEM, com o tema “A Essência do Verdadeiro Cristianismo” entre dias 13 a 15 de Abril de 2017, no templo Central, com a participação de cerca de 450 (quatrocentos e cinquenta) pessoas, evento realizado anualmente que tem como objetivo promover a confraternização da juventude durante o período da semana santa. O evento teve participação de cantores locais e preletores; Max Magalhães de São Luís-MA e  de Kleiton Silva de Picos -PI. Além da programação de cultos, realizaram também gincanas com o intuito de arrecadar alimentos.