Blog do Leonardo Alves - Compromissão com o Leitor!

Estudante da UFMA de Codó está desaparecido- Ajude a encontrar o jovem Antonio Oséas

O estudante da UFMA de Codó, Antonio Oséas Alves Rocha Filho, 27 anos, está desaparecido desde a noite de ontem (25), às 9 horas.
O estudante teria saído para universidade, e desde então não voltou. A família tentou entrar em contato pelo telefone celular do mesmo que não atendeu as ligações. Em entrevista concedida ao blog, Lindonete Diogo Rocha, 28 anos, irmã do jovem desaparecido, informou para nossa equipe que o jovem não tem nenhum problema mental. “Ele não tem nenhum problema, de jeito nenhum”, disse.
Quem souber de alguma informação que ajude a família a encontra-lo, favor entrar em contato pelos telefones (99)9-88019353 ou 981789810

Fundação Ulysses Guimarães debate feminicídio na Assembleia Legislativa

Com a denominação “Sala de Provocações” e o tema “Feminicídio- pelo fim da violência contra a mulher”, a Fundação Ulysses Guimarães, com apoio do deputado estadual Roberto Costa (MDB), promoveu, na tarde desta sexta-feira (25), no auditório Fernando Falcão, da Assembleia Legislativa, amplo debate abordando a questão da violência contra a mulher, capitulado no artigo 5º da Lei Maria da Penha.

De acordo com Roberto Costa, “a Fundação Ulysses Guimarães traz à tona um assunto que é pauta nacional, por conta do elevado índice de violência contra a mulher. Estamos, na realidade, em busca da adoção de políticas públicas que venham estabelecer a redução desses números assustadores”, disse o parlamentar.

Roberto Costa destacou ainda que as mulheres vítimas da violência doméstica devem contar com total apoio do poder público. Disse ele, que geralmente o feminicídio é precedido de uma série de atos violentos, que não são contidos em razão dos mais variados fatores, principalmente em função da mulher ser subjugada pelo companheiro.

Roberto Costa afirma que, por ter sido o relator da CPI de Combate à Violência contra a Mulher, tem conhecimento dos índices da violência contra elas e assegurou que essa é uma questão que destrói lares e que dilacera famílias, em todos os segmentos sociais.

A delegada Kazumi Tanaka, coordenadora de todas as Delegacias de Mulher do Maranhão, apresentou gráficos e exibiu vídeos sobre a violência contra a mulher, fazendo uma abordagem sobre a contextualização do que ela considera quase uma epidemia, no que concerne à violência contra a mulher no Brasil.

A delegada ressaltou que o termo feminicídio foi utilizado pela primeira vez em 1976, em relação ao brutal assassinato de uma mulher. “Quando se mata uma mulher no Brasil, ainda se leva para a questão do crime passional, para lavar a honra, como ocorria no passado. Eles romantizam essa violência exacerbada”, afirmou.

O presidente da Fundação Ulysses Guimarães, professor Wellington Gouveia, disse que a sociedade, de um modo geral, precisa lutar contra esse flagelo, e disse que o Ministério Público de São Paulo mostrou estudo recente, mostrando que 8 mulheres são assassinadas diariamente pelos companheiros no Brasil.

Para Gouveia, o País não pode se calar diante de tanta violência doméstica, destacando ser necessário que se tomem medidas urgentes para que esses números retrocedam. Para ele, esse é um assunto que merece atenção mais acurada do poder público e da sociedade.

Participaram ainda do evento: a assistente social Sílvia Leite, presidente do Conselho Estadual da Mulher; Nildinha Teles, vereadora de Chapadinha e assistente social; Mary Silva Maia, coordenadora do Programa Pacto pela Paz e que representou o secretário de Estado de Direitos Humanos, Francisco Gonçalves; Walber Neto, do Conselho Nacional da Juventude e Paulo Passos, superintendente da Juventude de Rosário.

 

ALEMA

Governo Flávio Dino contribuiu para o aumento de combustíveis no Maranhão

Aumento do ICMS proposto por Flávio Dino (PC do B), pesou na conta dos maranhenses, combustíveis ficaram mais caro.

Os recentes aumentos na alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS, propostos pelo governo Flávio Dino, contribuíram significativamente para o aumento no preço dos combustíveis em todo o estado.

O aumento na alíquota do ICMS foi aprovado por 26 votos a favor e apenas 8 contra, pelos deputados estaduais, em dexembro de 2016,  por meio do Projeto de Lei 223/2016, de autoria do executivo, que aumentou as tarifas de energia elétrica, preços de combustíveis, telefonia e TV por assinatura.

O projeto aprovado passou a vigorar em março de 2017, com o aumento que pesou na conta dos trabalhadores, pais e mães de família maranhenses.

Energia Elétrica

Com o aumento, quem consomia até 500 quilowatts-hora por mês passou a pagar não mais 12% de ICMS, mas 18% (aumento de 6%). E quem consome acima de 500 quilowatts-hora/mês, a alíquota do imposto subiu de 25% para 27%.

Preço dos combustíveis

Com o aumento patrocinado por Flávio Dino e os deputados estaduais, também foram reajustados as alíquotas dos combustíveis passaram de 25% para 26%.

Ontem (25), o que se viu em São Luís foi um verdadeiro ‘pandemônio’, filas intermináveis nos postos de combustíveis, os motoristas abasteceram seus veículos com a gasolina de até R$ 5 / litro.

Filipe Mota