Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Segundo Ibope, Lula lidera intenção de voto entre evangélicos

Lula

Uma nova pesquisa Ibope, encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de São Paulo” e divulgada nesta terça (20), avaliou a intenção de voto para presidente da República em dois cenários distintos. Apesar de estar preso em Curitiba e inelegível, por ter sido condenado em 2ª instância, o nome ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi incluído.

A pesquisa realizada entre os dias 17 e 19 de agosto ouviu 2.002 eleitores em 142 municípios. Ela também foi dividida por sexo, idade, escolaridade, renda, região, religião e raça.

Entre os católicos, Lula lidera com 41% e Jair Bolsonaro vem em seguida, com 15%. Geraldo Alckmin aparece com 6% e Marina Silva tem 5%. Os demais têm percentuais abaixo disso.  Brancos e nulos somam 16% e os que dizem “Não sabe/não respondeu” são 6%

Já entre os evangélicos, Lula aparece com 31% e Jair Bolsonaro com 23%. Marina Silva soma 8% e Geraldo Alckmin tem apenas 5%.  Muito identificado com o segmento, Cabo Daciolo figura com 1%. Entre os entrevistados, brancos e nulos são 15% e “Não sabe/não respondeu” somam 7%.

Contraste

Cerca de um terço da população brasileira é formada por evangélicos. Segundo o Ibope, são pelo menos 27% dos eleitores do país. Historicamente, o segmento tende a apoiar candidatos que se identificam com as bandeiras conservadoras defendidas pela maioria.

No final de julho, o Instituto Idea Big Data propôs, a pedido da revista Veja, fez uma pesquisa eleitoral focada especificamente na intenção de votos entre o público evangélico. O contraste com os números do divulgados pelo Ibope é grande.

Entre os pentecostais, Jair Bolsonaro tem 25% da preferência, Lula tem 24% e a ex-ministra Marina Silva (Rede) – fiel da Assembleia de Deus – 13%. Brancos e nulos são 9% e indecisos, 8.

Junto aos batistas, Bolsonaro tem 28% dos votos, 22% do petista e 13% optam por Geraldo Alckmin (PSDB). Brancos e nulos são 10% e indecisos somam 9%.

Outras vertentes (protestantes históricos, neopentecostais etc) mostram Bolsonaro com 31%, Lula com 26% e Marina, 7%, Ciro Gomes (PDT), com 6%. Brancos e nulos somam 17% e indecisos, 5%.

Os dados divulgados pelo Ideia Big Data têm margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Entre os dias 20 e 23 de julho foram ouvidos 2.036 eleitores, que vivem entre 134 municípios do país.

 

Fonte: Gospel Prime

Alexandre Almeida recebe apoio de Paulo Marinho Júnior e da maioria dos vereadores de Caxias para sua campanha ao Senado

O deputado estadual e candidato a senador pelo PSDB, Alexandre Almeida, segue recebendo fortes apoios políticos por todo o Maranhão. Na noite desta quarta-feira, 22, foi a vez de Caxias, onde o candidato se reuniu e garantiu o apoio político de 10 dos 19 vereadores do município, além do vice-prefeito e candidato a deputado federal, Paulo Marinho Júnior.

A reunião contou com a presença de Paulo Marinho Júnior, candidato a deputado federal, e dos vereadores Magno Magalhães, Paulo Simão, Neto do Sindicato, Durval, Gentil Cantanhede, Ramos, Sargento Moisés, Repórter Puliça e Darlan Almeida. O vereador Luís Carlos, não pode estar presente, mas também está fechado com o grupo no apoio à candidatura de Alexandre Almeida.

Alexandre Almeida classificou como histórica a atitude dos vereadores que declararam apoio à sua candidatura. “Tivemos a oportunidade de unir a força política de Caxias com Timon e com essa união fortalecer essa candidatura
que tem o propósito de trabalhar uma nova consciência na política do Maranhão. Essa região espera a muito tempo por ações e benefícios que possam melhora a vida das pessoas. Nós temos todas as condições para o desenvolvimento dessa região”.

“Essa união de Alexandre e Paulo Marinho Júnior é a união de dois jovens que representam a renovação política no Maranhão e considerando a força eleitoral dos dois municípios, nós temos nessa união um grande fortalecimento das duas candidaturas”, afirmou Alexandre, que destacou também que os apoios recebidos em Caxias representam “um passo muito firme na direção da nossa vitória”.

Além do apoio dos vereadores em Caxias, a quarta-feira foi de destaque para Alexandre Almeida, que também recebeu o apoio do Partido da República (PR) em Timon para a sua campanha eleitoral.

 

Moradores do Bairro Nova Jerusalém recebem Zé Francisco

Na noite de ontem (21), mais de 50 (cinqüenta) moradores se reuniram para receber o candidato à deputado federal Zé Francisco no Bairro Nova Jerusalém.

Zé Francisco expôs aos moradores suas propostas. Internautas de Brasília acompanharam a reunião ao vivo pelas redes sociais.

“Me proponho à ser o novo deputado federal de Codó, porque Codó precisa de um deputado federal para brigar lá em Brasília, para brigar lá em São Luis para trazer recursos para nossa Cidade, investir na educação, investir na saúde, investir na geração de emprego, investir na melhoria das casas populares e nas ruas”, resumiu.

 

Vereador PEDRO SANTOS lamenta ausência de vereadores do prefeito em sessão e diz que a Câmara se tornou um circo

O vereador Pedro Santos (PP), usou sua rede social (Facebook) para lamentar a ausência dos vereadores ligados ao prefeito na sessão ordinária não ocorrida na noite de terça-feira (21).

Vereador: Pedro Santos

Em sua publicação, o parlamentar diz que dói profundamente mais uma vez não ocorrer sessão e assistir de camarote o circo que segundo ele, se tornou a Câmara Municipal.

Os vereadores do prefeito protocolaram um documento ao presidente Expedito Carneiro justificando ausências em razão de uma importante reunião com o governador Flávio Dino em São Luis em busca de benefícios à população codoense.

Roberto Rocha registra plano de governo em cartório

O candidato ao governo do estado pelo PSDB, o senador Roberto Rocha, registrou na tarde de hoje, em cartório, o seu Plano de Governo. O registro foi realizado no Cartório Cantuária de Azevedo, à Rua Djalma Dutra, 84, no beco Catarina Mina, Centro.

Roberto Rocha, chegou ao cartório acompanhado da candidata a vice-governadora, deputada Graça Paz, e dos candidatos ao senado, deputado estadual Alexandre Almeida e deputado federal José Reinaldo.

“É um plano de governo que fazemos questão de registrar em cartório para ser de conhecimento público os nossos compromissos com o Maranhão. O Maranhão pode muito mais, por isso estamos juntos: eu, Graça Paz, Alexandre Almeida e José Reinaldo, representando aqui a chapa majoritária para reafirmar publicamente o nosso compromisso com o Maranhão e com os maranhenses”, frisou Rocha.

 

Fonte: Maranhão Verdade

Padrasto suspeito de estuprar enteada é preso em Caxias

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia Regional de Caxias, em investigação conjunta com a Delegacia Especial da Mulher (DEM), efetuou na segunda-feira (20) a prisão de José Osael Cruz Araújo, de 30 anos.
O mandado de prisão preventiva foi expedido pela juíza da 3ª Vara Criminal de Caxias, Marcela Santana Lobo, em atendimento a representação da Polícia Civil.
José Osael é suspeito de estupro de vulnerável, tendo por vítima sua própria enteada, hoje com 15 anos. Existe suspeita de que ela possa estar grávida, em consequência do estupro.
De acordo com a investigação, os abusos acontecem há mais de um ano, e com ameaças a vítima. José Osael já foi preso por porte ilegal de arma.
Fonte: Neto Weba

Marina atingiu Bolsonaro no seu ponto mais fraco

debate realizado ontem pela Rede TV!, em parceria com a Istoé, com os candidatos elegíveis à Presidência estava caminhando para um desfecho morno, quase chocho, quando, enfim, o formato de ringue proposto pelos organizadores mostrou a que veio.

O clima de passeio no parque dava o tom, e talvez, por isso, Jair Bolsonaro (PSL) escolheu precisamente a única mulher entre eles para fazer uma pergunta sobre um dos seus temas prediletos: o uso de armas de fogo. Só que Marina Silva (Rede) saiu da sua passividade natural, falando abstratamente de “propostas e propósitos”, para dar uma “enquadrada” no capitão da reserva.

Ela queria mesmo era um duelo, daqueles de fim de tarde.

Com a voz elevada e olhando fixamente para um atordoado Bolsonaro, ela fez o que Henrique Meirelles tentou fazer em uma pergunta anterior, mas não tinha conseguido. Questionou Bolsonaro pela sua fala dúbia em um debate anterior sobre o governo não poder interferir no fato da mulher ganhar menos do que o homem na iniciativa privada, e, por tabela, aplicou um duro golpe no seu ponto mais frágil: a relação turbulenta que tem com o eleitorado feminino.

“Só uma pessoa que não sabe o que significa uma mulher ganhar um salário menor do que um homem e ter as mesmas capacidades, a mesma competência e ser a primeira a ser demitida, a última a ser promovida… Tem de se preocupar sim, porque, quando se é presidente da República, tem de se fazer cumprir o artigo quinto da Constituição Federal, que diz que nenhuma mulher deve ser discriminada. Não pode fazer vista grossa dizendo que não precisa se preocupar. Precisa se preocupar, sim. Um presidente da República está lá para combater a injustiça”, ensinou.

Mas o pior para Bolsonaro ainda estava por vir.

Depois de ser atacada por suas posições sobre aborto e descriminalização da maconha, Marina acusou Bolsonaro de tentar resolver tudo “no grito, na violência”. E disparou à queima-roupa, como aquelas mulheres vingadoras do cinema americano: “Nós somos mães, nós educamos os nossos filhos. A coisa que uma mãe mais quer é um filho sendo educado para ser um cidadão de bem. E você fica ensinando para os nossos jovens que têm de resolver coisas na base do grito. Bolsonaro, você é um deputado, é um pai de família. Você um dia desses pegou a mãozinha de uma criança e ensinou como é que se faz para atirar”.

Pronto. O estrago estava feito.

Obviamente, é prematuro qualquer diagnóstico a respeito do que isso pode representar na campanha a partir de agora. Marina sobe? Bolsonaro cai? Só o tempo responderá, mas o fato é que foi aberto um flanco considerável na até então inabalável campanha do candidato do PSL, e, justamente, no eleitorado feminino, o maior do País, onde, sabemos, o papel de “mocinho” já não é dele.

Fonte: NoticiaR7

 

Igreja é arrombada e suspeitos levam até os refrigerantes

A Igreja de Santa Bárbara, no município de Picos, foi arrombada e teve três caixas de som roubadas no último final de semana. “Mais triste que isso, é a falta de respeito com a Igreja, o nosso sacrário, que foi destruído. Deus tem piedade de nós”, diz a secretária da Paróquia de São Francisco de Assis, Cláudia Sousa. 

Cláudia relatou que a Igreja de Santa Bárbara está localizada no bairro Parque de Exposição,  em uma região humilde do município. 

“Reviraram tudo. Mexeram em todo o sacrário, que era de madeira. As hóstias ficaram espalhadas pelo chão. Quem fez isso deveria pensar que tinha dinheiro lá dentro. O sacrário ficou todo amassado; foi triste”, comentou Cláudia, acrescentando que a paróquia também já foi alvo da criminalidade da região. 

As irmãs da Igreja acreditam que mais de uma pessoa participou da ação. “Não temos ideia de quem possa ter feito isso, mas deve ter sido mais de um. Registramos um Boletim de Ocorrência e agora precisamos encontrar uma maneira de reforçar a segurança”, além de pedir o apoio da Polícia Militar na região, comentou a irmã Nayra. 

Cozinha

Além das caixas de som, os suspeitos levaram um botijão de gás e os refrigerantes que estavam na geladeira. O sacrário foi localizado na cozinha. 

“Nós moramos ao lado da igreja, mas não estávamos em casa no dia, participávamos de um encontro. As pessoas que fizeram isso serraram uma grade que dá acesso ao salão, depois arrombaram uma janela para entrar na Igreja e uma porta que dá acesso à sala onde está o sacrário. Elas não tinham conhecimento do que ele é, pensaram que fosse um cofre, e a chave estava ao lado, dentro de uma vasilha. Pegaram uma faca de cozinha e ‘acabaram’ com o fundo dele.  Só viram as hóstia e derramaram”, conta a irmã sobre o ocorrido.

“Toda a igreja estava revirada. E isso não foi a primeira vez. Já levaram o nosso sino, algumas cadeiras já sumiram, infelizmente está sendo recorrente, mas agora foi pior porque arrombaram janela, porta e grades. Eles tentaram levar a mesa de som, mas não conseguiram”, lamenta Nayra. 

O festejo de Santa Bárbara está previsto para ocorrer de 23 de novembro a 4 de dezembro, e as caixas de som são importantes para o evento. As irmãs pedem que os interessados em ajudar a Igreja entrem em contato.

 

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

ELEIÇÕES 2018: 75% dos deputados federais devem se reeleger

Estudo do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) mostra que 79% dos 513 deputados federais tentarão a reeleição em outubro. Projeção da entidade aponta que 75% deles devem se reeleger. O levantamento foi feito após o registro das candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com o Diap, o número de candidatos à reeleição (407) na Câmara ficou um pouco abaixo da média dos últimos sete pleitos (408), porém maior que na eleição de 2014, quando 387 tentaram renovar seus mandatos.

Dos 106 que não vão se recandidatar para a Câmara, 31 não vão concorrer a nenhum cargo neste pleito e 75 disputam outros cargos. Destes, 40 concorrem ao Senado; 11 são candidatos a vice-governador; nove disputam o governo do estado; sete tentam vaga de deputado estadual; seis são suplentes de candidatos ao Senado; e dois são candidatos à Presidência da República.

Na avaliação do analista político Neuriberg Dias, um dos autores do levantamento, a expectativa e o sentimento da população por renovação na Casa serão “frustrados”neste pleito.

Segundo Neuriberg Dias, o alto índice dos que vão tentar novo mandato com a continuidade dos grupos políticos (bancada rural, empresarial, evangélica, da bala e de parentes) que já estão no poder traz o risco de que a próxima composição da Câmara seja mais conservadora que a atual. “O perfil do Congresso Nacional será mantido. Esses grupos detêm muitos seguidores e pode ter até retrocesso”, disse o analista político.

Além de emendas parlamentares, os que estão se recandidatando têm outras vantagens em relação a um novo candidato: nome e número conhecidos, bases eleitorais consolidadas, cabos eleitorais fiéis, acesso mais fácil aos veículos de comunicação, estrutura de campanha, com gabinete e pessoal à disposição, em Brasília e no estado. 

O levantamento também indica que as mudanças na legislação que reduziram o tempo de campanha de 90 para 45 dias e do período eleitoral gratuito de 45 para 35 dias são outros dos motivos para a baixa renovação da Câmara.

“As mudanças na legislação eleitoral com a criação do fundo eleitoral e a janela partidária (período no qual foi permitida a troca de partido sem perda de mandato) permitiram aos deputados e senadores negociarem melhores condições na disputa da reeleição, como prioridade no horário eleitoral e na destinação dos recursos do fundo eleitoral”, avalia o Diap.

 

Fonte: Agência Brasil