Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Bolsonaro quer doar milhões da “sobra de campanha” para a Santa Casa; TSE proíbe

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, usou o Twitter nesta terça-feira (30), para anunciar que fará uma vultuosa doação para a Santa Casa de Juiz de Fora (MG). Sua campanha teve um custou total de R$ 1.721.537 e as doações de pessoas física declaradas à Justiça Eleitoral pelo PSL totalizam R$ 3,7 milhões por meio de “vaquinhas virtuais”. Sendo assim, ficou um saldo de pelo menos 2 milhões.

Bolsonaro doará essa “sobra” para o hospital beneficente onde foi operado após ser vítima de um ataque a faca, no dia 6 de setembro. O político disse estar confiante que as pessoas que fizeram as doações “estarão de acordo” com sua decisão.

O prazo de prestação de contas de campanha encerra em 17 de novembro. Por isso, os valores ainda não são oficiais. Horas depois da declaração de Bolsonaro, o TSE disse que isso não é possível. O Tribunal informou em nota que “a legislação eleitoral não permite a doação, uma vez que as sobras de campanha devem retornar ao partido e o comprovante de transferência deve ser enviado junto com a prestação de contas à Justiça Eleitoral”.

A repercussão do anúncio de doação do presidente nas redes sociais foi positiva, com muitos usuários expressando admiração pelo gesto incomum em um país onde os políticos com frequência viram notícia por tirar dinheiro e não doá-lo.

A campanha do PSL optou por abrir mão do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, dinheiro do contribuinte e custou 20 vezes menos que a de Fernando Haddad (PT), que declarou ter gasto R$ 34.400.867. A mais cara do primeiro turno foi a de Henrique Meirelles (MDB) que destinou R$ 57.030.000 para as eleições.

Santa Casa passa por dificuldades

A Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora foi responsável pelo primeiro atendimento a Bolsonaro após o golpe desferido por Adelio Bispo de Oliveira durante o comício na cidade.

A instituição é uma das muitas entidades filantrópicas do país que passa por dificuldades financeiras. Tendo completado 164 anos 30 dias antes de receber o então presidenciável, ela convive com prejuízos relacionados a repasses do SUS que ultrapassam R$ 27 milhões, segundo levantamentos de 2017.

Seu maior problema é a defasagem da tabela de repasses do Sistema Único de Saúde (SUS). Mais de 70% dos atendimentos realizados pelo hospital no ano passado foram destinados a pacientes do SUS.

O tratamento oferecido a Bolsonaro, que ocupou um dos 523 leitos da casa antes de ser transferido para São Paulo, também foi pelo sistema público.

 

Gospel Prime

Estudante da UFMA que falou em ‘caça aos viadinhos’ pode ser processado

Publicações do estudante da Universidade Federal do Maranhão, Marcos Silveira, têm repercutido nas redes sociais por citar ‘caça aos viadinhos’, ‘atirar na cabeça’, além de exaltar Carlos Brilhante Ustra, o brasileiro declarado pela Justiça torturador durante o período da ditadura militar.

Nesta segunda-feira (29) o estudante apagou as mensagens, pediu desculpas e disse estar profundamente arrependido. (Veja mensagem completa no final da matéria).

Marcos é de São Luís e aluno do curso de Química Industrial da UFMA. Em uma das postagens, Marcos diz que está ‘liberada a caça legal aos viadinhos’ e que ‘não vale atirar na cabeça’. Em outra, diz que ‘é hora de entregar os esquerditas ao Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) e cita o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.

Em postagem em uma rede social, Marcos diz que está valendo a 'caça legal aos viadinhos' — Foto: Reprodução/FacebookEm postagem em uma rede social, Marcos diz que está valendo a 'caça legal aos viadinhos' — Foto: Reprodução/Facebook

Em postagem em uma rede social, Marcos diz que está valendo a ‘caça legal aos viadinhos’ — Foto: Reprodução/Facebook

Em postagem, Marcos cita o coronel Ustra e também fala um palavrão — Foto: DivulgaçãoEm postagem, Marcos cita o coronel Ustra e também fala um palavrão — Foto: Divulgação

Em postagem, Marcos cita o coronel Ustra e também fala um palavrão — Foto: Divulgação

Nota dos alunos do curso de Química Industrial da UFMA contra as declarações do aluno Marcos Silveira — Foto: DivulgaçãoNota dos alunos do curso de Química Industrial da UFMA contra as declarações do aluno Marcos Silveira — Foto: Divulgação

Nota dos alunos do curso de Química Industrial da UFMA contra as declarações do aluno Marcos Silveira — Foto: Divulgação

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão, Rafael Silva, declarou que as postagens de Marcos são de incitação à violência, passíveis de processo por parte das mulheres e de comunidades LGBT.

“Existe possibilidade de enquadramento penal, por exemplo, de incitação ao crime. Pode haver também ações no âmbito do direito civil. Dentro de uma ação de reparação por danos morais movidas, por exemplo, por uma organização LGBT, feminista ou de direitos humanos, ele pode ser impedido de fazer manifestações desse tipo sob pena de multa. As desculpas podem atenuar, mas não mitiga completamente o que foi feito. Isso precisa ser analisado dentro de cada processo ” disse Rafael Silva.

Rafael Silva também disse que o caso já chegou ao Observatório da Intolerância Política, que é um canal para denúncias de diversos tipos de violência, como casos de intolerância e radicalismos. As denúncias podem ser enviadas por meio de um formulário eletrônico.

Em nota, a Universidade Federal do Maranhão afirmou que tomou conhecimento do fato e que vai apurar com rigor o caso, considerando a gravidade do que foi dito.

“Na manhã do dia 29 de outubro de 2018, a Universidade Federal do Maranhão tomou conhecimento de manifestações preconceituosas, investidas de intimidação, ódio e defesa de eliminação de minorias por parte de um estudante da Instituição em sua rede social. A UFMA, alicerçada na Resolução Normativa nº 238-CONSUN, de 1º de julho de 2015, promoverá a apuração rigorosa dos fatos, considerando a gravidade das declarações. A UFMA reforça, fiel à sua história de 52 anos, sua incondicional defesa da democracia, acolhendo e respeitando os diferentes pontos de vista, mas se posicionando em colisão frontal com a agressão, seja ela física, simbólica ― verbal ou não verbal.Na democracia, todo cidadão tem o direito à liberdade de expressão, manifestação e opinião, sem perder de vista que a publicização de certas opiniões que ferem a dignidade humana é incompatível com o Estado Democrático de Direito. Pela premente necessidade de um país melhor e mais habitável, a UFMA reitera seu repúdio, contundentemente, às postagens que fomentem o ódio, o solapamento do outro e o desrespeito aos diferentes segmentos sociais”

Após a repercussão das declarações nas redes sociais, Marcos Silveira pediu desculpas pelas postagens. O G1 entrou em contato com o estudante, que pediu desculpas e explicou que tudo havia começado com uma brincadeira entre amigos.

“Primeiramente, meus mais sinceros pedidos de desculpas com toda a comunidade LGBTq da UFMA, amigos e professores. Dizer também, que não passou de um giga postagem de mal gosto, fora de hora e sem nexo, pois tudo havia começado com uma brincadeira entre amigos de ruas, mas tomou proporções inimagináveis. Sobre as declarações dos alunos, muito me espanta pois não tenho contato com quase nenhum deles (até porque estou no fim da segunda graduação) e os poucos que mantenho contato, sou bastante cordial e respeitoso. Já emiti duas notas na minha rede social onde exponho meu total repúdio as coisas que disse. Tal comportamento jamais se repetirá até porque sou professor no interior e tenho uma carreira a zelar. No mais, o meus mais sinceros pedidos de desculpas com a comunidade acadêmica”, contou o estudante.

Já pelas redes sociais, o Marcos Silveira disse ainda que as declarações foram infelizes e impensadas.

Marcos Silveira pediu desculpas pelas declarações após a repercussão nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes SociaisMarcos Silveira pediu desculpas pelas declarações após a repercussão nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Marcos Silveira pediu desculpas pelas declarações após a repercussão nas redes sociais — Foto: Reprodução/Redes Sociais

G1

“Escravo nem pensar!” mobiliza estudantes e professores de mais de 290 escolas no Maranhão

Estudantes de 295 escolas em 78 municípios em diversas regiões do estado mobilizaram seus bairros e comunidades contra o trabalho escravo nos últimos dois anos no Maranhão. O resultado foi apresentado por técnicos e gestores regionais de educação durante o III Encontro Formativo Projeto ‘Escravo, Nem Pensar!’.

Além dos números da ação, os participantes também apresentaram as atividades desenvolvidas pelos estudantes, que com palestras, passeatas, feiras de conhecimento nas escolas, capacitaram a si e à comunidade quanto aos riscos do trabalho análogo à escravidão.

De acordo com dados divulgados em 2017, pelo Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT- MA), o estado é o primeiro no ranking nacional de fornecimento de mão de obra escrava do país. Ainda segundo o órgão, de 2003 a 2017 mais de 8 mil maranhenses foram resgatados de situação análoga à escravidão em outras regiões.

Para a gestora da Unidade Regional de Educação (URE) de Bacabal, Guilhermina Aguiar, levar o projeto para todas as regiões do estado foi fundamental para a prevenção do problema.

“A receptividade ao programa foi muito boa porque afeta uma questão que tem relação com a vida deles, que afeta os nossos alunos, há os que evadem da escola para trabalhar em outros estados, e esse programa vai ajudar os jovens a saberem selecionar e reconhecerem quando é armadilha uma promessa de emprego”, disse a professora.

Expansão

Coordenadora do projeto na Secretaria de Educação, Ana Santos, destaca a rede de informação e prevenção no Maranhão. (Foto: Carlos Pereira)

Coordenadora do projeto na Secretaria de Educação, Ana Santos, explicou que essa foi a segunda edição do ‘Escravo, Nem Pensar!’, e incluiu os biênios de 2017/2018. A primeira edição ocorreu em 2015/2016.

“O Maranhão foi o primeiro estado brasileiro a desenvolver esse projeto em nível de estado, com a abrangência e o que temos hoje é uma grande rede de informação e de prevenção”, afirmou.

Para o assessor de projetos da ONG Repórter Brasil, Thiago Casteli, a experiência exitosa na primeira edição foi fundamental para a expansão do projeto na edição atual.

“Foi muito exitoso o primeiro projeto em 2015 e agora estamos repetindo de uma forma muito maior. São oito UREs, que levaram esse material para aproximadamente 200 escolas e hoje apresentam esses resultados”, informou o assessor.

“Estamos em fase de fechamento de dados, mas certamente mais de 60 municípios foram alcançados e ainda estão sendo”, completou Thiago.

Sobre o projeto

Criado pela ONG Repórter Brasil, o projeto conta com a parceria da Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedhipop) e apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo (COETRAE).

As ações do ‘Escravo, Nem Pensar!’ são desenvolvidas em escolas de oito Unidades Regionais de Educação (UREs), contemplando 78 municípios identificados com maior incidência de trabalho escravo moderno.

 

Governo do Maranhão

SINTSERM realizará grande festa em homenagem ao Servidor Público com Show de Ivan Lima e Acácio

O Sindicato dos Servidores no Serviço Público Municipal de Codó (SINTSERM) realizará uma grande festa em homenagem aos servidores públicos do município. O objetivo do evento é realizar uma comemoração voltada para os servidores públicos de Codó, um momento de integração entre os servidores sindicalizados.

O evento acontecerá no sábado (03), no Sítio Mônaco com Show de Ivan Lima e Acácio.

Para participar, o servidor deve procurar a sede no sindicato em horário comercial entre 13 às 17:30h onde receberá convite.

Parabéns EREMITA FONTES! Nossa homenagem a Gestora Regional de Educação

Quem está aniversariando nesta terça-feira (30), é nossa leitora Eremita Fontes, que comanda a Unidade Regional de Educação – URE Codó.

Parabéns por completar mais um ano de vida. A equipe do blog do Leonardo Alves lhe deseja muito sucesso, saúde para todos os dias e que esta data lhe traga uma felicidade imensa. Que todos os seus sonhos se tornem realidade.

FELIZ ANIVERSÁRIO!

EREMITA FONTES

Braide corrige MP do Governo e cobra realização de concurso público para a saúde

Eduardo Braide

O deputado Eduardo Braide (PMN) apresentou uma emenda à Medida Provisória n° 282/18, que altera, dentre outras questões, o prazo para contratação de servidores da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), previsto na Lei n° 9.732/12. Para o parlamentar, a emenda garante a realização de concurso público para a área da saúde no Maranhão.

“A emenda que apresentei visa, justamente, resguardar a realização de concurso público para a área da saúde, visto que a MP 282/18, do Governo do Estado, prorroga em cinco anos o prazo da contratação de funcionários da EMSERH. E onde fica o respeito à Constituição e o compromisso para realizar concurso público? A nossa emenda corrige mais esse equívoco do Governo, para defender os milhares de maranhenses que esperam por essa oportunidade”, justificou o deputado.

A emenda à MP 282/18, apresentada pelo parlamentar na reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), será votada no plenário da Assembleia. 

“Tenho certeza de que a nossa emenda deverá ser acolhida pelos demais deputados. O Governo do Estado precisa realizar concurso para que todos tenham igualdade no ingresso ao serviço público. Esse é também um anseio de milhares de enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos e demais profissionais da área da saúde”, concluiu Eduardo Braide.

 

Assecom

PARTICIPE: Escola Santa Filomena realiza nesta quinta-feira (01), palestra sobre Autismo Infantil

A Escola Santa Filomena (Associação das Irmãs Missionárias Capuchinhas) realiza nesta quinta-feira 01 às 19h, palestra sobre Autismo Infantil com o objetivo de favorecer novos conhecimentos e estratégias de cuidados com estudantes com autismo.

A renomada fonoaudióloga Dra. Natércia Ximenes Oliveira será a palestrante do evento,onde possui uma vasta experiência na área.

Para participar do evento, os interessados devem comparecer com 01 kg de alimento não perecível.

Conheça os nomes cotados para o ministério do presidente Bolsonaro

Jair Bolsonaro confirmou até agora apenas três futuros ministros: o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-DF), articulador político da candidatura, na Casa Civil; o economista Paulo Guedes, na Fazenda; e o general da reserva do Exército Augusto Heleno, no Ministério da Defesa. O presidente eleito se comprometeu a ocupar o alto escalão de sua administração com nomes técnicos e sem compromisso de agradar partidos aliados. Por outro lado, se cercou de aliados e consultores em diversas áreas que passaram, automaticamente, a serem cotados para ministros.
Onyx Lorenzoni
O deputado gaúcho, futuro ministro da Casa Civil, foi o responsável por construir a estrutura de apoio político à campanha. Rígido e pouco aberto a concessões, enfrenta resistências no Congresso após ter sido criticado ao relatar projeto de medidas contra a corrupção em 2016. Depois, confessou a prática de caixa dois e submergiu.
Augusto Heleno
General da reserva, será ministro da Defesa. Respeitado nas Forças Armadas, foi o primeiro comandante das tropas brasileiras no Haiti e é conselheiro de Bolsonaro sobre segurança pública. Heleno é próximo dos principais líderes da caserna e, na campanha, foi o responsável pela atração de técnicos que tocaram as propostas do plano de governo.
Paulo Guedes
Ciente das limitações de seu conhecimento sobre economia, Jair Bolsonaro destacou durante a campanha que consultaria Paulo Guedes, seu “posto Ipiranga”, para tomar decisões na área. O economista foi anunciado como a escolha do político do PSL para assumir o ministério da Fazenda. Em entrevista após a confirmação da eleição, Guedes ressaltou que o Mercosul “não será prioridade”. Ele ressaltou, durante a campanha, que o projeto econômico do governo passará pelo comércio “sem viés ideológico” e por uma agenda de privatizações.
Gustavo Bebianno
Presidente do PSL, o advogado carioca é cotado para o Ministério da Justiça, porém a relação de confiança com Bolsonaro pode levá-lo à Secretaria-Geral da Presidência. Bebianno articulou as negociações para a ida do presidente eleito para o PSL. O estilo controlador lhe rendeu desafetos entre aliados e até ciúme por parte dos filhos de Bolsonaro.
Oswaldo Ferreira
General da reserva, comandou a área de Engenharia no Exército e foi levado por Heleno para o círculo de Bolsonaro. Esteve à frente do trabalho realizado pelo grupo de Brasília para o plano de governo. É apontado como provável titular de uma pasta na área de Infraestrutura. Ferreira, porém, diz não ter desejo de ocupar um ministério.
Magno Malta
Recusou a vaga de vice-presidente para tentar reeleição ao Senado no Espírito Santo. Sua derrota foi em parte atribuída à dedicação à campanha de Bolsonaro, com viagens até as vésperas da eleição. Um dos poucos com acesso livre à casa de Bolsonaro e ao hospital durante a internação, tem a confiança do presidente eleito e terá espaço no governo.
Marcos Pontes
Único brasileiro a participar de uma missão aeroespacial, em 2006, o tenente-coronel da reserva Marcos Pontes é o provável ministro de Ciência e Tecnologia. Filiado ao PSL, foi eleito suplente do senador Major Olímpio (PSL). Pontes deixou a Aeronáutica após a missão espacial, chegou a ir para o PSB e tentar sem sucesso vaga na Câmara em 2014.
Nelson Teich
Consultor da campanha na área de Saúde, é um dos assessores mais discretos. Oncologista e empresário do setor de saúde, chegou à campanha por meio do economista Paulo Guedes e ganhou espaço. Além de Teich, o diretor do hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata, é outro nome cogitado para ser ministro da Saúde.
Stravos Xanthopoylos
Ex-diretor da área de cursos on-line da FGV, o professor defende a educação à distância (EAD) até mesmo para o ensino fundamental. É contra o sistema de cotas. Outro cotado para a Educação é o general Aléssio Ribeiro Souto, que defende a revisão bibliográfica e curricular, segundo ele, para evitar o ensino partidarizado.
Luiz Antonio Nabhan Garcia
Presidente da União Democrática Ruralista, é um dos conselheiros do presidente eleito para o agronegócio. É o autor da proposta de unir os ministérios da Agricultura com o do Meio Ambiente. Bolsonaro encampou a ideia, mas, após críticas, voltou atrás. Disputa com indicações da Frente Parlamentar da Agropecuária o Ministério da Agricultura.
Paulo Marinho
O empresário ajudou na interlocução da campanha com jornalistas e empresários. Sua casa virou escritório para a produção dos programas de TV e cenário para entrevistas do candidato. Nega que ocupará cargo no governo, mas poderá atuar como conselheiro na área de comunicação. É suplente do senador eleito Flávio Bolsonaro.
Hamilton Mourão
Vice-presidente eleito, o general da reserva contornou resistências a Bolsonaro nas Forças Armadas e manteve a interlocução privilegiada mesmo diante das seguidas polêmicas em que se envolveu, como a crítica ao 13º salário. Mourão garante que não será um vice decorativo e pediu a instalação de uma sala próxima ao gabinete presidencial. (O Globo)

A pós-graduação em alta: seis novos mestrados da UFMA são aprovados pela Capes

SÃO LUÍS E IMPERATRIZ – A Universidade Federal do Maranhão conta com cinco novos mestrados aprovados pela Capes: Acadêmico em Comunicação (Imperatriz); Profissional em Comunicação (São Luís); Geografia, Ambiente e Sociedade (São Luís); Artes Cênicas (São Luís); Sociologia (Imperatriz) e o Profissional em Formação Docente em Práticas Formativas (São Luís), além do doutorado em História e Conexões Atlânticas: culturas e poderes (São Luís).

Os resultados da avaliação de propostas de cursos novos nas modalidades acadêmica e profissional foram divulgados após análise realizada na 179ª e 180ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES), ocorridas em Brasília.

A Capes fez a divulgação de acordo com a análise feita no CTC-ES, que, na anterior, já havia avaliado positivamente em favor da criação do curso de Mestrado em Sociologia no Câmpus de Imperatriz. Na rodada ocorrida entre os dias 24 a 28 de setembro, quatro projetos de cursos de mestrado da UFMA foram aprovados. O curso de Geografia, Ambiente e Sociedade foi o único dessa área a ser aprovado e será o primeiro da Universidade a ser oferecido em aulas noturnas, segundo o pró-reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Allan Kardec. “Eu dou um enorme parabéns a todos os professores e professoras envolvidos, pois fizeram um esforço monumental e conseguiram aprovar cinco novos mestrados este ano”, celebrou.

E na rodada que ocorreu nos dias 17 e 18 de outubro, a UFMA conquistou mais uma aprovação de um mestrado profissional na área da educação e um doutorado na área da história.

Em geral, haverá, em média, 15 professores em cada um dos mestrados, totalizando 75 docentes doutores nos novos cursos de pós-graduação strictu sensu. Allan Kardec também lembrou que a qualificação dos docentes da universidade e as avaliações positivas recentes da UFMA em análises realizadas pelo MEC influenciaram diretamente na aprovação dos mestrados.

“O avanço da pós-graduação é necessariamente resultado do avanço geral da graduação, então a pós carrega consigo o desenvolvimento das graduações. Outra coisa que ocorre é que o Maranhão melhora sua qualificação em termos de profissionais qualificados. Quando a UFMA faz esse esforço na qualificação, melhora o ensino, a pesquisa e a extensão, então todo o mundo sai ganhando”, comentou.

Quando saem os editais?

A previsão é que, já no início do ano de 2019, sejam formadas as novas turmas, pois está projetado que, até o final deste ano, os editais sejam divulgados na página da PPPGI e no site da UFMA, após os projetos passarem por aprovação na UFMA.

Em Imperatriz

O programa, da área Comunicação Contemporânea, no Câmpus Imperatriz, abrangerá duas linhas de pesquisa: “Formas e materialidades da comunicação” e “Processos sociopolíticos na comunicação contemporânea”. A primeira turma deve iniciar o curso ainda no primeiro semestre de 2019.

A professora Michele Massuchin, da comissão de elaboração da proposta do Programa, enalteceu o esforço coletivo dos professores do curso de Comunicação do Câmpus Imperatriz para a aprovação do mestrado.

“É um esforço coletivo do curso, que só tem 10 anos. No parecer, a Capes ressaltou nosso corpo docente jovem, de recém doutores, mas com vasta produção acadêmica, com publicações, atuando na iniciação científica e em grupos de pesquisa. Ter um programa de mestrado aqui em Imperatriz auxilia para que aja uma consolidação do corpo docente, posiciona o Maranhão dentro da área da comunicação e das ciências humanas e ajuda a suprir a demanda de alunos que terminam a graduação a continuarem na pesquisa”, avaliou a professora.

Fonte: PortalUFMA