Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Após TSE barrar candidatura, PT vai ouvir Lula antes de tomar decisão

Com a decisão tomada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de indeferir o registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República, o PT pretende anunciar somente na segunda-feira (3/9) qualquer medida em relação à chapa que concorrerá às eleições, apenas após Lula emitir sua opinião sobre o assunto.

Na qualidade de presidente do partido e advogada, Gleisi Hoffmann está encarregada de ouvir o líder petista, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, antes da reunião da coordenação geral da campanha, que ocorre todas as segundas-feiras, em São Paulo.

“Nesta circunstância, quem tem a palavra é o Lula. Não há por que decidirmos nada no fim de semana. Ele é o senhor deste processo por razões históricas. Ele pauta a política nacional desde 1980”, destacou o coordenador financeiro da campanha petista, o ex-ministro Ricardo Berzoini, após o julgamento.

Dessa forma, o possível anúncio do nome do ex-prefeito Fernando Haddad, hoje vice na chapa, como titular da candidatura, tendo Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) como vice, só ocorreria depois da consulta a Lula e após a reunião da coordenação da campanha.

Vice
O candidato a vice Fernando Haddad também defendeu a mesma posição de ouvir Lula antes da definição da estratégia. Haddad precisa do aval do líder petista para conseguir angariar o maior número de votos como titular da chapa, e o PT pretende explorar ao máximo esse poder de transferência. “Estarei com ele na próxima segunda-feira [3/9] e vou levar ao seu conhecimento o resultado do TSE, e lá vamos discutir o que fazer”, disse.

“Eu queria manifestar uma certa desolação com a Justiça no sentido de prejudicar o direito de defesa do presidente Lula em apresentar as alegações finais. O que está em jogo é o direito de o povo eleger o seu presidente. Não estamos falando de uma coisa qualquer, estamos falando de um elemento da democracia atropelado, sobretudo após a manifestação da ONU”, ressaltou.

Julgamento
O TSE decidiu nessa sexta-feira (31/8) negar o direito de Lula ser candidato, devido à Lei da Ficha Limpa, que torna inelegível todos os condenados em segunda instância. O ex-presidente está preso, após ser condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no processo do apartamento triplex no Guarujá, litoral de São Paulo.

Para os petistas, a condenação ocorreu sem provas de sua culpa. Eles destacam que o julgamento demonstrou a fragilidade dos argumentos utilizados para tirar Lula das eleições.

“Da forma como foi feito, com todo este drama e com toda esta narrativa, o TSE deixou claro que julgou se submetendo a uma grande pressão, inclusive da mídia, para tirar Lula da disputa. O julgamento ainda demonstrou o quanto é frágil tudo que se usou até agora no Poder Judiciário para tirar Lula da campanha”, ponderou Berzoini.

“Todo voto do relator foi dedicado a responder aos questionamentos que estavam colocados, sabendo que ele tinha pouca jurisprudência para isso e que até iria se opor a entendimentos do Supremo Tribunal Federal em relação aos tratados internacionais”, avaliou, referindo-se à posição do ministro Luís Roberto Barroso, o qual entendeu não ser vinculante a recomendação do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) de garantir a candidatura de Lula.

 

Fonte:  metropoles

Em inauguração de comitê, Roberto Rocha e Alexandre Almeida reúnem multidão em Timon

Roberto Rocha, senador e candidato ao Governo do Maranhão (PSDB), participou nesta sexta-feira, 31, da inauguração do comitê de campanha do deputado estadual Alexandre Almeida que, este ano, concorre a uma vaga de senador pelo partido tucano. O evento aconteceu no Salão do Mega Hall Eventos, no bairro Formosa, em Timon – Ma.

Durante o seu discurso, Roberto Rocha destacou as qualidades de Alexandre Almeida e fez questão de ressaltar que, como deputado, Alexandre tem honrado a população Timonense com o seu mandato: “”Ele é um político jovem, atuante, que representa o vigor, a força e a coragem de uma geração ansiosa por participar da política, e não apenas de assistir o processo político passivamente. Fico muito orgulhoso de ter na nossa chapa um candidato a senador da República com todas as qualidades de Alexandre”, destacou Roberto Rocha.

Com o slogan de campanha “O Maranhão é Pra Já”, Alexandre Almeida, que nestas eleições também se destaca por ser o candidato mais jovem do Brasil a concorrer uma vaga no Senado Federal, fez questão de ressaltar o seu compromisso com os maranhenses. Ele lembrou que sua candidatura nasceu a partir de um convite do PSDB, por meio do tucano Roberto Rocha que, segundo ele, entendeu a importância da nova política no Maranhão. “Eu tenho certeza de que nesta eleição, nós teremos a oportunidade de eleger dois senadores. Quero, inclusive, agradecer ao senador Roberto Rocha pela sua visão de uma política diferente ser implementada em nosso estado. Quero agradecer ao PSDB por me dar a oportunidade de tentar representar o nosso Maranhão no Senado Federal. E convido todos a travarem essa batalha junto comigo”disse.

Jovem chamada de ‘macaca’ por colega ganha bolsa em escola particular: ‘Alívio’

A estudante de 12 anos vítima de racismo em uma escola da rede pública de ensino em Praia Grande, no litoral de São Paulo, ganhou uma bolsa de estudos integral em uma instituição particular da cidade. A adolescente apontada como autora da agressão é acompanhada pelo Conselho Tutelar.

O caso da jovem Adriele ganhou repercussão após a mãe dela, a vendedora Adelaide Alves, de 31 anos, compartilhar o ocorrido em uma rede social. Na publicação, ela mostrou a imagem de uma carta na qual a filha é chamada de ‘macaca’, e ainda é ameaçada de morte. A Secretaria de Educação da cidade iniciou a apuração dos fatos.

“Depois de tudo o que aconteceu, recebemos o contato da diretora de uma escola particular que ofereceu a bolsa para a minha filha. Ela também ganhou o uniforme e o material escolar. Para nós, foi um alívio. Eu e a diretora choramos juntas”, contou a vendedora. Adriele inicia as aulas na segunda-feira (3).

Adelaide aguardou por quase uma semana a decisão sobre a transferência ou não da filha para outra unidade pública, depois que o caso de racismo repercutiu. “Eles me disseram que tinham conseguido vaga, mas era para uma escola longe demais. Não tinha condições de levá-la até lá, e eu já tinha dito isso”.

Adelaide ao lado da filha, vítima de ameaças e racismo em escola de Praia Grande, SP (Foto: Arquivo Pessoal)Adelaide ao lado da filha, vítima de ameaças e racismo em escola de Praia Grande, SP (Foto: Arquivo Pessoal)

Adelaide ao lado da filha, vítima de ameaças e racismo em escola de Praia Grande, SP (Foto: Arquivo Pessoal)

A vaga para uma escola pública próxima de onde as duas moram foi liberada na terça-feira (28), mesmo dia em que ela soube da bolsa de estudos. “Eu só quero que a minha filha estude em um lugar em que ela se sinta segura. A diretora [da instituição particular] me prometeu que ela ficará bem e será bem cuidada”.

A Secretaria de Educação (Seduc) de Praia Grande informou que foram definidas ações disciplinares na Escola Municipal Joaquim Augusto Ferreira Mourão, no bairro Melvi, onde ocorreu o crime de racismo. A unidade recebeu palestras ministradas por psicólogos para falar sobre a temática bullying.

“Quanto à transferência da aluna, com o objetivo de preservar a jovem, a Seduc destaca que concedeu vaga em outra unidade escolar, assim que a mãe deu entrada com a solicitação de transferência”, afirmou a prefeitura, antes da decisão de Adelaide em aceitar a bolsa de estudos em uma instituição privada.

O Conselho Tutelar de Praia Grande também informou que a família da vítima está sendo assistida por uma equipe multidisciplinar, e que a estudante identificada como responsável pelas agressões racistas é alvo de um acompanhamento disciplinar. Ela recebeu uma suspensão da unidade de ensino.

Racismo

A situação começou uma semana antes das férias escolares, em junho, mas se repetiu em agosto. Ao G1, a mãe contou que as primeiras ofensas surgiram na saída da escola, ao fim das aulas. Mães de colegas da filha a alertaram por telefone, na tentativa de protegê-la.

“Uma das mães me ligou pedindo para eu buscar a Adriele, pois havia outra menina a xingando de negra, vagabunda e macaca, e dizendo que ia bater nela. Ela me orientou a fazer um boletim de ocorrência, e que depois dava detalhes”. Depois que soube, ela fez o B.O. de injúria e difamação e o apresentou na escola.

“A diretora disse que sabia o nome da autora das ofensas e que iria conversar com a mãe dela, que eu não devia me preocupar. Ela ainda disse que não queria me incomodar com isso, pois trabalho longe. Sequer preocupou-se em tirar cópia do B.O.”, conta. Porém, novas ameaças a fizeram descobrir outra versão.

“Procurei a mãe dela, que me disse que, na verdade, a diretora só a procurou quando uma terceira criança, que tomou as dores da minha filha, brigou com a garota”, explica. Triste, a vítima chegou a ficar uma semana sem ir à escola, e só se distraiu em seguida, quando entrou de férias em junho.

“Minha filha recebeu a carta, que dizia que ela fedia, que parecia uma macaca, que queriam matá-la. Na escola, ela foi orientada a entregar para a diretora, e depois, para não me contar. Descobri por uma amiga minha, que já sabia, e me questionou. De novo, fui a última a saber”, conta. Indignada, decidiu publicar a situação nas redes sociais, o que causou grande repercussão.

Fonte: G1

Por Gastão Vieira: Os cães ladram e a carruagem passa

Gastão Vieira

Somos a nossa história! Perto das eleições sempre aparecem candidatos com promessas, simpatia e até favores pouco republicanos. Pessoas que enriqueceram com a política e querem fazer mais do mesmo.

Após cinco mandatos como Deputado Federal, continuo com a simplicidade de quem serviu ao público. Todos os meus bens são compatíveis com os meus rendimentos. Durmo tranquilo, não respondo a NENHUM processo de desvio de dinheiro público, TENHO A VIDA LIMPA, nunca pedi propina pelas minhas emendas, NUNCA as desviei de forma criminosa para financiar minhas campanhas ou aumentar meu patrimônio pessoal.

Volto para a caminhada numa campanha com a disposição daqueles que sabem que ainda têm muito a contribuir. Ando de carro, gasto a sola do sapato e fico sem entender como deputados tem dinheiro sobrando para comprar avião.

Já devo ter rodado mais de 30 mil quilômetros. Onde chego sou recebido com carinho, respeito e reconhecimento por algo que já fiz: uma escola, uma creche, uma praça, uma avenida, uma beira rio, uma área de lazer, um Instituto Federal, um campus de Universidade, um programa de alfabetização para crianças, um ginásio, uma quadra esportiva, um portal na entrada da cidade, cursos do Pronatec. Meus olhos brilham quando me dizem: …”o senhor foi o melhor secretário de educação do Maranhão”.

Como ministro do Turismo, apliquei mais de R$ 250 milhões no estado, sempre com foco nas pessoas. Tenho o que mostrar. Lutei pela democracia nas Diretas Já. Meu trabalho me credenciou a ter no meu currículo o carimbo de Deputado Federal mais bem votado do Maranhão.

Recebo com naturalidade a infamante campanha de certos deputados que, em busca da reeleição, tentam confundir meus eleitores. Em vez de apresentar propostas, tentam desestimular que as pessoas votem em mim. Para essas pessoas que fazem o jogo baixo da política, um recado: SEREI ELEITO! Os profetas do meu fracasso vão ter de me engolir. Os cães ladram e a carruagem passa.

Roseana recebe o carinho da população em caminhada em Santa Inês

Santa Inês – Uma grande caminhada na área comercial marcou a passagem da ex-governadora e candidata ao Governo do Maranhão, Roseana Sarney, por Santa Inês, na manhã desta quinta-feira (30). Ao lado dos candidatos ao Senado, Sarney Filho e Edison Lobão, do deputado estadual Sousa Neto e do ex-prefeito Valdivino Cabral, ela recebeu o carinho das pessoas, que faziam questão de declarar apoio à sua candidatura.

“Começar o dia caminhando com os moradores de Santa Inês me fortalece, me anima e confirma que a insatisfação com o atual governo é muito grande. É por isso que vamos retomar nossos programas sociais, fomentar a economia, gerar emprego e renda, sem perseguição, sem medo”, disse Roseana.

No município, a comitiva da coligação “Maranhão Quer Mais” foi recebida também por lideranças políticas e comunitárias da região.

“A população de Santa Inês tem muitos motivos para trazer de volta Roseana ao Governo do Maranhão. Aqui a ex-governadora terá a maioria dos votos, porque fez ao contrário da atual administração, que só falou em mudança e não trouxe nenhuma obra estruturante para o município. Roseana é a melhor”, enfatizou o candidato à reeleição Sousa Neto.

Ex-prefeito por três mandatos de Santa Inês e deputado estadual, Valdivino Cabral fez questão de lembrar que o município se desenvolveu graças ao apoio da ex-governadora e de seu grupo político.

“Por esse e outros motivos só temos um voto: Roseana 15”, afirmou ele.

O trajeto da caminhada teve início na rua das Laranjeiras e terminou na praça da Igreja da Matriz, passando pela rua do comércio, onde Roseana conversou e foi recebida com empolgação e carinho pelos comerciantes e consumidores.

“Roseana tem que voltar para melhorar nossa saúde, a segurança pública, trazer de novo os programas sociais e emprego”, afirmou o estudante de Medicina, Marcos Vinicius, 34 anos.