Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Petição on-line quer cancelar palestra, no Brasil, da criadora da ideologia de gênero

A mulher responsável pela criação da “ideologia de gênero” virá para o Brasil palestrar no Sesc Pompeia, na zona oeste da cidade de São Paulo, entre os dias 7 e 9 de novembro. O evento em questão é o seminário internacional “Os Fins da Democracia / The Ends Of Democracy”. Judith Butler, que é doutora em Filosofia pela Universidade Yale e professora de Retórica e Literatura Comparada da UC Berkeley, foi a convidada para abertura e encerramento.

Judith acredita que “as ações apropriadas para homens e mulheres foram transmitidas para produzir uma atmosfera social que mantém e legitima a existência aparentemente natural de dois gêneros”. É o que ela afirma em seu livro “Performative Acts and Gender Constitution, publicado em 1988.

Apesar da construção ideológica se desenvolver nesta obra, seu livro mais conhecido no Brasil é “Problemas de Gênero – Feminismo e a Subversão da Identidade”, de 1990. Na obra, Judith faz uso de autores como Freud, Simone de Beauvoir, Jacques Lacan e Michel Foucault. Sua tentativa é afirmar que o gênero, o sexo e a sexualidade seriam “construídos culturalmente” segundo o que a sociedade permite que seja visto como coerente e natural, em uma “ordem compulsória”.

Por isso, a autora afirma que é preciso “desconstruir as ligações entre sexo e gênero”, deixando a biologia de lado, para que os gêneros sejam “flexíveis e de flutuação livre”. Tais afirmações se tornaram a base da teoria queer, também conhecida como “ideologia de gênero”.

Muitos internautas que souberam de sua vinda estão assinando uma petição que pede o cancelamento de suas palestras no Sesc Pompeia. A nota diz: “Judith Butler não é bem-vinda ao Brasil! Nossa nação negou a ideologia de gênero no Plano Nacional de Educação e nos Planos Municipais de Educação de quase todos os municípios”.

E ainda complementa: “Não queremos uma ideologia que mascara um objetivo político marxista. Seus livros querem nos fazer crer que a identidade é variável e fruto da cultura. A ciência e, acima de tudo, a realidade nos mostram o contrário. Sua presença em nosso país num simpósio comunista, pago com o dinheiro de uma fundação internacional, não é desejada pela esmagadora maioria da população nacional. Zelamos pelas nossas crianças e pelo futuro do nosso Brasil”, finaliza com o uso da hashtag “#ForaBrutler”.

Até o fechamento dessa matéria, a petição, que almeja alcançar pelo menos 200 mil assinaturas já conseguiu mais de 140 mil.

Organizado pelo Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP), em colaboração com a Universidade da Califórnia em Berkeley (UC Berkeley) – principal sede do pensamento da Escola de Frankfurt na atualidade – o seminário é o segundo encontro do ciclo de conferências do “Convênio Internacional de Programas de Teoria Crítica”. A vinda de todos os palestrantes internacionais é financiada pela fundação americana Andrew W. Mellon Foundation.

Fonte: http://folhagospel.com

Categoria: Notícias