Deputada Valéria Macedo quer faculdade de Medicina em Balsas

A deputada estadual Valéria Macedo (PDT) usou a tribuna nesta quinta-feira (28), para falar sobre inauguração do Hospital Geral de Balsas (HGB) e parabenizar o trabalho do governador Flávio Dino nos investimentos realizados na área da saúde do estado, com construções e entregas de unidades hospitalares e programas que atendem à necessidade da população.  

“O governador Flávio Dino tem quebrado muitos paradigmas nos seus mil dias de Governo. O hospital Regional de Balsas é mais um deles. O saudoso governador Jackson Lago tentou construir um Hospital Regional em Balsas, mas não teve tempo porque foi cassado antes de fazê-lo. Foi um fato administrativo e histórico, pois ele fez o que muitos governadores prometeram e não cumpriram. É um sonho realizado na vida dos sul-maranhenses”.  

A deputada também destacou que era um sofrimento da população que antes tinha que se deslocar para capital do estado e outros estados como Tocantins, Goiás e Distrito Federal  em busca de atendimento na saúde. “Foi muito tempo que o nosso povo do sul-maranhense esperou para receber este hospital, de modo que nem podemos pensar num hospital regional se não atender a urgência e emergência em média e alta complexidade para Balsas e região sul” disse.

Faculdade de Medicina para Balsas

 
 Na oportunidade, a deputada solicitou ao Governador Flávio Dino que envidasse todos os esforços políticos, administrativos e acadêmicos para implementar o curso de medicina no município de Balsas. A parlamentar usou exemplo de outras cidades como Caxias que tem o curso de medicina por meio da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), implantado com o empenho pessoal do ex-Governador José Reinaldo Tavares e, mais recentemente, os Cursos de Medicina  nas cidades de Imperatriz e Pinheiro no governo da ex-governadora Roseana Sarney. Neste caso a instituição de ensino é a Universidade Federal do Maranhão (Ufma) nos campi de Imperatriz e Pinheiro.  “Eu mesmo fiz indicações, requerimentos, audiências, enfim, fiz tudo que uma deputada estadual vinculada fortemente a área da saúde pode fazer para viabilizar um curso de medicina para Imperatriz. E na ocasião acabou sendo levado também com justiça para Pinheiro na Baixada Maranhense.

“A minha expectativa agora é que o governador Flávio Dino acolha meu pedido oficializado em indicações na Assembleia Legislativa a ele endereçadas e a outras autoridades, e também exteriorizado no meu discurso na inauguração do HGB o ultimo dia 20/09/2017. Assim, espero que o Governador nos ajude a levar uma faculdade de Medicina para o Município de Balsas deixando sua marca naquele município e naquela região” ressaltando ainda a parlamentar que “irá buscar apoios em outras autoridades federais e estaduais do Maranhão e do Brasil para ver mais este sonho realizar-se”, conclui.

Para Valéria Macedo não há outra forma de melhorar a oferta de médicos no interior do estado se não for pela interiorização das faculdades de medicina, pois uma das maiores despesas do Sistema Único de Saúde Estadual ainda é com médicos e, além disso, o Sul do Maranhão sempre foi esquecido pelos sucessivos governos estaduais.

Para a deputada Valéria o curso de medicina pode chegar a Balsas pela UEMA e aí depende mais diretamente do governo do estado, ou, pela UFMA que também depende dos esforços políticos do Governador Flávio Dino e de outras lideranças.

 Hospital Regional de Balsas

 

O hospital garantirá, por meio do trabalho da Secretaria de Estado da Saúde (SES), assistência a uma população estimada em 246 mil habitantes, em reforço ao atendimento de saúde prestado no Sul do Maranhão. A previsão é de que o Hospital Regional de Balsas ultrapasse a meta de 13,9 mil procedimentos mensais, de cirurgias gerais e obstétricas até os exames de apoio diagnóstico e terapia.

Com a nova unidade, os recém-nascidos contarão com os Testes da Orelhinha, Pezinho e Coraçãozinho. Por meio desses procedimentos, é possível detectar de forma precoce qualquer doença que possa prejudicar o desenvolvimento do bebê.

A unidade de saúde possui 4.000m² e 50 leitos disponíveis, com dez leitos de UTI Adulto, seis de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional e quatro de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru.

O hospital ofertará, ainda, atendimento nas especialidades de clínica médica, ginecologia, obstetrícia, cirurgia geral e pediatria, além de exames laboratoriais e diagnósticos em oftalmologia e cardiologia; e serviços de diagnóstico por imagem como ultrassonografia, mamografia, exames de radiologia, tomografia e endoscopia.

Outros municípios que também serão beneficiados  São Félix de Balsas, São Pedro dos Crentes, São Raimundo das Mangabeiras, Tasso Fragoso, Alto Parnaíba, Carolina, Feira Nova do Maranhão, Formosa da Serra Negra, Fortaleza dos Nogueiras, Loreto, Nova Colinas, Riachão e Sambaíba.

Fonte: http://www.al.ma.leg.br/noticias/34263

ILEGAL: Mulher anuncia venda de imóvel no Residencial Santa Rita

Mesmo diante das recomendações e das regras do Programa Minha Casa Minha Minha Vida (PMMV), ainda tem gente que teima em infringi- lá e foi exatamente isso que o blog flagrou por uma internauta. Os beneficiários do programa, ao longo dos 10 anos não poderão alugar, ceder e vender as unidades habitacionais, sob pena de devolverem e perderem o imóvel.

Na tarde desta quarta-feira (27), uma mulher publicou em um grupo de WhatsApp, de Compras e Vendas, um anúncio de venda de um imóvel do Programa Minha Casa Minha Vida. Segundo ela, a casa fica no Residencial Santa Rita na Rua Piauí.

Ensino médio terá mudanças implementadas já em 2018

Em setembro do ano passado, o governo lançou a proposta de um novo Ensino Médio, com mudanças que provocaram polêmica. Um ano depois, mostramos o que já mudou — e os problemas enfrentados pelas escolas para colocar o projeto em funcionamento.

A meta é ter carga horária de, no mínimo, mil horas, em até cinco anos. O novo Ensino Médio prevê um currículo comum para todo o país – equivalente a 60% do curso. O restante será escolhido pelo aluno, de acordo com a carreira que quiser seguir e com as opções que a escola oferecer.

Um ano depois de anunciadas as mudanças, o currículo básico ainda não foi definido pelo Ministério da Educação. A previsão é abril até ano que vem. E as escolas públicas que já aderiram ao período integral estão tendo dificuldades para receber recursos.

Mostramos no vídeo acima uma das escolas que implantaram o Ensino Médio em tempo integral este ano em Brasília. Ela teria direito a R$ 280 mil para investir na adaptação da estrutura para receber os estudantes durante o dia inteiro, mas como o dinheiro não chegou, melhorias básicas como a construção do refeitório estão sendo feitas com dinheiro arrecadado pelos alunos e professores junto à comunidade.

O projetor é a professora quem traz de casa. O diretor da escola diz que o MEC já repassou a verba. Falta a liberação pelo governo do Distrito Federal.

No Amapá, onde só 3% dos alunos do nível médio da rede pública estão no ensino integral, os educadores também reclamam da dificuldade de acesso ao dinheiro repassado pelo MEC. E, sem refeitório, os alunos comem em mesas no pátio.

O MEC diz que repassou este ano R$ 230 milhões para todos os estados para implantação do ensino médio em tempo integral. Em 2017, 105 mil estudantes se matricularam neste novo modelo  –  70% da meta estabelecida pelos próprios estados.

Outro lado
A Secretaria de Educação do Distrito Federal disse que equipamentos comprados com a verba do MEC como armários, ar-condicionado e equipamentos de cozinha estão em sendo catalogado e que aguarda licitação para obras de adaptações da estrutura física das escolas.  E o governo do Amapá disse que a licitação para a construção do refeitório no colégio mostrado na reportagem será em outubro, com obras previstas para começar em novembro.

Fonte: G1 Jornal Hoje

POVO REVOLTADO: Servidora da Prefeitura diz que Francisco Nagib é o pior Prefeito do Maranhão

A população vem se revoltando com o governo de Nagib. Desta vez, uma funcionária pública contratada, faz um desabafo. DESEMPREGO é um dos motivos que revoltam a população. Quem caiu na promessa de campanha de Nagib em gerar empregos para a cidade, enganou- se. O aprendiz viajante deu o golpe do desemprego nos seus eleitores e em toda a população e é importante deixar claro que Nagib não pode trabalhar somente para seus mais de 24 mil eleitores, e sim para mais de 120 mil codoenses desta cidade como manda a lei. Nada de excluir o povo arrependido e iludido. Em todos os cantos da cidade ouvimos comentários desagradáveis do governo de Nagib. A rejeição de seu governo não vem somente no que se refere ao desemprego, mas em outros importantes setores da administração púbica entre elas; Saúde, Educação, Segurança Púbica e Infraestrutura.

Na tarde desta última sexta-feira (15), uma servidora da prefeitura desabafou dizendo: “Esse Nagib está sendo o pior prefeito do Maranhão, não vai ganhar mais nunca aqui em Codó. Eu falo mesmo e não estou nem aí se eu for demitida.” concluiu.

Fiquei surpreso com a atitude da servidora. Tem funcionário aí que defende o prefeito melhor que vereador líder de governo, enquanto outros corajosos se revoltam, mesmo correndo risco de perderem seus empregos e serem perseguidos.

O blog parabeniza a funcionária pelo desabafo feito a nossa redação. Enquanto prefeito de município vizinho recebe título de um dos melhores prefeitos do Brasil, Nagib perde feio com sua influência e reconhecimento no estado. Uma vergonha pra quem se diz ter prestígio. Seu início de vida pública está queimando sua conduta e da sua família FC. Tão jovem e tão rejeitado pela população codoense.