Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

“Existe perseguição contra evangélicos no Brasil”, afirma Feliciano

Marco Feliciano

O deputado federal Marco Feliciano (Pode/SP) publicou um vídeo nesta terça-feira (31) comentando algumas polêmicas que circulam nas redes sociais nos últimos dias.

“Quando eu denuncio perseguição e preconceito religioso no Brasil contra nós, os cristãos evangélicos, sou tachado de fundamentalista e intolerante simplesmente por defender os nossos princípios como a vida e a família tradicional”, afirma ele logo no início da gravação.

Reproduzido um trecho da apresentação da cantora Daniela Mercury, que durante o 28º Festival de Inverno de Garanhuns (Pernambuco), financiado com dinheiro público, fez uma série de declarações de cunho religioso.

Além de invocar os espíritos, ela afirmou que “ninguém vive sem demônios”. Também fez críticas à censura da peça que retratava Jesus como um transexual.

Em seguida, Feliciano lembrou que, no mesmo evento, “um pseudoartista referiu-se a Jesus com o maior desrespeito e palavras de baixo calão, chamando-o de bicha, travesti e transexual”.

Por fim, o vídeo de Feliciano reproduziu um trecho da entrevista da atriz Juliana Paes num programa da Rede Globo, onde ela conta que foi criada num centro de umbanda e que se comunica com as entidades.

“Eu respeito a fé da atriz”, destacou o deputado, indagando em seguida: “Se fosse eu falando da minha fé evangélica, falando que expulsei espíritos das pessoas, imagine o barulho que daria?”.

Para ele, essas manifestações mostram que “existe perseguição contra evangélicos no Brasil, sim”, pois a mídia nunca coloca os evangélicos sob uma luz positiva.

“A fé cristã tem tirado milhões de pessoas da miséria moral, das drogas, da prostituição, da depressão. Mas isso não interessa a quem prega quanto pior, melhor”, lamentou Feliciano.

Encerrou mandando um recado à Daniela Mercury e os outros artistas: “Deixem a nossa fé em paz! Por que não fazem essa brincadeira com Maomé como homossexual? Somos pacatos, mas não somos bobos, conhecemos a lei e queremos respeito”.

 

Gospel Prime

Senador ROBERTO ROCHA foi o relator da CPI do BNDES, que apresentou projeto para limitar aportes de bancos públicos e empresas estrangeiras

Está pronto para inclusão na ordem do dia o Projeto de Lei do Senado (PLS) 133/2018, que estabelece limites no financiamento da aquisição de ativos ou participação em empresas estrangeiras por bancos de fomento criados ou mantidos pela União. A proposta também cria a Letra de Crédito do Desenvolvimento (LCD) e regulamenta a atuação de grupos de pressão perante bancos de desenvolvimento.

De autoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para investigar irregularidades nos empréstimos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o PLS 133/2018 estabelece que o financiamento de projetos no exterior e a aquisição de participação societária em empresas estrangeiras observe o controle para empresa nacional e que o apoio a tais projetos ocorra mediante o uso de recursos captados no exterior, em uma perspectiva de médio e longo prazo.

Para isso, o projeto propõe a criação da Letra de Crédito de Desenvolvimento (LCD), que contará com tratamento tributário diferente, com isenção de Imposto de Renda, nos moldes de títulos já existentes, a exemplo da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Debêntures de Infraestrutura. O novo título deverá contar com isenção de recolhimento de deposito compulsório junto ao Banco Central, a ser estabelecida em lei.

“Sabemos que, na prática, a oferta de crédito para operações de longo prazo é muito mais escassa. É preciso incentivar, tanto para o investidor como para o tomador, os empréstimos de recursos no longo prazo. Há muitos projetos de maturação longa, cuja lucratividade não é imediata, necessitando de prazos dilatados para pagamento”, observa na justificativa do projeto o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), relator da CPI do BNDES, que terminou em março deste ano.

Como forma de garantir transparência do processo decisório de um pedido de financiamento, o projeto também estabelece regras para tornar minimamente clara a atuação de lobistas, diretores, administradores e empregados dos bancos de desenvolvimento ou fomento mantidos ou criados pela União. De acordo com o projeto, aos bancos serão vedadas quaisquer negociações ou tratativas, ainda que preliminares a pedido formal de financiamento, que não sejam devidamente registradas e publicadas em meio físico e eletrônico.

“Lobby não significa corrupção. A atuação de grupos de pressão é quotidiana em diversos órgãos públicos. Ocorre no Congresso Nacional, nos ministérios e até mesmo no Judiciário, haja vista que um advogado que, em uma audiência, busca convencer um magistrado a decidir em favor do seu cliente está realizando lobby. Em si, a atividade de lobby não é ilegítima. O que é ilegítimo é a corrupção, nas suas variadas formas, como, por exemplo, tráfico de influência”, argumenta Roberto Rocha.

 

Fonte: Senado Notícias

POLÍCIA MILITAR DE CODÓ RECUPERA 04 MOTOCICLETAS EM MEGA OPERAÇÃO

Policiais da força tática do 17°BPM conseguiram recuperar na terça feira (31/07), 04 (quatro) motocicletas roubadas, 03 garrunchas e 03 celulares, bem como apreender uma quantidade de drogas, após receber informes e denúncias anônimas.

As duas primeiras motocicletas foram encontradas após recebermos uma denúncia por volta das 9:40min que havia uma motocicleta dentro do banheiro de uma residência de taipa que fica localizada na rua do lixão próximo a babilônia.

Imediatamente ao receber a denúncia a equipe juntamente com a guarnição do esquadrão águia e apoio do serviço de inteligência do 17°BPM, se deslocaram até o local onde foi localizado a motocicleta escondida dentro do banheiro.
Ao perceber a presença da viatura um elemento tentou se evadir do local pelos fundos da residencia sendo capturado pelo esquadrão águia. Ao ser detido o elemento informou onde estaria escondida outra motocicleta roubada que também foi localizada.

Durante revista no local ainda foi encontrado uma arma de fabricação caseira (garruncha), provavelmente utilizada durante os assaltos.

O acusado identificado pelas iniciais W. A. de B. de 17 anos foi apresentado na delegacia juntamente com os materiais encontrados.

O terceiro veículo foi encontrado por volta das 10:30min após averiguação de denúncias de tráfico de drogas existente numa residência localizada na Rua 09, Quadra 01 Vila Bine. A equipe ao chegar no local constatou a veracidade dos fatos, sendo encontrado 275 gramas de maconha, 01 motocicleta Honda Titan 150 preta de placa NXQ-9197 (clonada) e duas armas de fabricação caseira (garrunchas). Durante as buscas ainda foram encontrados 03 celulares, sendo dois da marca Samsung e um Motorola, que tinham sido tomados de assalto. O acusado identificado por Domingos Ramos Ferreira Cardoso de 21 anos foi detido e apresentado na delegacia juntamente com os objetos encontrados na sua residência.

Por fim o quarto veículo foi encontrado por volta das 17:30min em via pública próximo ao Comercial Neydinha que fica localizado na Vila Bine, mais precisamente na Rua 05 no bairro São Francisco. Ao localizar a motocicleta Honda Fan de cor vermelha que estava sem placa, a equipe realizou uma consulta através do chassi da moto sendo constatado que o veiculo possuía registro de roubo/furto, onde a identificação da placa que foi retirada era NNG-1605.

Todos os veículos e materiais apreendidos foram removidos e apresentados na delegacia para que os procedimentos cabíveis e que se fizerem necessários sejam tomados.

Materiais apreendidos:

01 motocicleta Honda Fan preta placa OJB-4825;
01 motocicleta Honda Bros vermelha placa NXB-3514; 01 motocicleta Honda
Titan 150 preta placa NXQ-9197 (clonada);
01 Honda Fan de cor vermelha placa NNG-1605;
03 garrunchas
03 celulares

 

ASSCOM 17º BPM