Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Menor é assassinado com 19 facadas em Presidente Dutra

Na noite desta última sexta-feira (30) por volta das 5 e meia da tarde o menor R. F. A., de 15 anos de idade foi assassinado com 19 facadas na Travessa 04 do Bairro de Fátima em Presidente Dutra quando ingeria bebida alcóolica na companhia de quatro amigos.

A polícia já prendeu os três amigos da vitima, dois menores e um maior de idade que figuram até o momento como principais suspeitos de cometerem o crime. Um quarto elemento, também menos de idade está foragido.

Segundo informações, R. F. A. estudava o Colégio Ribamar Fiquene e aparentemente não tinha inimigos. “Ele até jogava no time de futebol da escola”, afirmou uma tia do menor assassinado.

De acordo com um tio de R. F. A., os quatro adolescentes eram usuários de drogas e teria passado o dia de sexta ingerindo bebida alcóolica e provavelmente usando drogas. “O que pode ter acontecido é que eles tenham entrado em briga corporal depois de se desentenderem”, afirmou um tido da vítima.

O delegado plantonista João Marcelino ouviu os três suspeitos pelo crime e espera concluir o inquérito na próxima semana.

Adonias Soares

Vai viajar? Proteja-se contra o sarampo

A vacina é a única medida eficaz contra o sarampo. Os viajantes devem estar vacinados ou se vacinarem 15 dias antes de embarcarem

O sarampo é um PROBLEMA MUNDIAL. Assim como o Brasil, mais quatro países da Europa perderam nesta semana o certificado de eliminação da doença. São eles: Reino Unido, Grécia, República Tcheca e Albânia. No primeiro semestre de 2019, Cazaquistão, Geórgia, Rússia e Ucrânia concentraram 78% dos casos na Europa. Nos EUA, o número de casos também é crescente desde o início deste ano. No Brasil, são 2.331 casos confirmados em 13 estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Santa Catarina, Distrito Federal, Bahia, Paraná, Maranhão, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Sergipe, Goiás e Piauí.

Diante desses cenários, as pessoas que vão viajar, tanto para destinos nacionais quanto internacionais, devem se certificar que estão EM DIA COM AS DOSES DA VACINA tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba, conforme previsto no Calendário Nacional de Vacinação, do Sistema Único de Saúde (SUS). No Brasil, a recomendação é duas doses a partir de 12 meses a 29 anos de idade; e uma dose para a população de 30 a 49 anos de idade. Os pais também precisam ficar atentos. Atualmente há ainda a recomendação do Ministério da Saúde de aplicar uma dose extra, a chamada ‘dose zero’ em crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias. Esse público está mais suscetível a casos graves e óbitos.

Se não houver esses cuidados, a viagem pode trazer surpresas desagradáveis. Além de pegar sarampo, a pessoa também pode transmitir para outras pessoas, principalmente durante os deslocamentos em avião, ônibus e metrô. São ambientes fechados com grandes aglomerações de pessoas. Caso ocorra a contaminação pelo vírus, é importante que a pessoa perceba os sintomas e, ao chegar no destino final, procure imediatamente uma unidade de saúde e informe ao médico quais foram os destinos da viagem. A partir do caso suspeito, o Ministério da Saúde juntamente com a Anvisa inicia o BLOQUEIO VACINAL, ou seja, faz busca ativa de todos os passageiros que estiveram no mesmo voo.

Antes da viagem para áreas de risco, as pessoas – adultos e crianças-  devem tomar alguns cuidados, tais como, localizar a CARTEIRA DE VACINAÇÃO e ir com ela a uma das mais de 36 mil salas de vacinação, da rede SUS, ou de uma clínica particular credenciada, para renovar, se necessário, a vacinação contra sarampo, com pelo menos 15 dias de antecedência à viagem. Além de estar com a situação vacinal atualizada, o viajante deve incluir o cartão de vacinação entre os documentos da viagem.

Não deixe que o sarampo estrague sua viagem!

 

Ministério da Saúde

Campanha de prevenção ao suicídio é apresentada à imprensa

Foi realizada na manhã de sexta-feira, 30, no auditório Neiva Moreira, no Complexo de Comunicação da Assembleia Legislativa, a apresentação à imprensa da “Campanha Rede do Bem: estamos aqui para ajudar”, de prevenção da automutilação e do suicídio. A campanha é uma iniciativa do Ministério Público do Maranhão em parceria com o Fórum Estadual de Prevenção da Automutilação e do Suicídio.

Na abertura dos trabalhos, a deputada Daniela Tema ressaltou a importância da discussão correta de assuntos como depressão, automutilação e suicídio. A deputada afirmou que a Assembleia Legislativa abraçou a campanha e parabenizou o deputado Fábio Macedo, autor do projeto que resultou na lei que estabeleceu o Dia Estadual de Combate à Depressão no Maranhão.

O procurador-geral de justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, destacou que o projeto não é do Ministério Público mas resultado da união de diversas instituições. Para Luiz Gonzaga Coelho, o tema é delicado e deve ser discutido em uma união de forças de diversas áreas para que alcance os melhores resultados. O procurador destacou, ainda, a importância do trabalho de prevenção junto às famílias e escolas.

CAMPANHA

A promotora de justiça Cristiane Maia Lago, coordenadora do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos (CAOp-DH), falou sobre a programação de lançamento do evento, que acontece no próximo dia 10, com atividades na Praça Nauro Machado, Casa de Cultura Huguenote Daniel de La Touche e Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, todos no Centro de São Luís.

Entre as atividades previstas estão cinco rodas de conversa, atividades culturais, espaços voltados para livrarias e academias de letras, doação de mudas de plantas, entre outras. A programação terá início às 8h e se estende por todo o dia, sendo encerrada às 17h.

Cristiane Lago também apresentou algumas orientações à imprensa sobre a melhor forma de noticiar casos de suicídio. Entre os cuidados a serem tomados estão o trabalho sempre próximo das autoridades de saúde, termos que não devem ser utilizados, a não publicação de fotos ou cartas suicidas, não dar detalhes dos métodos utilizados e que se evitem estereótipos culturais ou religiosos.

A promotora de justiça também ressaltou que a imprensa pode exercer um papel proativo na prevenção ao suicídio. Nos casos noticiados, os meios de comunicação devem divulgar, junto à notícia, os serviços de saúde mental, com endereços e contatos, alertar para os sinais de comportamentos suicidas e demonstrar empatia aos sobreviventes.

O psiquiatra Ruy Palhano, integrante do Fórum Estadual de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, lembrou que o suicídio era um assunto sobre o qual não se podia falar. Para o psiquiatra, é preciso que a questão seja discutida de forma responsável e institucional. Segundo ele, essa discussão é necessária para que o problema seja prevenido e se possa preparar a sociedade para se engajar na causa.

CRISTIANE LAGO APRESENTAÇÃO

PGJ REDE DO BEM

DANIELA TEMA

PÚBLICO REDE DO BEM

Redação: Rodrigo Freitas (CCOM-MPMA)

Réu é condenado a 12 anos de reclusão por homicídio cometido em 2010

No último dia 20 de agosto, o Tribunal do Júri Popular de Bom Jardim julgou e condenou a 12 anos de reclusão o réu Raimundo Nonato Mendes Alves, mais conhecido como Leilson, pela participação no homicídio praticado contra Francisco das Chagas Cordeiro e Silva, ocorrido no dia 30 de março de 2010.

Após a vítima ser alvejada por vários tiros de arma de fogo, disparados pelo irmão de Leilson, José Ribamar Mendes Alves, o condenado desferiu três facadas nas costas de Francisco, que ainda estava vivo.

Nesse mesmo episódio, também foi assassinado Raimundo Nonato Cordeiro da Silva, que era irmão da vítima. A irmã deles, Valdirene Alves Cordeiro da Silva, sofreu tentativa de homicídio. Ambas as ocorrências foram praticadas por José Ribamar Mendes Alves, vulgo Eliésio. Foragido desde a época dos crimes, Eliésio ainda não foi julgado.

Eles eram vizinhos e, segundo as investigações, o desentendimento surgiu em virtude de um namoro não consentido entre Francisco e Cleane Silva dos Santos, que é prima dos acusados.

Conforme decisão do juízo de Bom Jardim, a pena imposta a Raimundo Nonato Mendes Alves deve ser cumprida inicialmente em regime fechado, após a expedição do mandado de prisão para a Comarca de Senador Canedo (GO), onde atualmente reside o apenado.

OS CRIMES

De acordo com a denúncia do Ministério Público, na ocasião dos crimes, Eliésio convidou Francisco para ir até sua casa mostrar-lhe uma arma. Lá chegando, o acusado pegou a arma que estava no chão, coberta por um pano, e, sem dar chances de defesa a Francisco das Chagas, atirou-lhe duas vezes, sendo uma na cabeça e outra no pescoço.

Depois do primeiro disparo, Raimundo Nonato Cordeiro da Silva saiu correndo de sua casa para saber o que estava acontecendo. Ao chegar à porta de Eliésio, também foi por este alvejado com um disparo que lhe atingiu o rosto, causando-lhe a morte.

Não satisfeito, Eliésio ainda tentou tirar a vida de Valdirene Alves Cordeiro da Silva, que foi ao local para tentar socorrer Francisco das Chagas. O acusado apontou a arma para a cabeça de Valdirene e puxou o gatilho, contudo não havia mais munição. Insatisfeito, deu-lhe uma coronhada no rosto, ferindo-lhe os lábios e fugindo em seguida.

PARTICIPAÇÃO DE RAIMUNDO NONATO ALVES

Mesmo após a sequência de fatos violentos, Raimundo Nonato Mendes Alves desferiu três facadas nas costas de Francisco das Chagas e fugiu na companhia do irmão Eliésio. Por meio da defesa, Raimundo Nonato requereu sua absolvição, alegando que a vítima já se encontrava morta quando desferiu-lhe as facadas.

O Ministério Público do Maranhão foi representado, na primeira fase do processo, pelo promotor de justiça Marco Antonio Santos Amorim, que ofereceu a denúncia contra os dois acusados em 14 de março de 2011. À época, foi requerida a prisão preventiva dos dois irmãos, que estavam foragidos.

Durante o julgamento de Raimundo Nonato Mendes Alves, o órgão ministerial foi representado pelo atual titular da Promotoria de Justiça de Bom Jardim, Fábio Santos de Oliveira. O Tribunal do Júri foi presidido pelo juiz Bruno Barbosa Pinheiro.

Redação: CCOM-MPMA

Fundação Ulysses Guimarães promove, na Alema, projeto Feedback

A Fundação Ulysses Guimarães no Maranhão promoveu, nesta sexta-feira (30), no Auditório Fernando Falcão, da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), o projeto Feedback, que contou com o apoio do deputado estadual Roberto Costa (MDB). O presidente da Fundação no Estado, professor Wellington Gouveia, fez a abertura do evento e relacionou os nomes dos vários palestrantes convidados para falar sobre temas voltados para público de professores e universitários, que lotaram o local.

De acordo com os organizadores, a Fundação Ulysses Guimarães, ligada ao MDB, “é uma instituição nacional com filial no Maranhão, sem finalidade lucrativa, criada para desenvolver projetos de pesquisa aplicada, doutrinação programática e educação política para o exercício pleno da democracia, além de outras atividades, que guardem relação direta com essas premissas. Sua vocação é a de entidade formadora de conceitos norteadores da condução do país rumo ao desenvolvimento democrático”.

O presidente da Fundação Ulysses Guimarães contou que o curso mais pedido é “Dicção e Oratória”; e que a entidade promove, durante todo ano, vários cursos e palestras, principalmente em São Luís, como Política de Gênero, Gestores Municipais e Cidadania e Empreendedorismo. Na abertura, estiveram presentes, também, as professoras Márcia Bonfim e Ivone Rodrigues (Direito Civil); e Ribamar Barros (Conselheiro tutelar).

O presidente da entidade explicou que as ações fazem parte dos projetos Gerando Pensadores e Feedback, que, durante todo ano, oferecem um balanço da série de cursos e palestras solicitadas por igrejas, associações de moradores e outras autoridades. Neste ano, já houve os cursos Feminicídio e o ciclo de palestras “Suicídio – A vida é preciosa”.

As palestras desta nova etapa do projeto Feedback foram ministradas pela advogada e pastora Geane Fernandes (Seja uma mulher inabalável); arquiteta Ingrid Saldanha (Trabalho de Conclusão e Cursos – TCC de Desafios e Estratégias); professora universitária Fabiola Frota (A língua estrangeira no mercado de trabalho); a empreendedora Larissa Carvalho (Comece com um pouco e faça o que goste); a comediante Bianca Travassos (A arte de encantar clientes); e o professor universitário Wellington Gouveia (Oratória Imbatível). 

 

Agência Assembleia

Encontro marca preparativos para implantação do Teste do Olhinho obrigatório no Estado

Médicos, gestores de unidades de saúde e estudantes estiveram presentes hoje, em São Luís, na cerimônia de apresentação e lançamento do Teste do Olhinho obrigatório no Maranhão. Foi o primeiro encontro realizado para esclarecimentos importantes que podem beneficiar cerca de 115 mil crianças que nascem a cada ano no território maranhense.

“É um teste simples, rápido e fácil de ser executado. Se as doenças não forem tratadas a tempo há risco para o desenvolvimento normal da criança. Esse aqui é um pontapé inicial de um grande projeto e de um grande sucesso para o nosso estado do Maranhão”, comemorou o médico oftalmologista e professor da UFMA, Álvaro Bruno Botentuit, que sugeriu a lei recentemente sancionada pelo governador Flávio Dino.

Aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa do Estado, por meio de um projeto apresentado pelo deputado Arnaldo Melo, a lei estabelece que o exame também chamado de Teste do Reflexo Vermelho deve ocorrer em até 48 horas após o nascimento. Por meio dele, é possível detectar problemas na visão como catarata e glaucoma congênitos, tumores e até casos de cegueira que atingem cerca de 33 mil recém-nascidos por ano no Brasil.

A novidade que vai chegar em breve em maternidades públicas da capital e do interior foi recebida com grande expectativa no auditório da Secretaria de Saúde do Estado, como afirma a diretora de saúde da Regional de Rosário, Elizabeth de Castro Oliveira Menezes.

“Vamos ajudar na divulgação junto aos municípios e esperamos que a atenção primária desses municípios venha dar um grande avanço alcançando as mães, sensibilizando da necessidade da realização destes exames. Ficamos felizes com o equipamento que vai ser doado. Isso é um grande incentivo”, disse.

O diretor administrativo do Hospital Regional de Morros, onde são realizados em média 30 partos por mês, também esteve presente e reconheceu a importância do teste.

“A gente vai ser multiplicador do que foi informado aqui, vamos sensibilizar nossa equipe multidisciplinar e trabalhar para que as crianças sejam atendidas”, antecipou.

A secretária adjunta de Assistência à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Carmen Belfort, representou o secretário Carlos Lula. Ao público presente, disse que é preciso ter atitude para que a lei entre em vigor imediatamente.

“O encontro foi muito bom. Avaliamos que tivermos uma grande adesão. Vários municípios se fizeram presentes, inclusive secretários municipais de saúde. O evento cumpriu a sua missão. Seu propósito era dizer que agora é lei estadual, que temos parceiros como doutor Álvaro e que nós estaremos à disposição para que Estado e municípios consigam que essa lei entre em vigor o mais rápido possível”, destacou.

O processo de aquisição dos equipamentos está em fase final. A licitação já ocorreu e a empresa vencedora obteve prazo de 60 dias para fazer a entrega ao Governo. Após isso, haverá treinamento para o uso correto nas cidades.

Amazônia é centro de debates em frentes e comissão

A Amazônia vai dominar as ações da Comissão Mista de Mudanças Climáticas e de um fórum formado por frentes parlamentares e entidades da sociedade civil. Ambos iniciaram os trabalhos nesta quarta-feira (28). A comissão do Congresso Nacional existe desde 2008 para acompanhar, monitorar e fiscalizar as ações relativas às mudanças climáticas no Brasil. Relator da comissão, o deputado Edilázio Junior (PSD-MA) disse que pretende debater a soberania brasileira na Amazônia e a proteção ambiental “sem extremismo nem apego raivoso”.

“É o tema hoje de todas as rodas no Congresso: onde nós chegamos, todos falam da situação que vem acontecendo na maior riqueza natural do mundo. Nós temos o privilégio de ser os donos dessa riqueza: o Brasil ser soberano e ter essa floresta. Temos que tomar as medidas cabíveis e, de maneira sustentável, produzir e preservar. As nossas leis em relação ao desmatamento são muito brandas e acho que a gente tem que aprofundar esse debate”.

Por 8 votos a 7, o senador Zequinha Marinho (PSC-PA) foi eleito presidente da Comissão Mista de Mudanças Climáticas. Alguns parlamentares, como o senador Fabiano Contarato (Rede-ES), reclamaram de quebra do acordo que previa a eleição do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Zequinha Marinho pediu “equilíbrio” nas discussões. “Até que enfim o mundo, de repente, percebeu que na Amazônia mora alguém, por causa da fumaça. Dizem que fumaça é sinal de pedido de socorro. Chegou a hora de a gente fazer uma análise de toda essa situação”.

O senador lembrou que 20 milhões de pessoas vivem hoje na Amazônia e, como forma de prevenção de queimadas, defendeu a regularização fundiária e o uso de novas tecnologias para o cultivo da terra. Atual vice-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, o deputado Sérgio Souza (MDB-PR), foi eleito para a vice-presidência da comissão mista.

Frentes parlamentares
Em outra linha de atuação, deputados das frentes parlamentares Ambientalista; Indigenista e Quilombola se uniram a entidades da sociedade civil (OAB, UNE, MST, ONGs e sindicatos) para articular ações de combate à crise socioambiental na Amazônia. A ideia, conforme informou a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), é ter uma ação conjunta na agenda legislativa.

“Uma agenda para dentro do Congresso e uma agenda para fora, em vários estados e em várias instâncias, para que a gente busque recuperar as políticas ambientais, uma ação imediata sobre a Amazônia e, ao mesmo tempo, a recuperação do marco regulatório ambiental no Brasil”.

O fórum quer, por exemplo, o fortalecimento de órgãos ambientais, como o Ibama e o ICMBio; além do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Serviço Florestal Brasileiro. Outra reivindicação é o restabelecimento do Fundo Amazônia e do Fundo Clima. Por outro lado, as entidades cobram a retirada de propostas que, segundo elas, enfraquecem o Código Florestal e o licenciamento ambiental. Presente no lançamento do fórum, o índio Kaiapó Meganon pediu atenção das autoridades aos povos tradicionais.

“Tem que ter uma preocupação com os povos que ocupam a Amazônia, como índio, quilombola, ribeirinho e pequeno produtor, porque, se continuar assim, vem desmatamento. Tem que fazer um documento para o presidente da Câmara e o presidente do Senado para eles fazerem alguma coisa, porque, eu vou falar: o ruralista, apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, está forte”.

A aprovação da Política Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais também está na lista de reivindicações do fórum de frentes parlamentares e entidades da sociedade civil.

 

camara.leg.br

Deputados discutem ações para enfrentamento das queimadas no Maranhão

O problema das queimadas, a defesa da Amazônia e a preservação do meio ambiente foram temas discutidos no plenário da Assembleia Legislativa na sessão desta quarta-feira (28).

Os deputados Adelmo Soares (PCdoB), Cleide Coutinho (PDT) e Zito Rolim (PDT) abordaram o assunto na tribuna, observando que, por conta das queimadas, a Amazônia virou notícia nos principais canais de comunicação do país e do mundo. E o debate tomou conta das redes sociais, noticiários de TV e, inclusive, com discussão entre líderes políticos do cenário internacional.

Ao iniciar o discurso, o deputado Adelmo Soares lembrou que o Maranhão e mais oito estados compõem a chamada Amazônia Legal, área que todos os anos tem sido palco de queimadas e de incêndios criminosos, com desdobramentos na agropecuária e plantações latifundiárias.

De acordo com o último relatório apresentado pelo Instituto Maranhense de Estudo Socioeconômicos e Cartográficos, que analisa os dados referentes aos meses de abril a junho deste ano, o Maranhão é o primeiro no ranking dos estados do Nordeste com maior quantidade de focos de incêndio e de queimadas.

“Quando eu fui secretário de Estado, três anos atrás, eu e o deputado Neto Evangelista formamos uma grande comissão com o Corpo de Bombeiros e o Maranhão passou por momentos mais terríveis em relação a queimadas na região leste, próxima a Barra do Corda e Presidente Dutra. Portanto, precisamos nos preparar para esse momento que está se aproximando cada vez mais”, afirmou Adelmo Soares.

Ele frisou que o governador Flávio Dino já solicitou apoio das Forças Armadas para ajudar no combate aos focos de incêndios que também assolam o Maranhão. “Nós precisemos formar comissões, sentar e discutir para evitar as queimadas. Tive a preocupação de ver quais os municípios estão com maiores problemas em relação às queimadas”, acrescentou.

Segundo Adelmo Soares, o município de Balsas se apresenta com mais de 1.300 focos de incêndio; o município de Mirador com quase mil; Fernando Falcão, Carolina, Riachão, Grajaú, Loreto, São Félix de Balsas, Alto Parnaíba e Sambaíba estão operando no limite máximo das queimadas.

“O governador Flávio Dino, também preocupado com isso, já fez uma importante reunião e criou uma sala de situação para que nós possamos estudar e avançar, ainda mais rapidamente no combate a essas queimadas”, acentuou Adelmo Soares.

Práticas sustentáveis

A deputada Cleide Coutinho afirmou que é preciso combater e evitar queimadas, assinalando que o governador Flávio Dino editou um decreto que proíbe uso de fogo para limpeza de áreas durante o período de estiagem.

“Como empresária, eu estou conclamando a todos para fazermos nossa parte. Não só os empresários, os pecuaristas, mas também toda a população fazer a sua parte. Conclamo os proprietários, fazendeiros, sitiantes e de outros imóveis para tomar cuidado, evitando incêndios e combatendo os focos de queimada nas fazendas, sítios, quintais ou terrenos baldios próximos a áreas rurais”, discursou Cleide Coutinho.

Ela frisou ainda que as queimadas devastam a vegetação, matam os animais, causam prejuízos enormes ao meio ambiente, à economia e à população.

“O Brasil e o Maranhão, infelizmente, estão tendo prejuízos enormes de margem de recursos por conta das queimadas irresponsáveis ou involuntárias que surgem de todos os lugares”, acrescentou a parlamentar.

Segundo ela, o decreto editado pelo governador Flávio Dino alerta que, mesmo nos casos em que o emprego de fogo em práticas agropastoris ou florestais seja legalmente autorizado, deve haver substituição por práticas sustentáveis sempre que possível.

“Um cigarro aceso, jogado no mato pode causar um grande incêndio de pastagens, da floresta, da vegetação rasteira de proporções incontroláveis. A falta de aceiros adequados também. Morrem o gado e todas as espécies de animais e vegetais”, advertiu a deputada Cleide Coutinho.

Campanhas educativas

O deputado Zito Rolim, em seu discurso, disse que alguns produtores, sobretudo os médios fazendeiros, preparam-se contra queimadas com estrutura própria para combater o início de incêndios.

“Mas aqueles que não têm essa estrutura e muitas vezes pelo fogo provocado por pequenos agricultores que não se organizam e ao fazerem as queimadas dos seus roçados, que na maioria deles são feitos de forma manual, a roça no toco, causa grande prejuízo não só pela queima do pasto, mas também pela dificuldade que vai ter o criador em manter o seu rebanho”, afirmou Zito Rolim.

Para ele, o problema é preocupante e se faz necessário o esclarecimento de toda a sociedade, com campanhas educativas voltadas especialmente para os produtores.

Zito Rolim elogiou a postura do governador Flávio Dino na reunião dos governadores da Amazônia Legal com o presidente Jair Bolsonaro.

“O governador do Maranhão demonstrou a sua capacidade, o seu equilíbrio e a sua intenção em ajudar, principalmente, o nosso estado. Portanto, quero parabenizar o nosso governador, que se saiu muito bem naquela reunião, a ponto de ter obtido grande repercussão nacional”, ressaltou Zito Rolim.

 

Agência Assembleia

error: Content is protected !!