Pesquisa revela que apenas 14% dos cristãos sabem responder questões básicas sobre a Bíblia

Uma nova pesquisa do Instituto Americano de Cultura e Fé revelou um contraste visível entre aqueles que se declaram cristãos e os que vivem realmente de acordo com os princípios bíblicos.

Leitura Bíblica. (Foto: Desiring God)

  Apesar de mais de 70% dos norte-americanos se identificarem como cristãos, apenas cerca de 14% desse grande grupo sabe responder questões básicas sobre a sua própria fé cristã.

Uma nova pesquisa do Instituto Americano de Cultura e Fé revelou um contraste dramático entre aqueles que vivem de acordo com os princípios cristãos e aqueles que se declaram cristãos. Ela destacou como relativamente poucos poderiam responder perguntas simples sobre a Bíblia e crenças cristãs. “Nossa pesquisa coletou informações sobre atitudes e comportamentos relacionados a questões práticas como mentir, trapacear, roubar, consumir pornografia, a natureza de Deus e as consequências do pecado não resolvido”, disse o pesquisador George Barna, que dirigiu os estudos. “Isso é o que torna a discrepância entre a porcentagem de pessoas que se consideram cristãs – mais de sete em cada 10 – e aqueles que têm de fato uma visão bíblica sobre o mundo – apenas um em cada 10. Isso é alarmante”, destacou o diretor, falando sobre um contexto geral dos cidadãos dos EUA. Dentro do contexto cristão do país na pesquisa, a porcentagem dos que realmente sabem sobre questões básicas da Bíblia representa 14%. O questionário ‘Christianity 101’ (‘Cristianismo 101’) foi respondido por 6.000 pessoas e foi dividido com 20 perguntas sobre crenças espirituais básicas e outras 20 sobre comportamento. As respostas foram então avaliadas em relação ao conteúdo bíblico e o número de respostas biblicamente consistentes foi computado para cada respondente. As pontuações foram usadas para avaliar se os entrevistados eram “discípulos integrados” – um termo usado para descrever quando as crenças indicadas de uma pessoa afetam sua própria vida. Em resposta às críticas sobre julgar a sinceridade do cristianismo das pessoas, uma

declaração de Barna destacou que realmente é uma questão delicada e que a pesquisa apenas fornece uma estimativa, nada absoluto. “Toda vez que você tenta medir a visão de mundo ou a posição espiritual das pessoas, você tem que pisar com cuidado. Reconhecemos que esta pesquisa fornece uma estimativa, não um absoluto. Somente Deus realmente sabe quem é um cristão. Só Ele sabe quem tem uma cosmovisão bíblica. Só Deus sabe o que há na mente e no coração de cada pessoa”, explicou.

Fonte: Guia-me

Malafaia critica evangélica que desfilará nua no carnaval: “Testemunho dela contraria a Palavra”

Sobre a imprensa, Malafaia fez as ponderações de sempre sobre a parcialidade dos veículos de comunicação quando se trata da comunidade cristã evangélica: “O que eu acho interessante dessa reportagem é o seguinte: quando é coisa de pastor, de igreja evangélica, eles não vão conferir, não”, esbravejou.

Indignado, Silas Malafaia disse que o jornal Extra publicou a matéria “como se pastor evangélico concordasse com nudez”, e acrescentou: “Nós temos a Bíblia, somos seguidores da Bíblia, que condena que se use o corpo como instrumento de cobiça e pecado”.

“Eu conheço a igreja [Projeto Vida Nova]. É uma igreja séria. O apóstolo Ezequiel Teixeira emitiu uma nota, aí eles [jornal Extra] colocaram no online, porque receberam a nota. Agora, porque não foram perguntar ao pastor se a informação dela [passista] era verdadeira ou não? Isso tudo é um joguinho, ridículo”, atacou.

Assista ao vídeo do pastor Silas Malafaia:

 

Pastor é forçado a cavar buracos oito horas por dia em prisão, na Coreia do Norte

Imagem redimensionada
Diplomatas do Canadá fizeram uma rara visita à Coreia do Norte nesta semana. Eles foram ver o pastor canadense que está cumprindo uma sentença de prisão perpétua por subversão. As informações são de um oficial do ministério das Relações Exteriores.

Hyeon Soo Lim, que serviu em uma das maiores igrejas do Canadá, foi condenado a trabalhar de forma exaustiva pela sua vida em dezembro de 2015. A Coreia do Norte disse que ele estava tentando derrubar o regime local.

Chantal Gagnon, porta-voz do ministro canadense de Relações Exteriores, Stephane Dion, confirmou um relatório da agência de notícias KCNA da Coréia do Norte que disse que os diplomatas visitaram o país de terça a quinta-feira e viram Lim.

“Nós ainda estamos muito preocupados com a saúde dele, além de seu bem-estar e sua prisão perpétua. Estamos trabalhando ativamente para garantir sua libertação”, disse ela. “Este caso é uma prioridade para nós”, acrescentou, recusando-se a dar detalhes da saúde de Lim.

Em uma declaração, a igreja de Lim, em Toronto, disse que “esperamos que este seja um sinal positivo de que veremos o Reverendo Lim em liberdade muito em breve”.

O Canadá estabeleceu relações diplomáticas com Pyongyang em 2001, mas congelou-as em 2010. Ottawa agora diz que só falará com a Coreia do Norte sobre segurança regional, direitos humanos e casos consulares.

A igreja disse que Lim visitou a Coréia do Norte mais de 100 vezes desde 1997 e ajudou a montar um orfanato e uma casa de repouso. Lim, que tem 60 anos, passa oito horas por dia cavando buracos em um campo de trabalho onde não vê outros prisioneiros.

Confissão forçada

Em agosto passado, Lim foi forçado a confessar diante de câmeras que cometeu crimes contra o Estado. Sua confissão também foi acompanhada pela congregação da Igreja Pongsu de Pyongyang (Coreia do Norte). Lim foi mais tarde condenado a um regime de trabalhos forçados na cadeia, durante uma audiência realizada em 16 de dezembro de 2015.

Fonte: Guia-me