Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Pastor Carlos Brito revela os detalhes da MARCHA PRA JESUS 2018

A 7ª Edição da Marcha pra Jesus promete reunir centenas de pessoas no dia 18 de agosto. No último sábado (04), o Conselho de Pastores de Codó se reuniu na Comunidade Nova Vida para traçar planos para Marcha pra Jesus 2018.

Foto: Reunião do Conselho de Pastores na Comunidade Nova Vida

Na tarde desta terça-feira (07), o presidente do Conselho de Pastores Carlos Brito revelou ao blog do Leonardo Alves todos os detalhes da Marcha pra Jesus 2018.

O evento é realizado anualmente pelo Conselho de Pastores, uma maneira de mostrar que a igreja evangélica não é restrita a templos, mas viva e aberta a toda sociedade. Em 2017 a marcha foi considerada um grande sucesso.

Foto: Marcha pra JESUS realizada em 2017

Vereador Pastor Max representando o Conselho de Pastores esteve reunido com o Secretário de Governo João dos Plásticos, Diretor de Esportes Júnior Goiabeira e prefeito Francisco Nagib, para definir os últimos detalhes da marcha, informou Carlos Brito.

A concentração será na praça do campo do tiro de guerra às 16:30 h, com trajeto na avenida 1° de maio encerrando na praça São Sebastião onde estará o palco montado para uma vasta programação de louvores, apresentação de grupos de danças e teatro e a poderosa ministração da palavra de Deus.

A Marcha pra Jesus é importante porque traz a unificação dos ministérios das igrejas, um movimento de declaração ao nome de JESUS, que faz menção ao nome dele. É uma declaração de fé.

A camisa do evento custa apenas 25(vinte e cinco reais), e você poderá solicitar na sua igreja com seu líder ou na Malharia Ekilibrio próximo a praça da bandeira. Adquira já a sua e venha marchar pra JESUS.

 

Vereador Nonato Sampaio confirma sua candidatura em grande convenção em São Luís

No dia 28 de Julho na convenção em São Luis dos partidos de apoio a Flavio Dino o vereador Nonato Sampaio confirmou pelo seu partido Solidariedade sua Pré Candidatura a Deputado Estadual, a decisão ocorreu após varias reuniões entre Nonato e o presidente do partido no maranhão Simplicio Araújo

 Nonato Sampaio

Em nota enviada ao blog do Leonardo Alves, Nonato falou da sua candidatura ao cargo de Deputado Estadual na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão(ALEMA).

Leia na íntegra:

Olha Companheiro, o Brasil vive uma expectativa muito grande em que a sensação do povo Brasileiro e de uma reforma muito grande no cenário político atual, e o Maranhão também vive essa expectativa, por esse motivo, pela necessidade de mudança é que eu, Nonato Sampaio, estou colocando o meu nome à disposição do povo Maranhense e em especial aos nossos amigos e amigas de Codó.

Sabemos que Codó tem essa necessidade de ter um representante na Assembleia Legislativa, não podemos aceitar que uma cidade do tamanho da nossa, com um potencial muito grande em poder de votos continue sem essa representatividade.

E vejo nesse momento uma chance muito grande da nossa cidade mostrar o seu potencial e que esse senário mude, que essa mudança não seja somente elegendo um representante, mais que esse representante seja um novo que possa corresponder com as expectativas do nosso povo.

Eu estou vereador do nosso município, mais tenho que admitir vereador tem um papel importante na comunidade, mas somos limitados porque temos apenas o poder da indicação e somente isso não faz com que nossa vontade de poder ajudar ao nosso povo seja feita, principalmente quando não comungamos com o pensamento de quem tem o poder de executar as nossas indicações.

Por este e vários outros motivos, eu estou lançando o meu nome à disposição da nossa comunidade codoense e a disposição do povo maranhense, pois uma vez eleito serei um representante de todos.

O que posso garantir é que o povo Maranhense pode esperar de mim uma vez eleito, muita determinação e muito força de vontade em fazer com que as políticas públicas sejam executadas principalmente em benefícios dos mais necessitados do nosso município e do nosso estado. Iremos fazer um grande evento em nosso município, evento esse que lançaremos a nossa campanha, campanha que será feita com muita responsabilidade. E quero aproveitar esse momento para pedir aos nossos amigos e amigas Codoenses e Maranhenses, que nos apoie nessa luta que será uma luta muito grande, aonde eu uma vez eleito a vitória será de todos nós.

Eu estou fazendo parte do grupo ligado ao nosso governador Flavio Dino, aonde iremos seguir para que o maranhão continue crescendo, e claro eu como deputado a nossa cidade participará de forma mais ativa desse crescimento, para deputado Federal estou alinhado ao nosso companheiro Simplício Araújo, ex-secretário de Estado, uma pessoal de grande Potencial, pois já demonstrou isso em apenas 02 anos como Deputado Federal foi eleito entre os melhores do Brasil, e mostrou muita competência a frente da Secretaria de Industria e Comercio do nosso Estado, sendo uma das Secretarias mais atuante e que mais se destacou no governo Flavio Dino, tenho a convicção que será eleito por tudo que tens feito e por tudo que ainda pode fazer em favor do nosso estado.

Por fim, quero agradecer a todos e a você por nos dar a oportunidade de passar ao nosso povo a nossa ideia a nossa vontade de trabalhar e fazer com que a nossa cidade cresça e com que o nosso maranhão se desenvolva.

MARANHÃO TERÁ CANDIDATO MAIS JOVEM CONCORRENDO AO SENADO

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) homologou, no último sábado (4), o nome do advogado e deputado estadual Alexandre Almeida como candidato ao Senado federal. Assim, Almeida consolida-se como o candidato mais jovem do Brasil. Hoje, a média de idade dos atuais senadores é de 58 anos. Tradicionalmente, as vagas vêm sendo ocupadas por políticos que já tiveram diversos mandatos, e chegam ao Senado para fechar a “carreira”.

Alexandre Almeida iniciou na política aos 21 anos, quando foi eleito vereador pela cidade de Timon. “Entrei na política por entender que, como cidadão, precisava participar ativamente das decisões da minha cidade. Nunca vi a política como uma profissão, mas como um instrumento de construção de uma sociedade melhor”, destacou o deputado. “Esse é o ideal que continua me movendo, o Maranhão não precisa de políticos profissionais, que só prometem. Ninguém aguenta mais promessas de futuro, esse futuro que nunca chega para o povo. Precisamos falar do presente”, pontuou.

Segundo Alexandre Almeida, os políticos tradicionais são a maioria na Câmara dos Deputados, no Senado, nas Assembleias, nas Câmaras de Vereadores e nos Palácios de Governo por todo Brasil. “Não é diferente no Maranhão. Esses políticos profissionais se preocupam mais com seus partidos, com os seus financiadores, do que com projetos; se preocupam mais com a perpetuação no poder do que com as mudanças reais para nós e para a nossa gente. Eles se perpetuam no poder com esse jeito mesquinho de fazer política. Para mim, está claro que a hora de acabar com isso chegou. É a hora de uma nova consciência, não podemos mais esperar”, ressaltou.

Além da juventude, Alexandre Almeida também aposta em outra característica importante, o fato de não pertencer a nenhuma família de políticos tradicional do estado. “Construí a minha história política através de muito trabalho, compromisso e responsabilidade. Não sou herdeiro político. Abri o meu caminho conquistando a confiança do povo sofrido do Maranhão, e é por esse povo que estou nessa disputa”, finalizou Alexandre Almeida.

Alexandre Almeida

 

Meio milhão de jovens com 16 e 17 anos tiraram o título em 2018

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou dados animadores sobre a população brasileira apta para votar no mês de junho, o primeiro após o fim do cadastramento para as eleições deste ano. Há 1,9 milhão de pessoas entre 16 e 17 anos com título, apesar do voto não ser obrigatório antes dos 18. São 500 mil jovens a mais em relação ao mês de janeiro.

Entre toda a população de 16 e 17 anos, 29,5% estão com o título em mãos. É a maior alta desde 2006, segundo a Folha de S. Paulo. O jornal cruzou informações da população nacional (fornecidas pelo IBGE) e de votantes (do TSE).

Na última eleição presidencial, em 2014, apenas 23% dos adolescentes estava cadastrada. Eram 35% em 2010, 37% em 2006, 31% em 2002 e 26% em 1998.

Entre abril e maio, a campanha da UBES “Se Liga, 16!” mobilizou a juventude do país todo sobre a importância de participar da política e das eleições, com bate-papos e rolês até os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs).

Às vésperas das eleições, a UBES promove ainda uma campanha em defesa da escola pública, para que os temas relacionados à educação ganhem o centro dos debates sobre o Brasil que a sociedade quer construir. De 10 a 16 de agosto, os secundaristas constroem a Jornada de Lutas “Nesta eleição, defenda a educação”.

Novos eleitores

Pedro Gorki presidente da UBES com título de eleitor

Aos 17 anos, o próprio presidente da UBES tirou seu título em maio

O presidente da UBES, Pedro Gorki, explica por que a atenção para o assunto: “Votar é a chance de escolhermos projetos e ideias que nos atendam, que melhorem a educação pública, que promovam a vida dos jovens negros nas periferias, que garantam o acesso ao transporte, à saúde, à cultura, ao emprego, ao desenvolvimento. Se a maioria dos nossos problemas nasce da política, não há saída para esses problemas fora da política”.

Natália de Freitas, do Rio Grande do Norte, tem 17 anos e começou a pensar sobre política este ano. Assim como muita gente da sua geração, ela passou a se interessar pelo contexto do país e notar que sua escola fazia parte de um universo maior. “Percebi que, querendo ou não, a política está presente nas nossas vidas”, diz a potiguar, também diretora de Meio Ambiente do seu grêmio.

“Tenho vontade de me envolver mais e mostrar que estou aqui, buscando meus direitos e ocupando espaços de poder”, completa Natália. Ela está se informando sobre projetos e ideias para  poder decidir quais candidatos receberão seus primeiros votos.

 

 

Fonte: UBES

SOLIDARIEDADE: Professor Paulo Roberto precisa da sua ajuda para realizar transplante de fígado

O professor Paulo Roberto está realizando um bingo beneficente para realizar uma cirurgia de transplante de fígado com os seguintes prêmios: 1° prêmio: 01 (um) aparelho de DVD, 2° prêmio: 01(um) ventilador, 3° prêmio: 01 (uma) TV de 20 polegadas. O bingo será realizado no dia 02 de setembro no Clube Point do Forró no Bairro Nova Jerusalém (sítio Galenos Bar), a partir das 16:30 e o valor da cartela custa apenas 5 reais. Colabore com este ato e desfrute um dia de lazer em um ambiente agradável com piscina, campo society e bar com atendimento das 9h às 18 h.

Para adquirir sua cartela você pode procurar Adriana ou Edilson na Secretaria Municipal de Educação. Maiores informações pelo telefone (99)9-81456252.

Professor Paulo Roberto conta com sua ajuda.

Paulo Roberto

Dr. José Francisco segue fortalecendo sua candidatura rumo á Câmara dos Deputados

O médico codoense e candidato a Deputado Federal José Francisco serviu um café da manhã para mais de 600 (seiscentos) amigos, que aconteceu na manhã deste domingo (05), na Churrascaria Shalom. Estiveram presentes os advogados José Mendes e Machado, assessoria do deputado Zé Inácio e outras lideranças da região. José Francisco segue fortalecendo seu grupo político rumo á Câmara dos Deputados.

O jovem Professor Jairo teve seu nome aprovado como candidato a Deputado Federal

A REVELAÇÃO DA POLÍTICA MARANHENSE EM 2018.

O Jovem professor Jairo, teve seu nome aprovado como candidato a deputado federal, em convenção estadual do partido REDE SUSTENTABILIDADE. O evento aconteceu no dia 03 de agosto, no auditório da Casa do Trabalhador, em São Luís.

O Jovem professor Jairo é filho de lavrador. Mesmo trabalhando na roça para auxiliar na subsistência da família, demonstrou foco e determinação, vencendo as dificuldades de conciliar trabalho rural com os estudos. Com bravura, o menino sonhador se formou em Letras foi aprovado em vários concursos; hoje professor efetivo da rede municipal e estadual, e bacharelando em Direito. Líder de movimentos sociais em prol de melhorias na prestação de serviços públicos como merenda escolar de qualidade, infraestrutura de escolas, iluminação pública, pavimentação de rodovias e também foi presidente do sindicato de servidores públicos ( SINTESPEM).

Professor Jairo defendeu e continua a lutar por uma política limpa. E para uma maior atuação resolveu lançar seu nome para deputado federal.

Polícia prende quatro homens com mais de 500 cartões do Bolsa Família

Policiais do 3° Batalhão de Policia Militar, prenderam por volta das 23 hrs na cidade de Governador Edson Lobão, quatro homens da cidade de Bacabal(Ma) com eles foram apreendidos aproximadamente 600 cartões, sendo 500 do Bolsa Familia e outros Cartão Cidadão.

Além dos cartões foram apreendidos uma maquina de cartão de credito, um not book, uma impressora, as prisões foram feita pela Força Tática e auxílio do GOE, os quatros estavam vindo do Complexo Turístico de Pedra Caída, onde lá gastaram uma quantia superior a quatro mil reais.

Os quatro presos foram, Micael Andre Silva Vale, Marcelo da Silva Santos, Francisco Romario Costa Araujo e  Bruno Henrique Lima Carvalho, todos foram apresentados no Plantão Central da 10 Delegacia Regional de Imperatriz, os procedimentos legais foram feitos pelo Delegado Vital.

 

Fonte: Notícia da Foto

Candidatos à Presidência da República nas eleições de 2018: veja quem são

Veja os nomes confirmados pelos partidos para a disputa pela Presidência da República nas eleições de 2018, em ordem alfabética:

Alvaro Dias (Podemos)

O senador Alvaro Dias, candidato do Podemos à Presidência, durante a convenção do partido (Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo)O senador Alvaro Dias, candidato do Podemos à Presidência, durante a convenção do partido (Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo)

O senador Alvaro Dias, candidato do Podemos à Presidência, durante a convenção do partido (Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo)

Podemos confirmou o senador Alvaro Dias como candidato à Presidência em convenção no sábado (4), em Curitiba. O vice da chapa é o economista Paulo Rabello de Castro, do PSC, que desistiu de ter candidatura própria.

Dias cumpre o quarto mandato de senador (três consecutivos desde 1999 e um de 1983 a 1987). Entre 1987 e 1991, foi governador do Paraná. Começou a carreira política no então PMDB, hoje MDB. Depois passou por PST e PP, até se filiar ao PSDB, em 1994.

Em 2001, foi expulso por agir contra orientações do partido, mas retornou em 2003 e voltou a sair em janeiro de 2016, para entrar no PV. No ano seguinte foi para o Podemos, antigo PTN, partido pelo qual anunciou a pré-candidatura à Presidência da República em novembro, durante evento no Rio de Janeiro.

Cabo Daciolo (Patriota)

Ao centro da foto, Cabo Daciolo e Suelene Balduino, do Patriota (Foto: Adriano Oliveira/G1)Ao centro da foto, Cabo Daciolo e Suelene Balduino, do Patriota (Foto: Adriano Oliveira/G1)

Ao centro da foto, Cabo Daciolo e Suelene Balduino, do Patriota (Foto: Adriano Oliveira/G1)

Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos, de 42 anos, foi eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro nas eleições de 2014. Ele disputará a Presidência pela primeira vez.

Ciro Gomes (PDT)

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, durante convenção do partido no dia 20 de julho (Foto: Walterson Rosa/Framephoto/Estadão Conteúdo)O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, durante convenção do partido no dia 20 de julho (Foto: Walterson Rosa/Framephoto/Estadão Conteúdo)

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, durante convenção do partido no dia 20 de julho (Foto: Walterson Rosa/Framephoto/Estadão Conteúdo)

PDT definiu o nome de Ciro Gomes como candidato à Presidência em convenção partidária em 20 de julho, em Brasília. A senadora Kátia Abreu, também do PDT, será a candidata a vice, disse o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, em decisão que deve ser oficializada nesta segunda-feira (6).

Atual vice-presidente do partido, Ciro Gomes foi ministro da Fazenda entre setembro de 1994 e janeiro de 1995, período do final do governo de Itamar Franco e início do governo Fernando Henrique Cardoso. Foi também ministro da Integração Nacional, entre janeiro de 2003 e março de 2006, no primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.

Disputou a Presidência duas vezes (1998 e 2002, derrotado em ambas). Foi governador do Ceará, prefeito de Fortaleza e deputado estadual e federal pelo Ceará. Já se filiou a sete partidos (PDS, PMDB, PSDB, PPS, PSB, PROS e PDT).

Geraldo Alckmin (PSDB)

O ex-governador de SP Geraldo Alckmin durante convenção do PSDB, em Brasília (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)O ex-governador de SP Geraldo Alckmin durante convenção do PSDB, em Brasília (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

O ex-governador de SP Geraldo Alckmin durante convenção do PSDB, em Brasília (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Médico de formação, Geraldo Alckmin começou a carreira pública em Pindamonhangaba, onde se elegeu vereador em 1973. Depois, foi prefeito da cidade e deputado estadual e federal por São Paulo. Em 1986, se elegeu deputado constituinte federal. Em 1988, deixou o então PMDB para fundar o PSDB. Em 2001, assumiu o governo de São Paulo após a morte do então governador Mário Covas. Reelegeu-se em 2002.

Em 2006, Alckmin disputou a Presidência e perdeu para o então presidente Lula. Em 2010, elegeu-se novamente para o governo de São Paulo, reeleito em 2014. Em dezembro de 2017, foi eleito presidente nacional do PSDB e anunciou a pré-candidatura para o Palácio do Planalto.

Guilherme Boulos (PSOL)

Guilherme Boulos, candidato do PSOL à Presidência (Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo)Guilherme Boulos, candidato do PSOL à Presidência (Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo)

Guilherme Boulos, candidato do PSOL à Presidência (Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo)

PSOL confirmou em convenção nacional em 21 de julho, em São Paulo, a escolha de Guilherme Boulos como candidato à Presidência da República. A candidata a vice-presidente é a ativista indígena Sônia Guajajara, também do PSOL.

Boulos tem 36 anos e é coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). Ele disputará a Presidência pela primeira vez. Antes de se tornar líder do MTST, Boulos foi militante estudantil na União da Juventude Comunista e se formou em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP).

Filiou-se em março ao PSOL. No mesmo mês, foi lançado como pré-candidato após receber maioria dos votos em disputa com outros três nomes do partido.

Henrique Meirelles (MDB)

O candidato do MDB à Presidência, Henrique Meirelles (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)O candidato do MDB à Presidência, Henrique Meirelles (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

O candidato do MDB à Presidência, Henrique Meirelles (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

MDB oficializou a candidatura de Henrique Meirelles em 2 de agosto,em convenção em Brasília. O ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto, também do MDB, será o vice na chapa.

Ex-ministro da Fazenda do governo Michel Temer, Meirelles fez carreira como executivo da área financeira. Ocupou a presidência do Bank of Boston no Brasil entre 1984 e 1996, quando foi escolhido para presidente mundial da companhia.

Em 2002, Meirelles se elegeu deputado federal pelo PSDB de Goiás. Em 2003, assumiu a presidência do Banco Central, escolhido pelo então presidente Lula. Comandou o BC até 2010, quando terminou o governo Lula. Em abril deste ano, trocou o PSD pelo MDB. Voltou a integrar o governo em 2016, como ministro da Fazenda, convidado Temer, que assumiu após o afastamento e posterior impeachment de Dilma Rousseff.

Jair Bolsonaro (PSL)

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, durante a convenção do partido (Foto: Ian Cheibub/Agif/Estadão Conteúdo)O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, durante a convenção do partido (Foto: Ian Cheibub/Agif/Estadão Conteúdo)

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, durante a convenção do partido (Foto: Ian Cheibub/Agif/Estadão Conteúdo)

PSL confirmou o deputado federal Jair Bolsonaro como candidato da legenda à Presidência da República em 22 de julho, no Rio de Janeiro. O candidato a vice será o general Hamilton Mourão, do PRTB.

Militar da reserva, Bolsonaro cumpre o sétimo mandato consecutivo como deputado. Em 5 de janeiro, o parlamentar deixou o Partido Social Cristão (PSC) e anunciou que se filiaria ao PSL. Pouco depois, anunciou que pela sigla seria pré-candidato à Presidência, nona legenda à qual se filiou.

Atualmente o parlamentar é réu em ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposto crime de apologia ao estupro e injúria, por afirmar que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela “não merece”. A defesa nega que Bolsonaro tenha feito apologia ao estupro.

João Amoêdo (Novo)

O candidato à Presidência pelo Partido Novo, João Amôedo (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)O candidato à Presidência pelo Partido Novo, João Amôedo (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

O candidato à Presidência pelo Partido Novo, João Amôedo (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Estadão Conteúdo)

Partido Novo oficializou a candidatura de João Amoêdo à Presidência da República no sábado (4). Ele terá como candidato a vice o professor universitário Christian Lohbauer, de 51 anos.

O empresário carioca de 55 anos fez carreira como executivo de empresas e, em novembro do ano passado, foi anunciado como pré-candidato a presidente do Partido Novo. Amoêdo é um dos fundadores da sigla, que presidiu entre setembro de 2015 e julho de 2017, quando se afastou por causa da pré-candidatura.

Formado em Engenharia Civil e Administração, teve a maior parte da atuação profissional em instituições financeiras. Foi vice-presidente do Unibanco e membro do conselho de administração do Itaú-BBA. Em 2011, passou a integrar o Conselho de Administração da construtora João Fortes. No mesmo ano, participou da fundação no Partido Novo.

João Goulart Filho (PPL)

João Goulart Filho, candidato a presidente pelo PPL (Foto: GloboNews/Reprodução)João Goulart Filho, candidato a presidente pelo PPL (Foto: GloboNews/Reprodução)

João Goulart Filho, candidato a presidente pelo PPL (Foto: GloboNews/Reprodução)

PPL oficializou no domingo (5), em convenção nacional em São Paulo, o nome de João Vicente Goulart, também conhecido como João Goulart Filho, como candidato do partido à Presidência da República. O professor da Universidade Católica de Brasília (UCB) Léo Alves é o vice na chapa.

Filho do ex-presidente João Goulart, deposto pelo golpe militar de 1964, Goulart Filho fundou um instituto em homenagem ao pai e disputará a Presidência pela primeira vez. Ele é autor do livro “Jango e Eu: Memórias de um exílio sem volta”.

José Maria Eymael (DC)

Presidenciável José Maria Eymael (Foto: Reprodução/GloboNews)Presidenciável José Maria Eymael (Foto: Reprodução/GloboNews)

Presidenciável José Maria Eymael (Foto: Reprodução/GloboNews)

DC confirmou em convenção nacional em 28 de julho, em São Paulo, a escolha de José Maria Eymael como candidato à Presidência da República. O candidato a vice-presidente é o pastor Helvio Costa.

Presidente nacional do DC, Eymael já disputou quatro vezes a Presidência da República (1998, 2006, 2010 e 2014, derrotado em todas). Deputado federal constituinte em 1988, o candidato exerceu dois mandatos na Câmara dos Deputados (entre 1987 e 1995).

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Lula discursa no sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo em foto de janeiro de 2018 (Foto: Leonardo Benassatto/Reuters)Lula discursa no sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo em foto de janeiro de 2018 (Foto: Leonardo Benassatto/Reuters)

Lula discursa no sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo em foto de janeiro de 2018 (Foto: Leonardo Benassatto/Reuters)

PT confirmou em convenção nacional no sábado (4), em São Paulo, a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República. O candidato a vice será o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, também do PT.

O metalúrgico e ex-sindicalista é lançado como candidato à Presidência pela sexta vez. Ele ocupou o cargo por dois mandatos consecutivos (2003-2006 e 2007-2010).

Lula está preso desde o começo de abril, condenado em segunda instância no caso do triplex em Guarujá a doze anos e um mês de prisão, o que, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, o torna inelegível. Mas a questão precisa ser decidida pelo TSE e só pode ser julgada depois do registro oficial.

Manuela D’Ávila (PCdoB)

PC do B oficializa candidatura de Manuela D’Ávila à Presidência (Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo)PC do B oficializa candidatura de Manuela D’Ávila à Presidência (Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo)

PC do B oficializa candidatura de Manuela D’Ávila à Presidência (Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo)

PCdoB oficializou em convenção em 1º de agosto, em Brasília, a candidatura de Manuela D’Ávila à Presidência da República. Será a primeira vez que o partido tem candidatura própria desde 1989. Até então, o PCdoB tinha integrado coligações encabeçadas pelo PT. O candidato a vice ainda não foi definido.

Jornalista, Manuela tem 36 anos e iniciou a carreira política no movimento estudantil. Foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) em 2003. Em 2004, se elegeu vereadora em Porto Alegre.

Dois anos depois, em 2006, foi eleita deputada federal, reeleita em 2010. Desde 2015, é deputada estadual no Rio Grande do Sul. A pré-candidatura à Presidência da República foi anunciada em 5 de novembro de 2017 pelo PCdoB. Ela disputou ainda duas vezes a prefeitura de Porto Alegre, em 2012 e 2016, mas não foi eleita.

Marina Silva (Rede)

A ex-senadora Marina Silva é oficializada pela Rede candidata à Presidência (Foto: Tiago Hardman/Futura Press/Estadão Conteúdo)A ex-senadora Marina Silva é oficializada pela Rede candidata à Presidência (Foto: Tiago Hardman/Futura Press/Estadão Conteúdo)

A ex-senadora Marina Silva é oficializada pela Rede candidata à Presidência (Foto: Tiago Hardman/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Rede Sustentabilidade oficializou a candidatura de Marina Silva à Presidência em sua convenção nacional no sábado (4). O partido também confirmou Eduardo Jorge (PV) como candidato a vice.

Marina foi deputada estadual no Acre (1991-1994) e senadora pelo mesmo estado por dois mandatos (1995 a 2010). Ela se licenciou do Senado de 2003 a 2008, quando ocupou o cargo de ministra do Meio Ambiente no governo Lula.

Filiada ao PT desde 1986, deixou a legenda em 2009 para se filiar ao PV, partido pelo qual concorreu à Presidência em 2010, mas não conseguiu chegar ao segundo turno. Em 2014, se candidatou novamente, desta vez pelo PSB.

Vera Lúcia (PSTU)

Vera Lúcia discursa em convenção do PSTU (Foto: Reprodução/TV Globo)Vera Lúcia discursa em convenção do PSTU (Foto: Reprodução/TV Globo)

Vera Lúcia discursa em convenção do PSTU (Foto: Reprodução/TV Globo)

A candidatura de Vera Lúcia pelo PSTU foi confirmada em 20 de julho em convenção do partido. O professor Hertz Dias, da rede pública do Maranhão, foi anunciado como vice na chapa. Não haverá coligação no PSTU.

Vera Lúcia tem 50 anos e militou no PT, mas foi expulsa do partido em 1992 junto com integrantes do grupo político Convergência Socialista, que anos depois fundou o PSTU. Ela foi candidata a prefeita de Aracaju em 2012 e é graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Hertz Dias, de 47 anos, é militante do movimento negro e integrante do grupo Gíria Vermelha, que compõe canções de protesto.

Datas das convenções

Data Partido Candidato Cidade
20/7 PDT Ciro Gomes Brasília (DF)
20/7 PSC Apoio a Alvaro Dias Brasília (DF)
20/7 PSTU Vera Lúcia São Paulo (SP)
21/7 PCB Apoio a Guilherme Boulos Rio de Janeiro (RJ)
21/7 PSOL Guilherme Boulos São Paulo (SP)
21/7 Avante Apoio a Ciro Gomes Belo Horizonte (MG)
21/7 PMN Sem coligação formal Brasília (DF)
22/7 PSL Jair Bolsonaro Rio de Janeiro (RJ)
28/7 Democracia Cristã José Maria Eymael São Paulo (SP)
28/7 PTB Apoio a Geraldo Alckmin Brasília (DF)
28/7 PV Apoio a Marina Silva Brasilia (DF)
28/7 PSD Apoio a Geraldo Alckmin São Paulo (SP)
28/7 SD Apoio a Geraldo Alckmin São Paulo (SP)
1/8 PCdoB Manuela D’Ávila Brasília (DF)
1/8 PRP Apoio a Alvaro Dias Rio Preto (SP)
1/8 PRB Apoio a Geraldo Alckmin Brasília (DF)
2/8 MDB Henrique Meirelles Brasília (DF)
2/8 DEM Apoio a Geraldo Alckmin Brasília (DF)
2/8 PP Apoio a Geraldo Alckmin Brasília (DF)
2/8 PHS Apoio a Henrique Meirelles Brasília (DF)
4/8 Patriota Cabo Daciolo Barrinha (SP)
4/8 PT Luiz Inácio Lula da Silva São Paulo (SP)
4/8 PSDB Geraldo Alckmin Brasília (DF)
4/8 Novo João Amoêdo São Paulo (SP)
4/8 Rede Marina Silva Brasilia (DF)
4/8 Podemos Alvaro Dias Curitiba (PR)
4/8 PPS Apoio a Geraldo Alckmin Brasília (DF)
4/8 PR Apoio a Geraldo Alckmin Brasília (DF)
4/8 Pros Apoio a Lula Brasília (DF)
5/8 PRTB Apoio a Jair Bolsonaro São Paulo (SP)
5/8 PSB Sem coligação Brasília (DF)
5/8 PPL João Goulart Filho São Paulo (SP)
5/8 PTC Apoio a Alvaro Dias Rio de Janeiro (RJ)
5/8 PMB Sem pré-candidato Brasília (DF)
Fonte: G1
error: Content is protected !!