Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Incidência de câncer colorretal aumenta entre os mais jovens

Três em cada 10 casos de tumor no reto acomete pacientes com menos de 55 anos

A obesidade está relacionada com maior risco de câncer colorretal

  RIO — Um estudo divulgado ontem pela Sociedade Americana de Câncer revela que o número de casos de tumor colorretal (de intestino grosso e reto) está aumentando entre adultos jovens e de meia-idade, principalmente o cancro no reto — antes mais comum entre idosos. De cada dez pacientes diagnosticados com essa doença, três têm menos de 55 anos. Entre os motivos, estão a obesidade e o estilo de vida sedentário, que fazem com que especialistas sugiram a antecipação da recomendação para exames de detecção dos tumores.

— A tendência entre os jovens serve de termômetro para o fardo futuro da doença — disse Rebecca Siegel, pesquisadora da Sociedade Americana de Câncer e líder do estudo publicado ontem no periódico “Journal of the National Cancer Institute”.

Os pesquisadores analisaram 490.305 casos diagnosticados em pacientes com mais de 20 anos nos Estados Unidos, entre 1974 e 2013. Em geral, a incidência está em declínio desde a metade da década de 1980, graças a novas técnicas de detecção, mas entre adultos de 20 a 39 anos, a taxa de incidência de câncer de intestino vem crescendo entre 1% e 2,4% anualmente desde a década de 1980. E

na faixa etária dos 40 aos 54 anos, a variação anual tem sido entre 0,5% e 1,3% desde meados da década de 1990.

O aumento nas taxas de incidência de câncer no reto é ainda mais evidente, com variação média anual de 3,2% entre 1974 e 2013 para adultos na faixa etária entre 20 e 29 anos. Entre 40 e 54 anos, o crescimento foi de 2% ao ano desde a década de 1990. Em 2013, 29% dos casos diagnosticados da doença foram em pacientes com menos de 55 anos, contra percentual de 15% registrado em 1990.

MILLENNIALS TÊM NÍVEL DE RISCO DO SÉCULO XVIII

Esses números fazem com que pessoas nascidas em 1990 tenham o dobro do risco de desenvolver câncer no intestino e quatro vezes mais probabilidade de ter câncer no reto do que alguém nascido na década de 1950.

— Nossa constatação é que o risco de câncer colorretal para os millennials retornou para o nível daqueles nascidos no fim do século XVIII — lamentou Rebecca. — São necessárias campanhas educacionais para alertar médicos e o público em geral sobre esse aumento e, assim, reduzir atrasos no diagnóstico, que são muito prevalentes entre os jovens, além de incentivar uma alimentação mais saudável e estilos de vida mais ativos para reverter essa tendência.

O câncer colorretal está diretamente relacionado à alimentação e à obesidade. Um outro estudo, publicado ontem no “British Medical Journal”, indica que cada 5kg/m2 ganhos no índice de massa corporal representam um aumento de 9% no risco de desenvolver câncer colorretal entre homens. Para José Cláudio Casali, oncogeneticista da All Clinik e professor da PUC do Paraná, esta pode ser uma

das explicações para o aumento da incidência da doença entre a população mais jovem, uma tendência que, segundo ele, também acontece no Brasil.

— A obesidade está relacionada ao desenvolvimento de vários tumores, em particular os cânceres do intestino — disse Casali. — Mas a obesidade não é uma causa em si, ela é consequência dos maus hábitos alimentares e do estilo de vida sedentário, que se tornou padrão nas últimas décadas.

A obesidade já é considerada uma epidemia global. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, em 1995 existiam no mundo cerca de 200 milhões de pessoas obesas. Em 2014, eram 1,9 bilhão de pessoas com sobrepeso, sendo 600 milhões delas obesas.

EXAMES CADA VEZ MAIS CEDO

O oncologista Daniel Tabak destaca, porém, que o estudo traz um dado novo, que não pode ser explicado apenas pelo aumento da obesidade, pela prática limitada de atividade física ou pela mudança no padrão alimentar observada nos últimos anos.

— Talvez um fator esteja relacionado a uma detecção mais precoce de lesões precursoras pela realização rotineira de exames em indivíduos acima dos 50 anos — opinou Tabak. — E uma maior incidência em indivíduos que não têm a rotina dos exames.

Mas os dois médicos concordam que o diagnóstico precoce facilita o tratamento e aumenta as chances de sobrevivência. Normalmente, a doença começa com um pólipo que, se for retirado, não se desenvolve como câncer.

— O retardo na identificação precoce determina o diagnóstico de lesões em estágio mais avançado e uma maior mortalidade — disse Tabak.

A colonoscopia é o exame padrão para a detecção de pólipos e de câncer no intestino. Hoje, a recomendação para pessoas com risco médio é que ela seja realizada aos 50 anos de idade, e repetida a cada dez anos. Frente às evidências de que pessoas cada vez mais jovens estão desenvolvendo tumores, Casali sugere que cada caso seja avaliado individualmente.

— Numa pessoa obesa, por exemplo, a gente pode tomar o cuidado de realizar a colonoscopia um pouco antes — disse o especialista. — A gente fala muito sobre tratamento personalizado, mas também existe a prevenção personalizada, ajustada aos hábitos e à carga hereditária de cada pessoa.

Os autores do estudo também sugerem que a idade recomendada para o início dos exames de detecção seja reconsiderada. Para isso, destacam que em 2013 foram diagnosticados 10.400 novos casos de câncer colorretal em pacientes entre 40 a 50 anos, além de 12.800 novos casos entre pessoas que acabaram que ingressar na faixa dos 50 anos.

— Esses números são similares ao total de casos de câncer do colo do útero, para o qual são recomendados exames para 95 milhões de mulheres entre 21 e 65 anos — argumentou Rebecca.

Fonte: O Globo

Livro didático é instrumento de construção do cidadão, diz coordenadora

Nesta segunda-feira (27), se é celebrado o Dia Nacional do Livro Didático.

“O livro didático faz parte da vida de todos nós. Quando pensamos em aprendizado sempre vem à memória uma página ou a figura de um livro. Ele constrói o cidadão. Que a gente ensine as novas gerações a respeitar o livro didático como instrumento de crescimento”. O pedido é da coordenadora de Habilitação e Registro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Nadja Cezar Ianzer, para o Dia Nacional do Livro Didático, celebrado hoje (27).

A autarquia investiu para este ano R$ 1,3 bilhão, para distribuir 157 milhões de exemplares para 32 milhões de alunos dos anos finais do ensino fundamental (sexto ao nono ano), além de repor e complementar exemplares para os anos iniciais e para o ensino médio. A previsão para 2018, é de R$ 1,9 bilhão em investimentos.

O FNDE é responsável pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) que tem como principal objetivo a distribuição de coleções de livros didáticos aos alunos da educação básica. O fundo disponibiliza ainda acervos de obras literárias, obras complementares e obras em versões acessíveis (áudio, Braille e MecDaisy).

Isonomia pedagógica

O PNDL tem mais de 30 anos, mas a distribuição de livros no Brasil já acontece há mais de 80 anos. “E vem se aperfeiçoando”, disse Nadja.

A coordenadora explicou que o programa influencia o mercado editorial na busca pela qualidade física e pedagógica dos livros didáticos. “A avaliação pedagógica é gerida pelo Ministério da Educação (MEC), que permite que as obras tenham todo o conteúdo aprovado e de acordo com as diretrizes educacionais nacionais”, disse, explicando que o PNLD também respeita a autonomia pedagógica das escolas.

Após a seleção dos títulos inscritos pelas editoras, o MEC elabora o Guia do Livro Didático, que é disponibilizado às escolas participantes. “Então, quem escolhe é o professor, que conhece suas necessidades locais e escolhe o material que mais se adequa às suas turmas e sua realidade”, disse Nadja.

Ela ressaltou, entretanto, que o MEC preza pela isonomia dos estudantes, que tem acesso aos conteúdos com a mesma qualidade. “Diante da diversidade e condições, permitimos que todo o professor tenha acesso aos recursos pedagógicos mínimos. Têm muitas escolas que só tem o livro didático”, disse à Agência Brasil.

A previsão para publicação do Guia do Livro Didático para 2018 é junho de 2017. No próximo ano, aproximadamente 7 milhões de alunos, de 19,5 mil escolas de ensino médio.

Digitalização

A coordenadora do FNDE afirmou que o livro didático não é pensado apenas para conteúdo pedagógico, mas a fomenta aprendizagem, induz o desenvolvimento da escrita e da leitura e democratiza o acesso à informação e cultura. “Ele é pensado para difundir uma cultura nacional, trazer aspectos não só educativos, mas sociais, entendendo que o livro é o objeto de maior força pedagógica”, disse.

Segundo Nadja, os livros didáticos trazem instrumentos digitais para serem inseridos, mas não devem ser substituídos. Ela conta, inclusive, que escolas que se apropriaram de novas tecnologias e se digitalizaram estão retornando à utilização do livro didático, pois houve um retrocesso no aproveitamento dos conteúdos pelos alunos.

“Muitas vezes, eles [livros digitais] não estão formatados do jeito que mais alcança as crianças, talvez o instrumento em si não seja capaz de fazer as crianças aprenderem ou o professor não tenha o domínio. O livro já tem esse modelo mental”, destacou.

Cuidando do livro

O PNLD é executado em ciclos trienais alternados. Assim, a cada ano o FNDE adquire e distribui livros para todos os alunos de determinada etapa de ensino e repõe e complementa os livros reutilizáveis para outras etapas, que pode ser: anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental ou ensino médio.

Por isso, à exceção dos livros consumíveis, os livros distribuídos deverão ser conservados e devolvidos para utilização por outros alunos por um período de três anos. A devolução é fundamental para o bom funcionamento do programa.

Segundo Nadja, o FNDE envia os livros como doação, e cada rede, estadual ou municipal, é responsável pela redistribuição durante os três anos e destinação final, que pode ser a reciclagem, doação ao aluno ou outro tipo de ação.

“O material é escolhido para que resista bem os três anos e sempre enviamos informativos sobre a questão do cuidado”, disse, contando que muitas escolas têm ações que fomentam nos meninos o respeito pelo livro, como concurso de boas práticas, campanhas de encapamento e premiações pela conservação dos livros.

Fonte: Imirante

Cronograma de Audiências públicas para elaboração da LDO-2018

DATA:

03/03 Região da Trizidela local flores do Joca as 10:00hs

04/03 Região da Trizidela local Santana do Machado as 10:00hs

06/03 Bairro Santo Antônio local Escola Sen. Alexandre costa as 19:00hs

07/03 Bairro São Raimundo local Salão Paroquial as 19:00hs

08/03 Bairro São Francisco local Salão Paroquial as 19:00hs

09/03 Bairro São Pedro local Ananias Murad as 19:00hs

10/03 Km 17 local Salão paroquial as 19:00hs

11/03 Cajazeiras local Escola Dep. César Pires as 15:00hs

ASC PMC

Codoenses ainda alimentam esperanças com a reforma da passarela

Faltam barras de apoio

    A reforma da passarela é uma das maiores reivindicações das pessoas que trafegam diariamente para ir ao centro, a escola, ao trabalho. O problema de infraestrutura é velho conhecido das pessoas principalmente daquelas que utilizam com maior frequência como os moradores da região da Trizidela cujo perigo é visivelmente constatado pelos moradores. É uma passarela de madeira, sabemos que não é eterna, se desgasta com o tempo. Além de estar com a parte de ferro enferrujada, ainda possui madeiras soltas, com o “mato” em volta. Segundo estudantes do turno noturno, a situação é perigosa, alguns ferros já caíram, e que durante o vento até as tábuas tremem e sugerem que as grades do lado deviam ser mais fechadas, para evitar acidentes.

Buracos perigosos

Improvisos, Remendos

Água empoçada

Grande fluxo de pessoas

CODÓ: Mais de 08 anos sem Médico Neurologista

    Sabemos que nas gestões anteriores tinha um profissional médico neurologista (Dr. José Carlos Barroso) no HGM (Hospital Geral Municipal), que realizava atendimento ambulatorial e acompanhava pacientes com sequelas de AVC em internação, cefaleia, desmaio e crises convulsivas. Quando o ex-prefeito Zito Rolim esteve em seu mandato, já não tinha a segura do profissional. Os pacientes que precisam de consulta neurológica tem que pagar em clínica particular ou solicitam tratamento fora de domicílio (TFD) ou procuram o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial). É importante deixar claro que Neurologista e Psiquiatra tem funções diferentes.
NEUROLOGISTA é o médico que se dedica a fazer diagnósticos e tratamentos das doenças que afetam o sistema nervoso (cérebro, tronco encefálico, cerebelo, medula espinhal e nervos). O PSIQUIATRA lida com a prevenção, atendimento e reabilitação das doenças mentais sejam elas de cunho orgânico ou funcional, tais como depressão, distúrbio bipolar, esquizofrenia e tratamento de ansiedade.

  Não poderíamos deixar de mencionar os pacientes que sofrem com sequelas de AVC. Seria importante que tivéssemos um profissional médico na área, para avaliar os casos de AVC e traumatismo craniano que dão entrada diretamente no hospital.

PROCESSO DE SELEÇÃO PÚBLICA CAIXA 2017 PARA ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO E TÉCNICO

Resumo do Regulamento Nº 01/2017

Características do Processo Seletivo

Cursos:

Ensino Médio, Educação Jovens e Adultos, Técnico em Administração, Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio, Técnico em Finanças Integrado ao Ensino Médio, Técnico em Secretariado Integrado ao Ensino Médio, Técnico em Informática e Técnico em Informática integrado ao ensino médio.

Região/Localidade:

Nos Estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Etapas do Processo Seletivo:

1ª e 2ª Etapa:

a) As inscrições e as provas serão On-line realizadas do dia 16/02 às 23h59 do dia 03/03/2017;
b) O candidato inscrito realizará as provas com 30 questões, com duração de 2 minutos para cada questão;
c) Serão considerados habilitados para a 3ª Etapa, os candidatos que obterem nota mínima igual ou superior a 50% (cinquenta por cento) do total de pontos no teste on-line, desde que não obtenha nota igual a zero em nenhuma das disciplinas;
d) O resultado será divulgado a partir do dia 27/03/2017.

3ª Etapa:

Entrevista pessoal estruturada na unidade da CAIXA.

Requisitos:

1. Estar cursando e frequentando do 1º ao penúltimo semestre do curso.
2. Ter disponibilidade para estagiar em regime de 25 (vinte e cinco) horas semanais compatíveis com o horário da vaga.
3. Quando da convocação ter idade mínima de 16 (dezesseis) anos.

Benefícios:

1. Bolsa auxílio R$ 500,00 e auxílio transporte R$ 130,00 mensal.

Cronograma:

AÇÃO PERÍODO
Publicação do edital 16/02/2017
Período de inscrições e provas 16/02/2017 a 03/03/2017
Prazo de recurso 06/03/2017
Publicação da lista de classificação 27/03/2017
Entrevista pessoal estruturada na unidade da Caixa A partir de 28/03/2017

Inscreva-se já!

Fonte: CIEE

Ministro da Educação comete erro crasso de português

O ministro da Educação, Mendonça Filho, fala com jornalistas após encontro com a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia - 12/01/2017

O ministro da Educação, Mendonça Filho

O ministro da Educação, Mendonça Filho Durante entrevista ao vivo para GloboNews na última quinta-feira, o ministro da Educação, Mendonça Filho, cometeu um crasso erro de português. Ao ser questionado sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o ministro afirmou que “haverão(sic) mudanças, mas essas mudanças não ocorrerão em um curto prazo”.

Na ocasião, o ministro falava sobre as mudanças feitas por medida provisória no currículo do Ensino Médio e afirmou que modificações também acontecerão no Enem. De acordo com a gramática do português, o verbo “haver” no sentido de “existir”, “fazer”, “ocorrer”, “acontecer” sempre será impessoal, ou seja, não terá sujeito e ficará sempre no singular.

Fonte: Redação

Jovens usam o banheiro de shopping para fazer bacanal

Três homens fazem sexo nitidamente dentro do banheiro do shopping Rio Anil, localizado na Avenida Rei de França. Os homens parecem não se intimidar com a presença de outras pessoas e continuam a prática libidinosa.

O jovem que está entre os dois homens ao mesmo tempo em que é penetrado, pratica sexo oral no outro rapaz. Ao perceberem que existia uma pessoa filmando o ato, eles acabaram vestindo-se rapidamente.

Fazer sexo em local público é crime e pode levar de 3 meses à 1 ano de detenção.

O shopping Rio Anil logo emite uma nota afirmando que não compactua com esse tipo de comportamento e tomaram todas as medidas necessárias para que isto não ocorra novamente dentro das dependências do shopping.

Fonte: Blog do Minard

Vereador de Santana do Acaraú, no Ceará, propõe ‘licença-menstruação’

Servidoras têm direito a licença no ciclo menstrual e devem repor as horas.

‘Período de muito sofrimento para as mulheres’, defende autor do projeto de lei.

Proposta do vereador Domingos Sávio prevê dois dias de ausência no trabalho (Foto: Arquivo Pessoal)

Direito de faltar ao trabalho nos dois primeiros dias do ciclo menstrual é a proposta apresentada por um vereador do município de Santana do Acaraú, no Norte do Ceará. O projeto de lei foi apresentado na sessão da Câmara Municipal do dia 10 de fevereiro pelo vereador Domingos Sávio do Nascimento (PV). Já chamado no município de “licença-menstruação”, o projeto foi encaminhado às comissões e deverá ser votado na próxima sessão ordinária da Câmara marcada para a sexta-feira (24).

“Esse é um período de muito sofrimento para as mulheres. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 40% das mulheres em idade fértil apresentam Tensão Pré-Menstrual (TPM) e cerca de 5% ficam incapacitadas para o trabalho. Foi pensando nisso que tive a ideia da lei. Aqui no nosso município, as mulheres são maioria no serviço público, na educação, principalmente”, explica o vereador.

Reposição de horas não trabalhadas
O benefício, no entanto, não se constitui de folgas mensais. De acordo com o projeto de lei, as mulheres podem faltar ao trabalho por até dois dias no mês, mas as horas não trabalhadas deverão ser repostas no decorrer do mês e antes da solicitação de uma nova licença. “A compensação das horas não trabalhadas deve ser acertada entre a trabalhadora e a repartição onde ela está lotada para que não haja prejuízo ao serviço público”, explica o autor da mensagem.

O vereador diz que se inspirou em uma lei de um município do interior de Minas Gerais. “Vi essa lei de um município mineiro e resolvi trazer para Santana do Acaraú. Coincidentemente, no dia que apresentei o projeto, vi uma notícia de outro no mesmo molde, desta vez tramitando na Câmara Federal”.

De autoria do deputado federal Carlos Bezerra (PMDB/MT), o projeto que acrescenta um artigo à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), na parte que trata do trabalho da mulher, visa garantir licença a mulheres em período menstrual.

O projeto do parlamentar de Mato Grosso tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Defesa dos Direitos da Mulher; de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Melhora na produtividade
“Cerca de 70% das mulheres têm queda da produtividade do trabalho durante a menstruação, causada pelas cólicas e por outros sintomas associados a elas, como cansaço maior que o habitual, inchaço nas pernas, enjoo, cefaleia, diarreia, dores em outras regiões e vômito”, lista deputado citando estudo sobre o assunto elaborado pela empresa MedInsight.

Carlos Bezerra acredita que a proposta trará vantagens para as mulheres trabalhadoras e para as empresas, que contarão com a força de trabalho feminina nos momentos de maior produtividade

Projeto de Lei deve ser votado na próxima sessão ordinária da Câmara de Santana do Acaraú (Foto: Divulgação)

 

Fonte: Por G1 CE