No Dia do Jornalista, docentes e estudantes da UFMA ressaltam a importância da profissão nos tempos atuais

O jornalismo não pode parar, porque tem um papel importante no desenvolvimento da democracia, das relações sociais e econômicas”, frisou Ramon Bezerra, jornalista e professor do Departamento de Comunicação Social da UFMA, para ressaltar a data de hoje, 7 de abril, Dia do Jornalista. A celebração foi criada em 1931 pela Associação Brasileira de Imprensa em homenagem a Giovanni Battista Libero Badaró, importante personalidade na luta pelo fim da monarquia portuguesa e pela Independência do Brasil.

O jornalismo é uma atividade essencial em qualquer sociedade, e isso pode ser percebido ainda mais no atual cenário brasileiro, de difusão de informações corretas para a prevenção à Covid-19 e na relevância da apuração dos fatos na difusão de fake news.

O docente acrescenta que, neste momento em que qualquer pessoa é um potencial produtor de conteúdo e capaz de colocar informações para circular, o trabalho do jornalista se torna cada vez mais necessário, pois a apuração de fatos é indispensável, de forma que a sociedade possa confiar naquilo que está sendo veiculado.

Rodrigo Bomfim, aluno do sétimo período de Jornalismo e apresentador de um jornal radiofônico na capital maranhense, ressalta a importância da UFMA na sua formação acadêmica. “Os professores sempre nos incentivaram a fazer trabalhos práticos e com temas reais, do nosso cotidiano e nos dando dicas e suporte para o desenvolvimento das atividades”, comentou, ressaltando ainda que a formação na Universidade e as experiências no espaço acadêmico o auxiliaram bastante no momento da inserção no mercado, por meio de estágio.

Bruno Ferreira, professor do Departamento de Comunicação Social, salientou que dá para conciliar o pensar científico e acadêmico com o fazer jornalístico do mercado de trabalho, no conteúdo que está sendo produzido e divulgado pela mídia. “É em momentos como este que estamos vivendo, que a gente vê o papel da mídia para informar e conscientizar as pessoas, trazendo informações relevantes e corretas que são cruciais numa situação de vida e morte”, ressaltou.

Ascom UFMA