Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Dr. José Francisco lamenta a morte de Bita do Barão

O médico codoense e presidente do PT (Partido dos Trabalhadores), José Francisco, lamentou a morte do Mestre Bita do Barão, que aconteceu na tarde desta quinta-feira (18), na UTI do Hospital São Paulo, em Teresina.

“Deixamos nossas sinceras condolências à família e amigos por esta inestimável perda do Mestre Bita do Barão”, lamentou José Francisco.

Bita estava internado com uma infecção pulmonar agravando para um problema renal e pressão alta.

O pai de santo é considerado um dos maiores umbandista do Brasil. A fama, além da dedicação aos cultos, deve-se às amizades com nomes influentes na política brasileira.

20 anos após duplo latrocínio, 3 índios que cometeram assassinato são condenados no Maranhão

Após 20 anos, a Justiça condenou três índios que mataram dois comerciantes a tiros e golpes de facão na BR-226, em Barra do Corda, a 350 km de São Luís. O crime aconteceu no dia 27 de outubro de 1999.

Valdemir Guajajaras (à esquerda), José Mathias Guajajadas (meio) e Argemiro Guajajaras (à direita) foram condenados a 47 anos de prisão pela morte dos comerciantes Jeová e Magno

A polícia acusou os índios José Mathias Isaac Guajajaras, Argemiro Guajajaras e Valdemir Tomaz Guajajaras de serem os assassinos. Em março deste ano, todos foram condenados a 47 anos e seis meses de prisão por latrocínio. Os três estão na Unidade Prisional de Ressocialização de Barra do Corda

O CRIME

Segundo a polícia, o crime aconteceu por volta das 10 horas da manhã. Os comerciantes Jeová Alves Palma, de 36 anos, e Magno Araújo, de 30 anos, voltavam para casa após o trabalho.

Eles viram um corpo estendido à beira da estrada, pararam o carro e foram atacados por um grupo de índios armados. Após serem mortos, Jeová Alves ainda chegou a ser degolado com facão, enquanto o corpo de Magno Araújo foi arrastado por mais de 200 metros no asfalto.

Blog do Lucão R/10

Polícia do Maranhão prende sete pessoas por aplicar golpes em políticos

A Polícia Civil do Maranhão prendeu sete pessoas envolvidas em golpes aplicados a políticos por meio de clonagem de contas do Whatsapp. Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela Vara de Combate ao Crime Organizado de São Luís e cumpridos nesta terça-feira (16) em uma operação dividida nos bairros Cidade Operária, Cidade Olímpica, Vila Riod e João Paulo, em São Luís, além do próprio Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Foram presos Hallen Deivid Cosmo Nascimento, Leonel Silva Pires Júnior, Anderson Sombra Azevedo, Markuel Pereira de Sousa, Rudson Jauário Serra, Adriano César Pereira e Hilton César Moares Costa. Destes, já estavam presos Leonel Silva Pires Júnior e Anderson Sombra Azevedo. Por outro lado, a polícia ainda não localizou Ayrton Da Silva Dias, Mauro Ségio Dinis Gaspar, Erick Raphael Reis Teixeira e Ivanilde Nogueira Amaral, portanto estes são considerados foragidos.

“Era feito o cancelamento do número da vítima. Depois, este número era resgatado em um ‘chip virgem’. Com o chip com o número da vítima, o Leonel instalava o Whatsapp em um novo aparelho e a partir deste momento ela fazia o backup com os contatos e grupos da vítima e tinha ali todas as informações e ele pedia dinheiro emprestado se passando pela vítima”, disse o delegado Odilardo Muniz.

O grupo fez diversas vítimas, mas passou a atacar políticos e a polícia investiga crimes no Maranhão, Paraná e até Brasília.

“Em alguns casos, ele se passou por políticos, como prefeitos. Aí, ia falar com o secretário sobre as finanças do município, perguntava o saldo e pedia a transferência para outra conta se passando pelo prefeito. Ele deu prejuízos a prefeituras, ministros, políticos maranhenses e até governadora do estado do Paraná”, concluiu o delegado.

As prisões desta terça-feira foram relacionadas aos crimes contra o deputado federal Gastão Vieira e a ex-governadora do Paraná, Cida Borghetti.

Outras operações já foram deflagradas por conta dos crimes do bando. Em julho de 2018, por exemplo, a Polícia Federal prendeu envolvidos nos golpes, inclusive Leonel Silva Pires Júnior foi um dos alvos na oportunidade.

G1

Por melhorias na educação estadual, estudantes bloqueiam a BR-316

Na tarde de terça-feira (16), estudantes do ensino médio bloquearam a BR-136 em Maranhãozinho, a cerca de 177 km de São Luís. Na segunda (15), alunos do Centro de Ensino Médio Espíndola de Araújo Silva já haviam bloqueado a rodovia por várias horas.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os alunos pedem a presença de representante do Governo do Estado na cidade para que seja feito um acordo. Eles denunciam que faltam professores, energia elétrica em salas de aula, falta de água e merenda.

Estudantes tocam fogo e fecham por completo a rodovia — Foto: Divulgação/PRF

Os estudantes informaram ainda que não tem laboratório, não tem quadra, além de falta de carteiras em algumas salas. As aulas também só estariam ocorrendo em três dias da semana com três professores, e que no restante dos dias o prédio fica fechado.

Ao G1, a Secretaria Estadual de Educação informou que, desde a semana passada, mantém diálogo com os estudantes e que esclareceu todas as medidas tomadas para atender as demandas da escola com estabelecimento de prazos, entre elas: as questões de infraestrutura, que serão sanadas em 15 dias, e a solução para a carência de professores em, no máximo, 30 dias. A Secretaria disse ainda que uma equipe técnica da Seduc fará vistorias, na próxima semana, em unidades escolares da rede estadual na região do Alto Turi.

G1

Deputado Wellington volta a receber denúncias sobre situação de escola em Maranhãozinho

O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) voltou a receber, na tarde de terça-feira (16), denúncias de estudantes e professores do Centro de Ensino Maria Espíndola de Araújo Silva – Anexo II, em Maranhãozinho. A escola está em situação precária, o que motivou os alunos  a realizarem mais uma manifestação por melhorias. O parlamentar tem manifestado apoio à causa e já pediu providências ao Governo do Estado. 

Os estudantes reclamam que, até o presente momento, não obtiveram nenhuma resposta por parte do Governo do Estado quanto à situação de abandono em que a escola se encontra. “Hoje já é o segundo dia em que os estudantes deixam a sala de aula e ocupam a BR-316 para fazer manifestação em busca de melhorias. É isso mesmo, pelo segundo dia consecutivo, alunos fazem manifestação para ter escola digna, uma escola em que o Governo disse ter feito um investimento de mais de R$ 50 mil. Já oficiamos à Secretaria de Educação para prestar esclarecimentos e vamos representar denúncia no Ministério Público para que tome as devidas providências. Governador, não ignore os estudantes do nosso Maranhão. Pare de menosprezar a educação pública do nosso Estado”, disse o professor e deputado Wellington.

Assecom

Em audiência na Câmara, ministra Damares Alves defende valorização da mulher e combate à violência doméstica desde a infância

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, participou de audiência pública promovida pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (16). Na oportunidade, a gestora abordou as perspectivas da atuação do ministério, além das medidas anunciadas por meio da campanha “Salve Uma Mulher”.

A titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) defendeu, ainda, a educação voltada à valorização do segmento feminino desde a infância. “Acredito sim que o menino, na escola, vai ter que aprender a respeitar e a proteger a menina”, afirmou.

“Eu até usei, de uma forma simbólica, que tem que ensinar o menino a abrir porta do carro. Mas eu não quero que ele abra só a porta do carro. Eu quero que ele abra a porta da fábrica, a porta do seu escritório, a porta da sua indústria. E eu quero que ele abra a porta dos partidos. Quero que ele abra a porta desse Parlamento para que mais mulheres estejam aqui dentro também. É isso que eu quis dizer naquela época”, destacou a ministra.

Também esteve entre as pautas o Acordo de Cooperação Técnica de enfrentamento à violência doméstica, assinado em março junto com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Rede de proteção

Durante a audiência, a ministra Damares Alves ressaltou a importância de fortalecer a rede de proteção às mulheres, além de solicitar o apoio dos parlamentares presentes para a divulgação do Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher).

Oferecido pelo ministério, o Ligue 180 funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. O serviço também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil.

Além de registrar denúncias de violações contra mulheres, encaminhá-las aos órgãos competentes e realizar seu monitoramento, o Ligue 180 também dissemina informações sobre direitos da mulher, amparo legal e a rede de atendimento e acolhimento.

Campanha

Lançada pelo ministério no 08 de março, Dia Internacional da Mulher, a campanha “Salve uma mulher” tem o objetivo de enfrentar a violência contra o público feminino. As ações visam conscientizar para a responsabilidade de todos na promoção dos direitos, em especial os profissionais que lidam com mulheres todos os dias, como os do campo da beleza.

“A campanha conta com profissionais da área da beleza, que poderão orientar suas clientes, considerando essa relação que muitas vezes é de confiança. Todos os casos de agressões devem ser denunciados. Por isso precisamos estar unidos nesse objetivo”, observa a ministra.

Neste contexto, a titular do MMFDH destaca que é necessário romper o ciclo da violência. “Pode começar com um xingamento, ou um empurrão, e acabar em agressão física ou morte. Por isso, nenhuma violência deve ser aceita, seja física, moral, patrimonial, sexual, psicológica. O ministério possui o Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher. Denunciem as agressões”.

A campanha é inspirada no projeto “Mãos Empenhadas Contra a Violência”, implantado no Mato Grosso do Sul.

mdh.gov.br

Dentista é condenada a dois anos de prisão por injúria racial e racismo

dentista Delzuite Ribeiro de Macêdo foi condenada a  dois anos e quatro meses de reclusão, e três meses de detenção, pelos crimes de injúria racial e racismo qualificado. A  sentença foi proferida pelo Juiz de Direito da 1ª Vara da Comarca de São Raimundo Nonato, Carlos Alberto Bezerra Chagas, e divulgada na terça (16).

Considerando o total da pena imposta, o seu cumprimento deve ser iniciado no regime aberto. No mesmo documento, o juiz, preenchidos os requisitos legais, substituiu a pena privativa de liberdade por duas restritivas de direito: “prestação pecuniária de 20 (vinte) vinte salários-mínimos atuais, corrigidos monetariamente quando da execução, e prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período da pena privativa de liberdade”

O juiz também revogou a prisão preventiva da dentista, concedendo à acusada o direito de recorrer em liberdade. “Tendo em vista o regime inicial de cumprimento da pena e a substituição desta por penas restritivas de direitos, mostra-se desnecessária a manutenção da prisão cautelar”, explicou na sentença. 

 A dentista também foi condenada a pagar as custas processuais. A acusada deverá ser posto em liberdade, “se não se encontrar presa por outro motivo”. 

Entenda o caso 

A sentença contra Delzuite Ribeiro trata-se de uma ação penal ajuizada pelo Ministério Público Estadual imputando-lhe a prática dos crimes de lesão corporal tentada, ameaça, injúria preconceituosa/racial e racismo qualificado. 

” Em resumo, narra a denúncia que: no dia 06 de abril de 2018.  a Acusada, agindo com a consciência e livre vontade, mediante a utilização de palavras, ameaçou a vítima T.R.N.. prometendo causar-lhe mal injusto e grave; nesta mesma ocasião, logo em seguida às ameaças proferidas contra  T.R.N. , a acusada, agindo com consciência e vontade de ofender a integridade desta, arremessou uma tesoura em sua direção, só não a atingindo por circunstâncias alheias à sua vontade”, narra a sentença. 

Em seguida, a  decisão pontua que “no dia mencionado, no período noturno, a acusada, agindo com consciência e livre vontade, mediante a utilização de postagens de cunho preconceituoso e racista em sua página do Facebook denominada Del Macêdo, injuriou a vítima, ofendendo-lhe a dignidade, tendo praticado, ainda,com tais postagens, discriminação contra um número indeterminado de pessoas de uma mesma raça e cor”. 

cidadeverde

Alô CMDCA e Ministério Público: Pré-candidato a Conselheiro Tutelar diz em redes sociais que tem apoio de três pré-candidatos a prefeito

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e Ministério Público devem ficar atentos aos atos ilícitos que poderão ocorrer durante o processo eleitoral para escolha de novos conselheiros tutelares de Codó.

Podemos ter uma quantidade muito grande de candidatos, alguns não estão preocupados e comprometidos com a causa de nossas crianças e adolescentes, podendo prejudicar o futuro do Conselho Tutelar e das nossas crianças. Os pré-candidatos que estão sendo indicados por apadrinhamento político querem um emprego, buscando influência política para o processo eleitoral.

O Ministério Público Estadual deve coibir qualquer tentativa de influência política (politicagem) no processo eleitoral, devendo prevalecer o interesse pela  população infanto-juvenil.

Um cidadão codoense que pretende disputar uma vaga ao Conselho Tutelar já começou sua pré-campanha cometendo irregularidades. O pré-candidato usou redes sociais informando que terá apoio de três pré-candidatos a prefeito de Codó. Veja o print abaixo:

O problema é que estão interessados no salário de R$ 1.996,00 e em garantir a influência política do que resolver casos de violações dos direitos da criança e do adolescente.

Se for comprovada a influência de políticos junto às comunidades, deverá ser denunciado pelo CMDCA e Ministério Público.

VÍDEO – Mulher furiosa joga pedra em loja de Pedreiras

Na madrugada desta segunda-feira, 15, uma mulher se aproximou de uma loja, localizada na Avenida Rio Branco, Centro de Pedreiras (MA), pegou uma pedra a atirou contra a vitrine da mesma.

O ataque foi registrado por uma câmera de vigilância. A mulher foi identificada através de tatuagem, porém, o blog não vai revelar o nome da suposta vândala. O proprietário da loja (que também não vamos identificar), um empresário bastante conhecido na cidade, ficou surpreso com o ataque e disse e disse que não compreende a sua motivação.

Tudo indica que o ataque de fúria estaria relacionado ao uso de álcool. Ao que parece, a mulher voltava a pé de uma festa noturna, quando se afastou de seu grupo para jogar a pedra especificamente na loja.

Ainda segundo informações, o proprietário da loja registrou B.O. na delegacia de Pedreiras e a jovem já foi intimada para ser ouvida pela autorida policial.

Veja a ação no vídeo

Blog do Carlinhos

error: Content is protected !!