Vereador Dr. José Mendes fala sobre a retomada ao trabalho e projetos para Codó

A 12ª Sessão Ordinária marcou o retorno das atividades no Legislativo codoense nesta terça-feira (22). Em entrevista ao repórter Jair Ribeiro, o líder do governo na Câmara Municipal de Codó, vereador Dr. José Mendes, falou sobre as ações extra parlamento, nas comunidades, o retorno aos trabalhos do Legislativo e os projetos que está elaborando para Codó.

“Após a suspensão, após os dois decretos relativos à pandemia da Covid-19, estamos retornando aos trabalhos. No entanto, neste período estávamos cumprindo outras atividades que são inerentes a nossa função de vereador. Fomos até a comunidade Divina Providencia 2 para atender uma demanda sobre abastecimento de água. Também levamos a Campanha Solidária Fazer o Bem Faz Bem a mais famílias em situação de vulnerabilidade social, principalmente neste período tão difícil”, explicou o vereador.

O parlamentar também falou sobre novos projetos que serão levados a Câmara, visando a melhoria de vida da população codoense e que em breve serão apresentados em plenário. “Iremos protocolar Projetos essenciais que irão beneficiar a população de Codó, nas comunidades da cidade e também em nossa zona rural”, concluiu o vereador.

Veja a entrevista:

Jovem codoense pede ajuda da população após ser diagnosticado com câncer maligno na língua

Com apenas 21 anos de idade, o codoense Marcos Guilherme dos Reis Sousa nunca imaginou que se vida fosse mudar tanto em tão pouco tempo.

O jovem, que antes esbanjava saúde e chegou a servir o Exército Brasileiro, agora depende da ajuda dos familiares para realizar tarefas simples para qualquer ser humano, como se alimentar, por exemplo.

Amigos entraram em contato com nossa equipe e explicaram que Marcos Guilherme vai fazer todo o tratamento através da rede estadual de saúde. Ele vai para o Hospital Macrorregional de Caxias e depois deverá ser transferido para o Hospital Macrorregional de Imperatriz.

O jovem está bastante debilitado e se alimenta através de uma sonda. Com poucas condições financeiras, a família precisa da ajuda dos codoenses para comprar medicamentos e alimentos.

A lista de alimentos que o jovem precisa inclui leite integral, farelo de aveia, suplente lácteo, amido de milho (maizena), batata, arroz, abobrinha, cenoura, frango triturado, couve, tomate sem sementes, óleo de soja e sal.

As doações podem ser feitas por meio de deposito ou transferência bancária: Banco do Brasil, Agência: 248-8, Conta Corrente: 54228-8, Maria de Jesus dos Santos Sousa. PIX celular: 99 988569887.

Endereço para as pessoas que não tenham dinheiro e queiram doar alimentos: Rua 19 de Abril, N° 66, Bairro Nova Jerusalém, em frente ao Campo do Vasco.

Restaurante Popular ampliará oferta de refeições e além do almoço terá jantar para os codoenses

A Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Codó anunciou que agora serão 900 refeições diárias no Restaurante Popular. O prefeito Dr. Zé Francisco esteve nesta terça-feira (22) na Secretaria de Estado de Assistência Social e foi recebido pelo Secretário Márcio Honaiser e assessores.

O gestor esteve acompanhado do secretário de Governo, Pedro Belo. A boa notícia para os codoenses é o aumento do número de refeições para o Restaurante Popular, que sobe para 600 no almoço e mais 300 no jantar.

Arraiais da Vacinação são essenciais para acelerar imunização contra Covid-19, diz presidente da Assembleia

Othelino destacou a importância dos mutirões para fazer a vacinação chegar a todos os cidadãos maranhenses

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), falou, durante a sessão remota desta terça-feira (22), sobre a importância do ‘Arraial da Vacinação’, promovido pelo Governo do Estado, como medida para acelerar a imunização com a primeira dose em diversos municípios maranhenses e, também, nas áreas mais periféricas da capital.

O parlamentar afirmou, ainda, que não há retenção de vacinas no Estado e que, independente de posicionamento político-partidário, é essencial que a vacinação chegue a todos os cidadãos e cidadãs.

“O ‘Arraial da Vacinação’ na Cidade Olímpica, em São Luís, por exemplo, conseguiu atingir quatro mil pessoas em um único dia. No final de semana passado, milhares de pessoas vacinaram nos mutirões realizados também nos municípios de Pinheiro, Imperatriz, São João dos Patos, além dos outros já promovidos em Açailândia, Santa Inês e Timon. Em cada ação dessa são 4, 5, 6, 8 mil pessoas a mais vacinadas”, ressaltou Othelino Neto.

O chefe do Legislativo disse que cada edição do Arraial deve ser festejada, uma vez que representa mais pessoas vacinadas com a primeira dose, o que também reflete na redução da faixa etária da imunização. “Toda a mobilização que é feita pelo governo e as prefeituras estimula a vacinação e promove o avanço no processo de imunização nos municípios maranhenses”, completou.

Segunda dose

Othelino também chamou a atenção para a importância de serem realizadas campanhas permanentes para que as pessoas tomem a segunda dose do imunizante. Ele ressaltou que ainda há uma quantidade significativa de pessoas que não estão completando o ciclo de imunização, muitas vezes por falta de informação.

“Eu até tenho sugerido a alguns prefeitos que façam uma espécie de busca pelos contatos deixados nos cadastros, a fim de que equipes dos municípios possam contatar essas pessoas e chamar para a segunda dose. Nós sabemos que só com a primeira aplicação não existe uma imunização segura e completa”, assinalou.

Deputado Aluísio Mendes propõe aumento de cadeia para criminosos que cometem crimes contra crianças

Caso Henry Borel e outros crimes incentivaram Aluísio Mendes (PSC) a apresentar projeto que deve elevar pena para atos contra crianças

Como forma de tentar combater a crescente onda de violência contra crianças em todo o Brasil, o deputado federal Aluísio Mendes (PSC-MA) apresentou proposta para aumentar as penas para crimes contra menores de 14 anos. Caso aprovada, os crimes de homicídio, lesão corporal quando cometidos contra pessoa menor de 14 (quatorze) anos e o crime de estupro de vulnerável terão suas penas aumentadas pelo menos em 1/3.

PANDEMIA DO ÓDIO

Neste ano, a morte do menino Henry Borel, no Rio de Janeiro, chocou a sociedade brasileira. Meses antes, um garoto encontrado nu e desnutrido acorrentado dentro de um barril revoltou o país. Ainda em 2019, em Luziânia (GO), um garoto de 2 anos teve a vida finalizada após o ataque de um pitbull. Dois anos antes, em 2019, o menino Rhuan Maycon foi esquartejado por um casal de lésbicas em outro momento infame da história brasileira. Em dezembro de 2015, Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva, de 7 anos, foi encontrada morta com 42 facadas.

Na justificativa do projeto, Aluísio Mendes lembra que a violência mais atendida nas unidades de saúde, contra crianças e adolescentes de 0 a 13 anos, é o estupro, que ocorre na própria casa da vítima em 58% dos casos.

“A frequência com que este tipo de notícia acontece deveria promover uma grande reflexão sobre o tratamento que estamos dando a nossas crianças. Dei a minha contribuição apresentando um projeto que aumenta a pena, mas devemos ir adiante”, avaliou Aluísio.

O projeto, além de prever aumento de pena para crimes contra crianças, também estabelece elevação do cárcere se o crime for cometido por parentes, padrasto, madrasta, tutor ou curador. Também há a possibilidade de elevação da pena se o crime for cometido contra criança portadora de deficiência.