Othelino Neto é homenageado com título de ‘Cidadão Santa-Inesense’

Othelino agradeceu aos vereadores pela homenagem e reafirmou seu compromisso de continuar trabalhando em prol da população de Santa Inês

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), recebeu, nesta sexta-feira, o título de ‘Cidadão Santa-Inesense’, concedido pela Câmara Municipal de Santa Inês. A honraria, proposta pelo vereador Enfermeiro Victor (PDT), é um reconhecimento aos relevantes serviços prestados pelo parlamentar ao município. A homenagem foi prestada durante a quinta edição do programa ‘Assembleia em Ação’, realizada na cidade.

Othelino agradeceu aos vereadores pela homenagem e reafirmou seu compromisso de continuar trabalhando para viabilizar ainda mais benefícios e serviços à população de Santa Inês.
“Com essa nova cidadania, que muita me honra, reforço a minha atenção e compromisso com a cidade. Tenho, agora, uma responsabilidade ainda maior com os santa-inesenses. É uma homenagem que guardarei não só no gabinete, mas também no meu coração”, declarou o chefe do Legislativo maranhense.

O vereador Enfermeiro Victor, autor da proposição, ressaltou a importância do trabalho de Othelino Neto em prol de Santa Inês. “O deputado é merecedor desse título. Em nome de todos os vereadores, que aprovaram a proposição por unanimidade, agradecemos a ele por ter sempre esse olhar carinhoso para nossa cidade”, afirmou.

O presidente da Câmara Municipal de Santa Inês, vereador Josino Catarino, também reconheceu o trabalho do parlamentar no município. “Por isso, nada mais justo do que o reconhecermos como cidadão de Santa Inês”, disse.

Apoio de Adelmo Soares fortalece pré-candidatura de Pedro Belo a DEPUTADO FEDERAL de Codó

Na noite de domingo (24), o deputado estadual Adelmo Soares e o secretário de Infraestrutura de Codó, realizaram um evento para as crianças na Praça de São Sebastião.

Na oportunidade, o repórter Amaral Junior  entrevistou os dois e questionou o deputado sobre a política em 2022.  Adelmo garantiu apoio à candidatura de Pedro Belo a deputado federal de Codó.

Assista ao vídeo:

Audiência pública realizada na Câmara Municipal de Imperatriz discute proposta de criação da UFAMA, nova universidade federal do Maranhão

Na sexta-feira, 22, a Câmara Municipal de Imperatriz realizou uma audiência pública com o intuito de discutir a proposta de criação da Universidade Federal da Amazônia Maranhense (Ufama), nova universidade federal do Maranhão. Atualmente, o estado é o único do nordeste que possui apenas uma universidade federal. A proposta é que, a partir da fundação da Ufama, os câmpus de Imperatriz, Balsas e Grajaú sejam desvinculados da UFMA e tenham mais autonomia. Para que essa proposta se concretize, tramita no Senado Federal o Projeto de Lei nº 55, de 2017.

A proposta conta com o apoio do Conselho Universitário (Consun) da UFMA, que aprovou e publicou uma Moção de Apoio à criação da nova universidade. A iniciativa partiu do senador Roberto Rocha (PSDB), que defende a relevância da nova universidade e explica como surgiu a proposta de criação da Ufama. “A ideia surgiu considerando a necessidade que a região tem de ter uma universidade que dialogue com a sua realidade. A realidade de Imperatriz, Balsas, Grajaú, a região oeste e a região sul não tem nada a ver com a realidade do norte do Maranhão. Então a gente tem que trabalhar na perspectiva de universidade com ensino, pesquisa e extensão, mas aí a gente não pode trabalhar pesquisando com realidades distintas. Com a Ufama, nós vamos ter a possibilidade de dialogar com a realidade regional”, destacou.

Representando o reitor Natalino Salgado Filho, o professor da Unidade Bom Jesus Leonardo Hunaldo dos Santos, que também é gestor da Sinfra no Câmpus Imperatriz, mencionou a Moção de Apoio do Conselho Universitário (Consun) reafirmando as expectativas do reitor. Há um ano como gestor da Sinfra, Santos destacou que, entre os objetivos propostos em seu plano de trabalho, uma das principais ações seria preparar a infraestrutura para a criação da nova universidade. “Chegando uma nova universidade, haverá crescimento do ensino superior maranhense, vão ser ofertados empregos, haverá mais vagas para os alunos, vai ajudar no desenvolvimento do estado e da região. Essa reunião é simbólica, mas a UFMA entende e mostra que isso é bom para todo o Maranhão, é bom para todos, e é importante que a nossa instituição se posicione reiterando sempre o seu apoio para a criação da nova federal”, pontuou.

O professor da UFMA e presidente da Federação das Associações Empresariais do Maranhão (Faem), Hélio Rodrigues Araújo, ressaltou a importância do desligamento entre a região tocantina e a capital. “Precisamos de uma autonomia financeira para conduzirmos o estilo de nossa nova federal, com outros olhos e com o sentimento de crescimento voltado para as peculiaridades da nossa região. Teremos a fisionomia de uma universidade regional voltada para as vocações e a realidade da Amazônia Maranhense. Com a criação de uma nova federal, teremos condições de conduzir melhor os destinos de nossos alunos, de nossos professores, de nossos administrativos, de nossos ingressantes e egressos, criando novas oportunidades e abrindo novos caminhos à todos”, garantiu.

O vereador Ricardo Seidel (PSD), um dos proponentes da audiência, aponta os benefícios da nova universidade no Maranhão. “O artigo 207 da Constituição Federal garante a autonomia didática, científica, financeira, então esses benefícios já garantem melhoria considerável dentro do que se tem hoje na estrutura da UFMA. Tudo o que se vai tomar de decisão, o colegiado pode pensar aqui, entretanto precisa da questão financeira. Leva-se a proposta para a reitoria em São Luís e precisa de uma autorização. O problema disso é que existe uma concorrência com todas as regiões do Maranhão mandando propostas, situações e necessidades. Quando se implanta uma nova universidade, a reitoria passa a ser aqui em Imperatriz. Essa autonomia visa garantir pensar em novos cursos mais focados, pensar em uma nova reestruturação, reformas e tudo o que a gente precisa, sem ter que vir de lá”, concluiu.

A professora do curso de Ciências Contábeis na Unidade Centro Eliene Cristina Barros Ribeiro participa da equipe responsável por elaborar a proposta da nova universidade e justificou a escolha do nome Ufama. “Nós nos preocupamos em montar uma universidade com uma estrutura que realmente trouxesse jus a esse nome, à nossa região tocantina e ao sudoeste do Maranhão. Somos eternamente gratos à UFMA por nos apoiar em tudo isso e também na estruturação do novo projeto da Ufama. Nós vamos continuar com toda a nossa estrutura, todo nosso corpo docente e de técnicos administrativos. Porém nós montamos uma estrutura de uma universidade um pouco mais enxuta, que trabalhe de uma forma um pouco mais tecnológica. Dentro desse projeto, queremos aumentar os cursos de graduação, abrir novos câmpus, e nós acreditamos que isso vai trazer mais desenvolvimento para nossa região, de maneira que a educação da região tocantina possa acompanhar todo o desenvolvimento tecnológico hoje do Brasil e do mundo”, ponderou.

O diretor da UFMA-Câmpus Imperatriz, Daniel Duarte Costa esclareceu que após a implantação da Ufama o desmembramento não proporcionará mudanças tão radicais pois o processo de transição ocorrerá gradativamente. “Dentro do período de transição a UFMA ainda vai fazer parte da nossa instituição nos dando esse subsídio, as orientações e capacitações necessárias, além de acompanhamento, porque uma nova universidade não surge do nada, visto que estaremos em processo de desmembramento. Então, será uma ação pacífica já que a gestão superior está apoiando essa ação e isso vai ser bem positivo, a gente vai construir isso coletivamente, construindo os nossos nomes, nosso regimento, nosso novo estatuto, e toda a criação dessa estrutura da universidade, tanto nos termos físicos quanto nos termos constitucionais e legais na documentação da nova universidade”, enfatizou.

De acordo com o diretor, a partir da aprovação do projeto de lei é possível que o desligamento total entre as duas universidades ocorra logo após o período de transição, que geralmente é realizado no prazo de um ano. Ele assegura que os acadêmicos com os cursos em andamento não serão prejudicados. “Todos os cursos correntes continuarão no mesmo ponto em que eles estão, a gente vai permanecer com os mesmos cursos tanto de graduação, quanto de mestrado e doutorado, o corpo docente permanece aqui, então não vai ter prejuízo ao nosso quadro discente”, ressaltou.

O coordenador do curso de Jornalismo da UFMA, Marco Antônio Gehlen, considera significativa a proposta de criação da nova universidade. “Uma estrutura de nove câmpus espalhadas pelo Maranhão, como que se consegue atender bem, cuidar, fazer o crescimento de cada uma dessas regiões com uma sede administrativa localizada só em São Luís? É muito difícil, por causa da logística geográfica, decisões financeiras, então essa autonomia de um novo câmpus da universidade federal que pudesse nascer aqui na região, reunindo os câmpus de Imperatriz, Balsas e Grajaú, faria com que nós pudéssemos ter orçamento e potencial de decisão pra seguir o próprio caminho, decidir as próprias prioridades e explorar as potencialidades da região. Então, a gente acredita que, essa divisão, que tem o apoio da reitoria da UFMA, porque ela reconhece que isso seria importante para o crescimento daqui, faria muita diferença no futuro. Se a gente imaginar daqui há alguns anos, caso isso venha a se consolidar, a gente pode imaginar uma universidade que desenvolva essa cidade e também outros municípios”, declarou.

O acadêmico André Zimbawer Claudino é favorável à criação da nova federal e destacou os motivos. “A implantação da nova universidade agrega pontos positivos dentro da nossa região, pelo fato de que o nosso polo está em São Luís e isso não agrega muito valor nas implementações da universidade como um todo, tais como bolsas, atividades de pesquisa expandidas. Então, os câmpus mais distantes da capital lutam pra sobreviver e manter os laboratórios e outras atividades que vão além do câmpus. E a gente percebeu que esse empenho veio muito dos professores durante esse período de educação a distância. Por isso, se uma universidade própria estiver na nossa região, isso vai multiplicar o empenho e o fôlego dos graduandos e dos novos alunos que entrarão na universidade”, afirmou.

A audiência pública foi presidida pelo vereador Fábio Hernandez (PP) e contou com a participação do prefeito de Porto Franco Deoclides Macedo (PDT); do deputado federal Josivaldo JP (Pode); do primeiro diretor da UFMA Câmpus Imperatriz, José Geraldo da Costa; do vice-reitor da Universidade Estadual da Região Tocantina (Uemasul), Expedito Barroso; do diretor nacional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Antônio Rosendo Júnior; além de professores, estudantes e membros do Movimento Nova Federal do Maranhão.

Assista a audiência pelo canal da Câmara Municipal de Imperatriz no Youtube:

Há décadas o Maranhão luta para conseguir implantar a segunda universidade federal, visto que a UFMA é a única no estado. Após diversos projetos que buscaram a criação da nova universidade, o senador Roberto Rocha apresentou uma proposta para fundar a Universidade Federal da Amazônia Maranhense (Ufama), por meio do Projeto de Lei nº 505, de 2017.

A Comissão Executiva do Movimento Nova Federal do Maranhão com o apoio de entidades representativas dos municípios de Imperatriz, Grajaú e Balsas, assinaram um abaixo-assinado defendendo a criação da nova universidade.

O documento foi enviado por e-mail a todos os senadores e deputados federais da bancada maranhense, além de vereadores das cidades mencionadas. A intenção é solicitar apoio legislativo para a proposta de criação da Ufama, reiterando a importância do projeto que beneficiará mais de 20 municípios da região sul e sudoeste do estado.

Com informações do site Região Tocantina.

Por: Hérika de Almeida
Produção: Laís Gomes
Revisão: Jáder Cavalcante

Vice-prefeito Camilo Figueiredo se compromete a construir novo galpão do troca-troca com recursos próprios

Comovido com as condições dos trabalhadores informais da área do troca troca, que estão sem um local, para expor seus produtos, aproximadamente oito meses, o vice-prefeito de Codó Camilo Figueiredo, se comprometeu a construir um novo galpão.”Eu me comprometi, e hoje nós estamos aqui, para começar a obra, que deve durar uns quinze dias, e vou ter a satisfação de entregar pra eles, são trabalhadores,são pais de família, que tiram o sustento aqui do troca-troca” declarou, Camilo Figueiredo.

“O Camilo fazendo essa obra pra gente, vai ficar melhor, nós que fica, todo mundo que trabalha aqui, ficar na sombra” disse o autônomo, Fernando Araújo.

A construção do novo local será feita com recursos próprios, afirmou o vice-prefeito, Camilo Figueiredo, que esteve na manhã desta segunda feira, 25, levando a boa notícia, aos feirantes do troca-troca.
“Quando você quer ajudar, você não cria dificuldades, se você tiver condições e tiver oportunidade, é sempre bom tá ajudando as pessoas” disse, o vice-prefeito.

“vai ser de grande utilidade pra eles, porque você, vê aqui, tá tudo no meio do tempo, quando a gente fizer tudinho, vai ficar bem coberto, ficar bonito, é.. poucas pessoas, que vê os serviços desses caras aqui no troca-troca, que tá fazendo isso, o Camilo tá de parabéns!” parabenizou a ação do vice-prefeito, o pedreiro, Valmiran Lopes.

Texto da Assessoria de Comunicação enviado ao Blog do Leonardo Alves como sugestão de pauta.

Homenagem marca posse de novo procurador do Estado

Nesta sexta-feira (22), a Procuradoria Geral do Estado do Maranhão (PGE/MA) empossou o novo procurador do Estado, Luís Humberto de Castro Costa. A solenidade de assinatura do termo de posse e juramento contou com a presença e palavra do procurador-geral, Rodrigo Maia, dos procuradores que compõem o Conselho Superior da PGE/MA e familiares de Luís Humberto.

O empossado destacou a alegria em retornar à sua terra natal para atuar como procurador. “É a realização de um sonho desde os tempos da faculdade, e só tenho a agradecer a todos que contribuíram em minha jornada até aqui”, disse Costa.

Na ocasião, foi conferida ainda, in memoriam, a medalha 28 de novembro do mérito da Procuradoria Geral do Estado ao procurador do Estado, Samuel Mendes Soares Santos. A honraria é concedida àqueles que representam papel de destaque e importantes serviços na advocacia pública.

Samuel foi exemplo de perseverança na luta contra a Covid-19 e desenvolveu com dedicação destacada produção jurídica e atuou em defesa do Estado, junto à Procuradoria Regional de Imperatriz.