Browsing: Educação

Nesta segunda-feira (27), se é celebrado o Dia Nacional do Livro Didático.

“O livro didático faz parte da vida de todos nós. Quando pensamos em aprendizado sempre vem à memória uma página ou a figura de um livro. Ele constrói o cidadão. Que a gente ensine as novas gerações a respeitar o livro didático como instrumento de crescimento”. O pedido é da coordenadora de Habilitação e Registro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Nadja Cezar Ianzer, para o Dia Nacional do Livro Didático, celebrado hoje (27).

A autarquia investiu para este ano R$ 1,3 bilhão, para distribuir 157 milhões de exemplares para 32 milhões de alunos dos anos finais do ensino fundamental (sexto ao nono ano), além de repor e complementar exemplares para os anos iniciais e para o ensino médio. A previsão para 2018, é de R$ 1,9 bilhão em investimentos.

O FNDE é responsável pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) que tem como principal objetivo a distribuição de coleções de livros didáticos aos alunos da educação básica. O fundo disponibiliza ainda acervos de obras literárias, obras complementares e obras em versões acessíveis (áudio, Braille e MecDaisy).

Isonomia pedagógica

O PNDL tem mais de 30 anos, mas a distribuição de livros no Brasil já acontece há mais de 80 anos. “E vem se aperfeiçoando”, disse Nadja.

A coordenadora explicou que o programa influencia o mercado editorial na busca pela qualidade física e pedagógica dos livros didáticos. “A avaliação pedagógica é gerida pelo Ministério da Educação (MEC), que permite que as obras tenham todo o conteúdo aprovado e de acordo com as diretrizes educacionais nacionais”, disse, explicando que o PNLD também respeita a autonomia pedagógica das escolas.

Após a seleção dos títulos inscritos pelas editoras, o MEC elabora o Guia do Livro Didático, que é disponibilizado às escolas participantes. “Então, quem escolhe é o professor, que conhece suas necessidades locais e escolhe o material que mais se adequa às suas turmas e sua realidade”, disse Nadja.

Ela ressaltou, entretanto, que o MEC preza pela isonomia dos estudantes, que tem acesso aos conteúdos com a mesma qualidade. “Diante da diversidade e condições, permitimos que todo o professor tenha acesso aos recursos pedagógicos mínimos. Têm muitas escolas que só tem o livro didático”, disse à Agência Brasil.

A previsão para publicação do Guia do Livro Didático para 2018 é junho de 2017. No próximo ano, aproximadamente 7 milhões de alunos, de 19,5 mil escolas de ensino médio.

Digitalização

A coordenadora do FNDE afirmou que o livro didático não é pensado apenas para conteúdo pedagógico, mas a fomenta aprendizagem, induz o desenvolvimento da escrita e da leitura e democratiza o acesso à informação e cultura. “Ele é pensado para difundir uma cultura nacional, trazer aspectos não só educativos, mas sociais, entendendo que o livro é o objeto de maior força pedagógica”, disse.

Segundo Nadja, os livros didáticos trazem instrumentos digitais para serem inseridos, mas não devem ser substituídos. Ela conta, inclusive, que escolas que se apropriaram de novas tecnologias e se digitalizaram estão retornando à utilização do livro didático, pois houve um retrocesso no aproveitamento dos conteúdos pelos alunos.

“Muitas vezes, eles [livros digitais] não estão formatados do jeito que mais alcança as crianças, talvez o instrumento em si não seja capaz de fazer as crianças aprenderem ou o professor não tenha o domínio. O livro já tem esse modelo mental”, destacou.

Cuidando do livro

O PNLD é executado em ciclos trienais alternados. Assim, a cada ano o FNDE adquire e distribui livros para todos os alunos de determinada etapa de ensino e repõe e complementa os livros reutilizáveis para outras etapas, que pode ser: anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental ou ensino médio.

Por isso, à exceção dos livros consumíveis, os livros distribuídos deverão ser conservados e devolvidos para utilização por outros alunos por um período de três anos. A devolução é fundamental para o bom funcionamento do programa.

Segundo Nadja, o FNDE envia os livros como doação, e cada rede, estadual ou municipal, é responsável pela redistribuição durante os três anos e destinação final, que pode ser a reciclagem, doação ao aluno ou outro tipo de ação.

“O material é escolhido para que resista bem os três anos e sempre enviamos informativos sobre a questão do cuidado”, disse, contando que muitas escolas têm ações que fomentam nos meninos o respeito pelo livro, como concurso de boas práticas, campanhas de encapamento e premiações pela conservação dos livros.

Fonte: Imirante

Resumo do Regulamento Nº 01/2017

Características do Processo Seletivo

Cursos:

Ensino Médio, Educação Jovens e Adultos, Técnico em Administração, Técnico em Administração Integrado ao Ensino Médio, Técnico em Finanças Integrado ao Ensino Médio, Técnico em Secretariado Integrado ao Ensino Médio, Técnico em Informática e Técnico em Informática integrado ao ensino médio.

Região/Localidade:

Nos Estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Etapas do Processo Seletivo:

1ª e 2ª Etapa:

a) As inscrições e as provas serão On-line realizadas do dia 16/02 às 23h59 do dia 03/03/2017;
b) O candidato inscrito realizará as provas com 30 questões, com duração de 2 minutos para cada questão;
c) Serão considerados habilitados para a 3ª Etapa, os candidatos que obterem nota mínima igual ou superior a 50% (cinquenta por cento) do total de pontos no teste on-line, desde que não obtenha nota igual a zero em nenhuma das disciplinas;
d) O resultado será divulgado a partir do dia 27/03/2017.

3ª Etapa:

Entrevista pessoal estruturada na unidade da CAIXA.

Requisitos:

1. Estar cursando e frequentando do 1º ao penúltimo semestre do curso.
2. Ter disponibilidade para estagiar em regime de 25 (vinte e cinco) horas semanais compatíveis com o horário da vaga.
3. Quando da convocação ter idade mínima de 16 (dezesseis) anos.

Benefícios:

1. Bolsa auxílio R$ 500,00 e auxílio transporte R$ 130,00 mensal.

Cronograma:

AÇÃO PERÍODO
Publicação do edital 16/02/2017
Período de inscrições e provas 16/02/2017 a 03/03/2017
Prazo de recurso 06/03/2017
Publicação da lista de classificação 27/03/2017
Entrevista pessoal estruturada na unidade da Caixa A partir de 28/03/2017

Inscreva-se já!

Fonte: CIEE

O ministro da Educação, Mendonça Filho, fala com jornalistas após encontro com a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia - 12/01/2017

O ministro da Educação, Mendonça Filho

O ministro da Educação, Mendonça Filho Durante entrevista ao vivo para GloboNews na última quinta-feira, o ministro da Educação, Mendonça Filho, cometeu um crasso erro de português. Ao ser questionado sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o ministro afirmou que “haverão(sic) mudanças, mas essas mudanças não ocorrerão em um curto prazo”.

Na ocasião, o ministro falava sobre as mudanças feitas por medida provisória no currículo do Ensino Médio e afirmou que modificações também acontecerão no Enem. De acordo com a gramática do português, o verbo “haver” no sentido de “existir”, “fazer”, “ocorrer”, “acontecer” sempre será impessoal, ou seja, não terá sujeito e ficará sempre no singular.

Fonte: Redação

Prof. Wolney Campos Graduado em Pedagogia, Especialista em metodologia do Ensino Superior, Gestão e Supervisão Escolar.

O Brasil viveu um momento de transição política, com a saída de Dilma e a ascensão de Temer à presidência. Há que se analisar o governo Dilma e os inúmeros programas sociais desenvolvidos na sua gestão. Os programas sociais envolvem educação, saúde, habitação,transporte e tudo o que fiz respeito ao bem-estar do povo brasileiro. Muitos dizem que esses programas são alienatórios, deixando as pessoas ” viciadas” em apenas ” receber”.
Para as vozes discordantes, é importante lembrar que milhões de crianças não frequentam a escola ou a abandonam antes mesmo de aprender a ler e escrever corretamente; milhões estão à procura de trabalho mas sem oportunidades; milhões estão morrendo por doenças relacionadas à pobreza e à situação de extrema vulnerabilidade social em que se encontram. Com a ausência desses programas, esse quadro só tende a evoluir.
O atual presidente propõe Emendas Constitucionais (PEC’s) que negam ao povo direitos inalienáveis. A Reforma do Ensino Médio, retira da grade curricular as disciplinas de Filosofia e Sociologia, entre outras, que levam o aluno a pensar e se posicionar enquanto cidadão crítico,reflexivo e participativo, o que não é de interesse  das classes dominantes.
A Reforma da Previdência é uma afronta ao trabalhador brasileiro, com uma proposta de aposentadoria que o levaria a se aposentar numa idade em que já não teria nem mesmo condições físicas de ir a um banco receber seu benefício. São apenas algumas colocações entre as diversas implicações dessas propostas absurdas e aviltantes ao povo brasileiro e aos seus direitos.

Deixamos um questionamento para que você se posicione enquanto cidadão:
Como você vê o atual contexto político brasileiro, sabendo que essas medidas acabarão por  massacrar e subjugar ainda mais os cidadãos brasileiros que trabalham, estudam, num país onde a maioria das pessoas lutam, simplesmente , para sobreviver, sem muitas oportunidades e perspectivas?

Prof. Wolney Campos

Candidatos da lista de espera devem manifestar interessa nas vagas presencialmente no campus de oferta.

Imagem relacionada

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) divulgou os procedimentos e prazos para a convocação de candidatos a vagas em seus cursos de graduação por meio da Lista de Espera do SISU 2017. O edital estabelece que os interessados devem comparecer ao campus para o qual se inscreveram no período de 20 a 23 de fevereiro, munidos de documento oficial de identidade e CPF, a fim de manifestar interesse em concorrer a uma das vagas remanescentes.

Clique aqui para acessar o edital.

As vagas disponíveis estão especificadas de acordo com curso, turno e cota. A classificação será feita de acordo com a nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2016) e a divulgação da primeira convocação está prevista para o dia 6 de março. Outras três convocações poderão ser feitas, caso ainda haja vagas remanescentes.

Há vagas em 19 cursos de graduação tecnológica, licenciatura e bacharelado nos campi de Açailândia, Alcântara, Bacabal, Barreirinhas, Buriticupu, Caxias, Codó, Imperatriz, Santa Inês, São João dos Patos, São Luís – Centro Histórico, São Luís – Maracanã, São Luís – Monte Castelo, São Raimundo das Mangabeiras, Timon e Zé Doca. O quadro geral de vagas pode ser consultado no Anexo I do Edital PROEN nº 04/2017.

Fonte: Por Portal IFMA

Um vídeo no YouTube que explica “tudo que você precisa saber sobre o ensino médio” já tem mais de 1,6 milhão de visualizações. Com conclusões positivas sobre a reforma, o material tem a aparência de espontaneidade, mas trata-se de publicidade disfarçada do MEC (Ministério da Educação).

O governo Michel Temer pagou R$ 65 mil para o canal Você Sabia falar bem da reforma. Comandado por dois jovens, o canal no YouTube conta com 7,1 milhões de assinantes.

No vídeo, publicado em 31 outubro de 2016, os youtubers Lukas Marques e Daniel Molo explicam benefícios da reforma. “Com esse vídeo você aí deve estar dando pulo de alegria. Se eu tivesse que fazer o ensino médio e soubesse dessa mudança eu ficaria muito feliz”, diz um deles.

Nada no vídeo diz que se trata de conteúdo pago. Pelo contrário. “A gente achou o tema bastante interessante, uma galera [estava] discutindo nas redes sociais, e então falamos: deixa com nós que a gente explica direitinho”, reforça um deles no final.

A reforma no ensino médio foi sancionada nesta quinta-feira (16) pelo presidente Michel Temer. O governo acelerou a tramitação no Congresso Nacional por meio de uma medida provisória.

Os youtubers ressaltam aspectos do projeto, como a possibilidade de escolher as áreas de aprofundamento. “Você ai que quer trabalhar com história, não vai ficar perdendo tempo com célula”.

Daniel Miolo afirmou que frequentemente trabalham com conteúdo patrocinado. Quando julgam que o resultado será “interessante”.

“A gente já ia fazer um vídeo sobre o novo ensino médio. Como recebemos a proposta, decidimos aceitar”, diz Molo, que não comentou valores. “Recebemos uma coxinha e um refrigerante em troca”, brincou.

O canal do youtuber Pyong Lee também produziu um vídeo sobre o novo ensino médio, com 86 mil acessos (veja acima). Procurado, o MEC ainda não confirmou o valor pago por esse conteúdo.

Os dois canais estão associados à produtora Digital Stars, que encomendou os vídeos. A empresa representa alguns dos youtubers mais bem-sucedidos do Brasil, como Kéfera Buchmann, Christian Figueiredo, Felipe Castanhari e Flavia Calina.

“Uma das condições incluídas pela Digital Stars foi dar os influenciadores total liberdade sobre o teor de suas opiniões sobre a reforma do ensino médio, sem a necessidade de seguir qualquer roteiro ou diretriz política”, afirmou à Folha o CEO da Digital Stars, Luiz Felipe Barros.

Em seu vídeo, Pyong Lee afirma: “Sinceramente, acho que [com a reforma] a gente tem um caminho, uma luz. O fato de haver uma preocupação em relação à educação, o que há muito tempo a gente não vê, é positivo e inovador, independente do que deve ser reformado.”

A Folha apurou que outros dois canais foram procurados, mas ambos recusaram as propostas.

Segundo o MEC, canais de influenciadores digitais complementam a estratégia de comunicação institucional. A pasta informou que o pagamento foi realizado dentro da legalidade, por meio da agência já escolhida por licitação para atender o MEC.

Para rebater críticas à reforma, o MEC reforçou o gasto com publicidade. De outubro a janeiro, gastou R$ 13 milhões, valor 51% superior ao gasto no período anterior.

Ao menos até esta quinta-feira (16), propagandas oficiais na TV, rádio e internet divulgavam a reforma do ensino médio.

Fonte: Por Folha de S.Paulo

A intenção é contribuir substancialmente com o número de médicos formados e, assim, diminuir o déficit de profissionais que hoje assola o Estado

Proposta é para os campi da Uema (Foto: Flora Dolores / O ESTADO)

SÃO LUÍS – O deputado estadual Wellington do Curso (PP) apresentou, na Assembleia Legislativa do Maranhão, proposição em que solicita a articulação de ações que viabilizem a criação do curso de Medicina nos polos da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) de São Luís e Imperatriz. A proposição deve ser encaminhada ao Governador do Estado e ao Reitor da instituição, solicitando que adotem providências, no sentido de viabilizar junto ao Ministério da Educação a criação do curso de Medicina nos campi já citados.

O deputado afirmou que caso seja implantado, o curso de Medicina terá como consequência o desenvolvimento de vários acadêmicos da região, tendo em vista a demanda por vagas existente.

“Atualmente, a UEMA dispõe somente de um campus em todo o estado que oferece o curso de Medicina, o campus de Caxias. Paralelo a isso, observa-se um dado preocupante que é o baixo percentual de médicos por habitantes. Nesse sentido, a ampliação do número de campis que oferecem o curso de Medicina irá contribuir substancialmente com o número de médicos formados e assim diminuir o déficit de médicos que hoje assola o Estado.”, disse Wellington.

Fonte: O ESTADO

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com