Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Maranhense da rede estadual de ensino é medalhista de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática

O estudante Eduardo Silva Feitosa, do Centro de Ensino Rosalina Sá, escola da rede estadual localizada no município de Feira Nova do Maranhão, na regional de Balsas, é o único medalhista de ouro do Maranhão na 12ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). O anúncio foi feito durante a solenidade de premiação, que ocorreu na última semana no auditório do IFMA, em Imperatriz, com a participação de gestores escolares, professores e pais.

Na região Sul do estado houve 10 estudantes da rede estadual medalhistas na Obmep, sendo sete de bronze, conferidas a estudantes dos municípios de Formosa da Serra Negra, Fortaleza dos Nogueiras, Açailândia, São Pedro dos Crentes e Imperatriz; duas de prata para estudantes dos municípios de Formosa da Serra Negra e São João dos Patos; e uma ouro para Feira Nova do Maranhão. Em toda a rede estadual foram 26 medalhas, sendo uma de ouro, duas de prata e 23 de bronze.

WhatsApp Image 2017-07-02 at 07.59.54

Estudante Eduardo Silva Feitosa, do CE Rosalina Sá, recebe a medalha de ouro

Para o medalhista de ouro na competição, o bom desempenho na competição é resultado de muito estudo. “Comecei minha carreira com a OBMEP em 2012, eu ainda estudava no município de Balsas, porém, eu não passei para a segunda fase. No final daquele ano eu havia visto alguns materiais da OBMEP, no caso, as soluções e minha mente se expandiu. No ano de 2013 comecei a estudar em Feira Nova do Maranhão e mesmo sem internet eu estudei por apostilas de concurso público, e acabou que nesse ano ganhei medalha de bronze. Com experiência, eu ganhei em 2014 e 2015 (8° e 9° anos) duas medalhas de prata. Em 2016, no 1° ano do Ensino Médio eu tive um grande trabalho em estudar para a OBMEP, pois eu competia com os alunos do 2° e do 3° anos, e estudei por todos os bancos de questões da OBMEP e todas as provas anteriores da segunda fase disponíveis. Mais de um mês estudando de 6 a 10 horas ao dia para a olimpíada. No dia 30 de novembro de 2016 fiquei sabendo que fui o único medalhista de ouro aqui do Maranhão, minha família e minha escola ficaram muito alegres”, relatou Eduardo Silva Feitosa.

Segundo o estudante, a OBMEP abriu portas para outras áreas. “A Obmep me abriu grandes caminhos, eu tive a oportunidade de fazer o PIC (Programa de Iniciação Científica Junior); de ser um dos 200 selecionados para o EHH (Encontro Hotel de Hilbert) em Florianópolis (SC), no ano de 2015, com alunos de todo o Brasil. Fui convidado a participar do Instituto GV no Rio de Janeiro. O incentivo é muito importante, porém, mesmo que não haja incentivos, não precisamos nos desanimar, pois basta querer e procurar. Agradeço muito a Deus e a meus pais pelo apoio e disposição de viajarem comigo além do meu professor de matemática que até hoje é ele. E o que mais quero cursar Engenharia Civil”, completou.

WhatsApp Image 2017-07-02 at 08.00.38

Estudante Antônio José, da rede estadual no município de Formosa da Serra Negra, recebeu a medalha de prata

O estudante Antônio José, da rede estadual no município de Formosa da Serra Negra, também coleciona diversas medalhas na competição. “No início, a vontade de conseguir um prêmio em uma competição tão grande como a OBMEP me influenciou bastante. Com o passar do tempo, o esforço que fiz para conseguir a medalha de bronze em 2011 me aproximou da Matemática e me mostrou que ela era interessante e divertida. A partir de então, cada vez mais eu estudava e me empenhada em resolver questões para adquirir experiência. Somado ao incentivo que tive e tenho dos meus pais, professores e amigos, a dedicação me trouxe seis medalhas na OBMEP e abriram portas para outras olimpíadas, como a OBA (de astronomia), da qual também sou medalhista”, revelou.

“É muito gratificante e motivador para um professor ver seus alunos demonstrarem que aprenderam o que lhes foi ensinado. Satisfação imensa para mim, gestores escolares, professores e pais, participar da premiação e entregar medalhas pelo excelente desempenho dos nossos gênios da Matemática da rede estadual”, ressaltou a gestora da Unidade Regional de Educação de Imperatriz, Orleane Santana.

Dos quase 18 milhões de alunos brasileiros inscritos na Obmep 2016, 501 conquistaram medalhas de ouro, 1.500 ganharam a prata e 4.501 ficaram com o bronze, além de mais de 42 mil menções honrosas. Eduardo vai representar o estado em Brasília na etapa nacional.

A Obmep foi criada em 2005 com o objetivo de estimular o ensino da matemática, revelar talentos e melhorar o ensino da disciplina. A competição é promovida com recursos do MCTIC e do Ministério da Educação e tem apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

Fonte: SEDUC

Categoria: Educação