DesembargadorJoaquim Figueiredo pede respeito à dignidade das mulheres

O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Joaquim Figueiredo, afirmou que mais que uma simples data de comemorações, o Dia Internacional da Mulher – comemorado em 8 de março – é, na verdade, uma inegável oportunidade para uma profunda reflexão sobre a situação do segmento feminino na sociedade.

“É longo o caminho das mulheres em busca de respeito à sua dignidade pessoal, social e profissional. A tradição de reservar uma data para exaltar os direitos das mulheres é centenária e tem o propósito de incentivar a luta contra as desigualdades consubstanciadas pelo gênero”, assinalou o desembargador Joaquim Figueiredo.

Ele disse que, mundialmente vinculado às reivindicações femininas por Justiça e igualdade social, o Dia Internacional da Mulher indica que é necessário continuar o trabalho buscando a concretização dos direitos já positivados, mas ainda não efetivados plenamente.

“Com esse entendimento, conclamamos a todos a luta incessante para a construção de um mundo melhor, e de uma vida mais digna para todos, sem a violação dos direitos das mulheres”, ressaltou.

De acordo com o desembargador Joaquim Figueiredo, o Dia 8 de Março deve ser visto como um referencial da luta incessante contra todas as formas de discriminação e de exploração, para que a mulher cidadã, orgulhosa de seu gênero, possa ocupar o espaço que lhe cabe na construção de uma sociedade mais justa”.

“Nesse sentido, reafirmamos o compromisso do Poder Judiciário com a defesa e o fortalecimento dos direitos das mulheres em prol do respeito e da efetiva igualdade de gêneros no País. Que o sentimento de luta contra as injustiças impostas às mulheres continue presente todos os dias do ano”, concluiu.