Em coletiva, Flávio Dino convoca novos médicos para atuarem no combate ao coronavírus no Maranhão

O governador Flávio Dino anunciou nesta segunda-feira (27) novo decreto que requisita serviços médicos para as cidades do Maranhão com maior número de casos confirmados de coronavírus. O pedido foi feito às universidades públicas, particulares e Ministério Público para que sejam antecipadas as formaturas dos alunos de Medicina que estão cursando as últimas disciplinas da graduação.

“Há necessidade de recursos humanos. Estamos hoje nos dirigindo às faculdades e universidades maranhenses solicitando que essas instituições apliquem formaturas antecipadas para o quanto antes esses profissionais nos ajudarem no enfrentamento do coronavírus”, disse o governador ao relembrar que essa é uma diretriz do Governo Federal. Esses médicos atuarão no reforço à Atenção Básica, em triagens, nas unidades de saúde.

O governador anunciou, ainda, que esse reforço na equipe de profissionais também acontecerá por meio da convocação de médicos brasileiros e estrangeiros que participaram do Programa Mais Médicos. Os profissionais poderão se cadastrar em até 48h para concorrer às 40 vagas destinadas para atuação nas UPA’s e unidades básicas de saúde.

Ação integrada

Na coletiva, o governador falou também sobre a integração entre municípios e Estado, onde haverá indicação de técnicos municipais que acompanharão mais de perto a atenção básica nas cidades. “ É muito importante que os municípios nos ajudem nesse momento. As unidades básicas de saúde são imprescindíveis na prevenção e tratamento de casos leves de coronavírus. Essa gestão integrada é fundamental para conter o agudo quadro sanitário que estamos atravessando neste momento”, disse o governador Flávio Dino.

Novos leitos e respiradores

Nesta semana estarão funcionando 40 novos leitos de UTI na Ilha de São Luís: 20 disponíveis no Hospital Real – hospital privado alugado pelo Governo do Estado – e 20 novos leitos no Hospital Universitário da UFMA. Serão entregues ainda leitos clínicos que atenderão a área Itaqui-Bacanga, como apoio à UPA e unidade-mista da região.

Para a próxima semana a previsão é que sejam concluídas as obras que estão em fase final, como os novos leitos do Hospital do Servidor, do anexo do Hospital Nina Rodrigues e do Hospital São José. Além disso, a Secretaria de Saúde dialoga com a direção do Hospital Português para oficialização dos novos leitos que também estarão disponíveis nessa unidade de saúde.

Em decisão do STF, o Maranhão conseguiu adquirir mais respiradores que ajudarão a garantir a expansão de novos leitos de UTI.  Além disso, serão construídos hospitais de campanha nas cidades de São Luís e Açailândia para atender maior número de pacientes atingidos pelo coronavírus nas regiões que têm apresentado maior número de casos confirmados.

Comércio não-essencial

Sobre as atividades comerciais que estão suspensas até o dia 5 de maio, o governador Flávio Dino alertou os maranhenses que, com o crescimento no número de casos confirmados e óbitos no Maranhão, é mais provável que haja lockdown do que a liberação das atividades, após o dia 5.

“Se continuar crescendo o número de casos e óbitos, mesmo com todos os esforços que estamos fazendo de domingo a domingo, se não for possível garantir as vagas necessárias aos pacientes que precisam de leitos, precisaremos intervir com medidas não-farmacológicas mais duras, me refiro ao bloqueio total, com apenas as atividades mínimas, essenciais, para conter o deslocamento das pessoas e garantir que mais vidas sejam salvas”, concluiu o governador.

Ascom – Governo do Maranhão