Em um mês, Maranhão avança no combate ao coronavírus com novos respiradores, leitos e restrições

A chegada dos 107 respiradores da China ao Maranhão nesta semana representa um novo passo na execução da estratégia de combate ao coronavírus no estado. O plano estadual envolve uma série de medidas que vão desde a área social até o estabelecimento de normas e decretos para desacelerar a curva de contágio.

São medidas que vêm acompanhadas umas das outras, para evitar ao máximo o impacto negativo. Por exemplo: o comércio foi suspenso, então estão sendo distribuídas cestas básicas e a conta de água foi zerada para 850 mil pessoas. Ou ainda: as aulas presencias foram suspensas, então o governo colocou aulas online, pela TV e pelo rádio para os estudantes.

Além disso, as ações são casadas para otimizar o resultado. Exemplo: a rede estadual de saúde está ganhando novos leitos de UTI, então os respiradores que chegaram da China vão ajudar a equipar essas unidades.

O aumento de leitos é considerado fundamental principalmente para a Ilha de São Luís, que concentra mais de 90% dos casos no Maranhão. Por isso, a suspensão do comércio e dos serviços não essenciais foi prorrogada na região. Para as cidades com nenhum ou poucos casos, cabe ao prefeito decidir se haverá algum tipo de flexibilização.

Além disso, ficou decidido que, diante do crescimento dos casos de Covid-19, os supermercados têm que operar com a metade da capacidade. E os bancos precisam, obrigatoriamente, evitar aglomerações.

Veja abaixo um resumo das ações adotadas pelo Governo do Maranhão desde o mês passado para combater o coronavírus:

Respiradores

Uma carga de 107 respiradores comprados da China, a partir de doações de empresas que atuam no Maranhão, chegou a São Luís na última terça-feira (16). Mais 80 respiradores e 200 mil máscaras estão a caminho.

Além disso, o Governo do Maranhão isentou o ICMS para respiradores e equipamentos de combate ao coronavírus.

Leitos

Mais de 130 novos leitos de UTI estão prontos, bem como mais de 120 de enfermaria. Na próxima semana, devem ser entregues mais cem novos leitos. Parte deles está nas obras que estão sendo feitas neste momento.

Está em fase de conclusão a obra no Hospital do Servidor para 52 novos leitos em ala exclusiva. No Hospital Nina Rodrigues, os trabalhos são para fazer um anexo com 50 novos leitos. E o HCI, que é um hospital exclusivo para pacientes com coronavírus, está recebendo uma nova ala.

Há ainda obras na Unidade Municipal Mista do Bacanga, da Prefeitura de São Luís, para leitos de enfermaria.

A ampliação do Hospital Genésio Rêgo, com 52 leitos exclusivos, já ficou pronta. E o Hospital Carlos Maceira recebeu 20 novos leitos de UTI.

Em outras cidades, também está havendo a abertura de leitos. O Hospital de Imperatriz ganhou 10 novos leitos de UTI; o de Coroatá, outros 10. O de Timon recebeu 23 leitos de UTI e enfermaria.

Além disso, seis novas UTIs móveis começaram a funcionar no Maranhão.

Testagem

Quatro UPAS foram direcionadas para testagem da população na Ilha de São Luís: Araçagi, Vinhais, Itaqui-Bacanga e Cidade Operária. O Centro de Testagem da Beira-Mar passou a ser dedicado exclusivamente para profissionais de saúde e segurança pública.

Em outras cidades, os hospitais regionais estão fazendo a coleta para testagem dos pacientes.

Máscaras e equipamentos de proteção

As máscaras faciais são fundamentais para a evitar a disseminação do vírus. Pensando nisso, os detentos do Complexo de Pedrinhas começaram a produzir um milhão delas.

Já no Casarão Tech, estão sendo fabricados equipamentos de proteção para profissionais da saúde.

Economia para a população

Cerca de 850 mil maranhenses estão com a conta de água gratuita por dois meses. Já os motoristas ganharam mais prazo para pagar o IPVA 2020.

O ICMS foi zerado para álcool em gel, álcool 70%, luvas médicas, máscaras médicas e hipoclorito de sódio 5%.

E também houve a suspensão por 90 dias do pagamento do ICMS sobre o Simples para micro e pequenas empresas.

Alimentação

Em todo o Estado, estão sendo entregues 200 mil cestas básicas, numa parceria entre o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa.

Os Restaurantes Populares foram adaptados para continuar funcionando durante a pandemia. E há assistência, refeições e abrigo às pessoas em situação de rua.

Ajuda direta

Para ajudar a classe artística, foram lançados dois editais para artistas locais se apresentarem em lives (shows online).

Para o setor de turismo, foi feita compra antecipada de diárias de hotéis e pousadas em São Luís a serem usadas por estudantes do interior, bem como refeições para eles.

Houve também compra antecipada de diárias de hotéis e restaurantes na Chapada das Mesas e nos Lençóis para divulgação turística. E contratação de guias para tour online nos principais atrativos turísticos do estado.

Para os artesãos, o Governo do Estado lançou edital para a compra de duas mil peças. E também compra antecipada de vouchers de manicures, cabeleireiros e barbeiros.

Apoio aos estudantes

Por causa da suspensão das aulas presenciais, foram colocadas à disposição aulas online, pela TV e pelo rádio para os alunos da rede estadual, além de simulado virtual.

Caminhoneiros

Os estabelecimentos à beira das estradas foram autorizados a continuar abertos para apoiar os caminhoneiros. A categoria também tem um Whatsapp (99-991910709) para se informar sobre estabelecimentos abertos nas rodovias.

Profissionais da saúde

Foram contratados mil profissionais por meio de seletivo para atuar no combate ao Covid-19. Está sendo feita a distribuição de equipamentos de proteção a profissionais de saúde pelos helicópteros do Centro Tático Aéreo (CTA).

Também ficou decidido que haverá pagamento integral aos profissionais de saúde que adoecerem por coronavírus.

Medidas preventivas

Uma série de normas foi lançada para evitar a disseminação em massa do vírus. Entre elas: suspensão do comércio e de serviços não essenciais; suspensão das viagens de ônibus interestaduais; suspensão de grandes eventos; e suspensão das aulas.

Houve ainda determinação para bancos evitarem aglomeração e para mercados operarem com metade da capacidade. Há fiscalização nesses estabelecimentos e no comércio em geral para que as regras sejam cumpridas.

Também foi adotado o isolamento domiciliar para quem foi a unidades de saúde com síndromes gripais.

 

Ascom