Em videoconferência, Reitor Natalino Salgado outorga grau a 57 formandos do Câmpus de Chapadinha

CHAPADINHA – “Que durante esse período, que parece tão sombrio, possamos refletir sobre a vida, a existência, e a gratidão. Que sejamos gratos pela nossa saúde, família e por nossos amigos”: foi em tom de agradecimento que Francisco Freitas Júnior, o orador oficial da Colação de Grau dos cursos de Agronomia, Ciências Biológicas e Zootecnia, do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais (CCAA) do Câmpus de Chapadinha, iniciou seu discurso. Ele e mais 56 formandos receberam a outorga de grau do reitor da Universidade Federal do Maranhão, Natalino Salgado, na tarde desta sexta-feira, 22, por meio de videoconferência.

A cerimônia foi realizada conforme a Portaria 212/2020 que dispõe sobre o trabalho remoto na Universidade. Na ocasião, o professor do curso de Ciências Biológicas, Alécio Matos, representando os docentes, ressaltou a singularidade desta colação.

“Não imaginava assistir a formatura de vocês desta forma. Mas afirmo que apesar da distância física a alegria me contagia por saber a importância deste momento tão esperado por vocês. Recordo-me que eram apenas jovens aprovados no Enem em busca de uma profissão e cheios de dúvidas. Hoje, vejo profissionais centrados com o olhar firme e positivo para o futuro. A UFMA entrega, agora, cidadãos qualificados para impactar de forma positiva e muito produtiva a sociedade”, disse.

Francisco Júnior, o orador da turma, ainda clamou por mais respeito, igualdade de gêneros e espírito de luta por dias melhores. “Hoje, nos tornamos profissionais e temos participação fundamental enquanto sociedade. Que possamos nos fazer ouvir, mesmo com o autoritarismo crescente em nosso país, e que não aceitemos nenhum tipo de preconceito, principalmente, o machismo e a homofobia, tão presentes na nossa área de atuação”, ressaltou.

Ao fim do discurso, o estudante fez uma homenagem póstuma a estudante Andiara Leão. “Não podemos deixar de lembrar a nossa querida amiga de Zootecnia, Andiara Leão, que iniciou esta caminhada conosco. Que possamos levá-la em nossos corações e fazê-la presente nesta colação de grau, que também seria dela”, recordou.

Segundo o reitor Natalino Salgado, é preciso ter esperança e continuar a jornada mesmo diante das adversidades. “O mundo está em ebulição, fronteiras geográficas e temporais foram questionadas de modo rápido e ouso dizer, duradouro. Mas é esse novo mundo que aguarda também vocês. O conhecimento adquirido nestes anos de graduação agirá como guia condutor neste mundo marcado por novas formas de relações afetivas e profissionais, de comunicação mediada pelos meios virtuais e situações cheias de ineditismo. Mas ouso assegurar que nenhum destes acessórios substitui o fator humano numa rica troca de experiências e aprendizado mútuos. A pesquisa não pode prescindir de homens e mulheres que se dedicam a encontrar respostas e a ciência requer discípulos comprometidos”, finalizou.