Familiares denunciam que empresário JNET morreu por negligência médica no hospital de campanha de Codó

Na manhã deste domingo (26), familiares denunciaram ao Blog do Leonardo Alves negligência médica por parte do governo Nagib, o que levou a morte do empresário José Matos, mais conhecido como JNET, vítima da Covid-19 aos 31 anos.

O empresário deu entrada no hospital de campanha no dia 21, às 23h05min, foi medicado e decidiu ir para casa. Retornou a unidade hospitalar  e foi levado diretamente para a ala de pacientes de Covid. Ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu às 20h de quarta-feira, segundo informações da direção do hospital.

Familiares desmentem o prefeito de Codó, Francisco Nagib ao afirmar que JNET teria fugido do hospital, que mentiu quando disse que conseguiu um leito em Timbiras e a família não quis.

CONFIRA A NOTA DOS FAMILIARES NA ÍNTEGRA:

Bom dia Leonardo Alves!

Venho através do seu blog desmentir o prefeito de codó Francisco Nagib,  “primeiro a população de codó estar sendo enganada achando que no hospital de campanha tem UTI mentira “..

 Na madrugada de terça pra quarta feira recebi um telefonema do hospital de campanha.  chegando lá vi meu cunhado J- Net rolando no chão com muita dor com falta de ar ,  a doutora de plantão pediu pra nós levar ele  (J-net ) pra casa na  condição que ele  estava era pr ficar em observação e não ir pr casa..  tive que levar por que a mesma disse que ele estava agitado e  que não podia ficar com ele no hospital de campanha.

Levei pra casa 4:40 da manhã chegamos em sua residência ele começou a rolar no chão de tanta dor e com  falta de ar e pediu pra retornar,  Assim fizemos retornamos e ligamos pro Nagib que por imediato chegou ao hospital mas  só disse que ele ia ficar bom somente isso …

Passei o dia todo tentando levar pra timbiras o diretor e os enfermeiros falaram que o caso dele era de UTI por que os rins tinha parado  e que em timbiras não tem UTI. O ex prefeito e dep Zito tentou conseguir uma vaga pra Coroatá,  teve um erro no hospital de codó  em colocar no sistema a procura de um leito pra um paciente mais não justificou o caso.  Tinha um leito em lago da pedra mais não de UTI. Perguntei pro Dr por que levar pra lago da pedra se não tinha UTI ele disse foi um erro vamos consertar e ja vai ser resolvido a pessoa que estava em Coroatá tentando nos ajudar através do Zito Rolim,  disse que se tivesse colocado o caso dele que era de UTI eles tinha conseguido,   atarde fomos informado que ele ja tinha dado uma parada cardíaca.

.7:00 da noite o hospital de campanha nos ligou e fala que conseguiu um leito em Caxias e que J-net  tava bem. Agora me explica como ele tava bem se na hora de colocar na USA ele veio a hobito.. obs ele ficou pior quando tomou um medicamento na upa na noite de terça feira da Upa ele foi encaminhando pro hospital de campanha.

NAGIB MENTIU QUANDO DISSE QUE J-NET FUGIU..MENTIU QUANDO DISSE QUE O AJUDOU  ,MENTIU QUANDO FEZ UM VÍDEO  DIZENDO QUE FOI VISITAR A FAMÍLIA DO J-NET. MENTIU QUNDO DISSE QUE CONSEGUIU UM LEITO PRA TIMBIRAS E A FAMÍLIA NÃO QUIS, A MINHA ESPOSA TA EM CHOK A MINHA SOGRA CHORA DIA E NOITE E O PREFEITO BRINCANDO COM O SENTIMENTO DOS FAMILIARES.

0 thoughts on “Familiares denunciam que empresário JNET morreu por negligência médica no hospital de campanha de Codó

  • Antônio carlos says:

    Pura negligência. As autoridades dessa cidade tão brincando com as nossas vidas. Vejo só o prefeito dizendo que aqui em Codó tá tudo perfeito e maravilhoso.
    Me sinto humilhado como codoense.
    A dor da família é muito grande, só Deus mesmo!

  • GRACILIANO says:

    Levarei está denúncia ao MPF e MPMA. Isso é uma vergonha, pois temos um sociopata no comando da cidade.

  • ENOFRE BARROS RODRIGUES says:

    Isso muito grave, brincar com a vida dos codoence.pois se fosse alguém da família dele prefeito iria direto pra uma uti.

  • Minha tia também faleceu por negligência de médicos no HGM. O estado dela era grave, porém quando realizou teste do COVID-19 não testou positivo. Mas a mesma era diabética, hipertensa, saturação baixa (todos alterados). Decidiram fazer em Coroatá TC do tórax e deu 25% de acometimento dos pulmões. Então ela retornou para o hgm passou 2 dias e o médico decidiu dar alta hospitalar e se tratar em casa, pq segundo ele , ela não estava com covid e corria o risco de se contaminar no hospital. Os rins dela estavam sobrecarregados, ela começou defecar e vomitar sangue. Nos fins das contas, chamamos o SAMU, tivemos ligações rejeitadas, por fim, quando decidiram vim já era tarde demais … Minha tia veio a óbito em casa!

Comments are closed.