Francisco Nagib e Zito Rolim esquecem de apresentar pedido de calamidade pública para Codó

Com mais de 1.254 casos confirmados do novo coronavírus e 38 mortes em Codó, o prefeito Francisco Nagib e o deputado suplente  Zito Rolim esquecem de apresentar pedido de estado de calamidade pública para o município com  aumento crescente de casos.

A Assembleia Legislativa já aprovou mais de 40 projetos de decretos legislativos de calamidade pública em sessão remota.

Em situações que demandam uma ação rápida e eficaz por parte da administração pública, se faz necessária a declaração de estado de calamidade em nosso município.

O objetivo do decreto de calamidade pública em Codó daria liberdade legal para o prefeito Nagib adotar medidas de enfrentamento e situações excepcionais. O decreto facilitaria a gestão pública municipal de uma forma mais rápida no combate ao coronavírus e no recebimento de verbas do governo federal.

Na prática, o estado de calamidade pública dá mais poder para os prefeitos na tomada de decisões para enfrentar a pandemia e suas consequências.

0 thoughts on “Francisco Nagib e Zito Rolim esquecem de apresentar pedido de calamidade pública para Codó

  • O que acontece hoje em Codó e fruto de incompetência de vários prefeitos que já se passaram pela prefeitura, uma cidade que recebe tantos recursos não ter Uti e uma vergonha, mais esperar o que de uma cidade onde legislativo e executivo e judiciário são farinha do mesmo saco.

  • Mais poder para que?? Verbas e mais verbas estão chegando a tempo, e o gestor vai comprar caixões, e alugar cemitério. Codó está necessitando de hospital, de UTI, medicamentos, as pessoas não tem como comprar. Não tem equipamento necessário para os funcionários. E o poder público parece
    está em outro mundo. Acordem voltem para a terra. O covid 19 está é aqui e agora

Comments are closed.