Governo federal avalia rastreamento por celular para evitar aglomerações

O governo federal segue avaliando a hipótese de usar os dados das operadoras de telefonia para identificar aglomerações e tomar medidas para coibir a disseminação do novo coronavírus. A medida está em análise dentro do governo, segundo informou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Em entrevista ao Itaú Unibanco, Moro opinou que o rastreamento das pessoas pelo celular deve preservar a identidade das pessoas.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, chegou a gravar um vídeo nas redes sociais falando da possibilidade de monitorar as aglomerações para auxiliar no isolamento social. Mas, em seguida, retirou o vídeo das redes, a pedido do presidente Jair Bolsonaro. Segundo Marcos Pontes, a ação seria melhor avaliada para ter a segurança de que a privacidade das pessoas seria resguardada. Desde então, o governo não se posicionou mais sobre o assunto.

Alguns países e estados da federação, como São Paulo, já fazem uso dessa estratégia, como forma de controle da pandemia. De acordo com o sindicato das empresas de telecomunicações, o SinditeleBrasil, são fornecido apenas os dados de localização dos usuários, sem identificar o indivíduo.

Mais destaques dessa edição:

– Brasil tem mais de 400 mortes por Covid-19, em 24 horas
– Total de óbitos passa de 3.000 e casos confirmados já ultrapassam 49 mil
– Diretor-Geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, é exonerado
– Câmara aprova projeto que remaneja recursos da assistência social durante a pandemia
–  15 milhões de trabalhadores informais vão receber hoje a primeira parcela do auxílio emergencial

DÊ SUA OPINIÃO SOBRE A QUALIDADE DO CONTEÚDO QUE VOCÊ ACESSOU.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o “Fale com a Ouvidoria” da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Rádios EBC