Luíza Rocha emite carta aberta á sociedade sotense

Não podemos deixar prosseguir a chantagem, o desespero e a humilhação* ou
*O achaque daqueles que se acham acima da lei diante da nossa gente trabalhadora, honesta e sublime*

(Carta aberta à Justiça Eleitoral, aos Ministérios Públicos Estadual e Federal e às pessoas de bem de São João do Sóter.)

Às vésperas das eleições municipais, agentes públicos da Prefeitura de São João do Sóter, inclusive uma determinada pessoa com formação superior que deveriam dar o exemplo de ética e correção, abordam criminosamente trabalhadores e trabalhadoras da educação, condicionando suas eventuais contratações
para a função de professora e professor, através Secretaria de Educação, desde que os(as) contratados(as) e sua família votem na atual prefeita da cidade, para renovação do seu mandato.

Isso é ultrajante e humilhante, ofende o princípio da liberdade de escolhas que é inerente à dignidade humana.

Entretanto, todos e todas sabemos que o desespero e a maldade são contraproducentes. Produzem resultados oposto ao esperado. A chantagem é uma das práticas criminais mais abomináveis, pois utiliza-se das nossas necessidades, neste caso o TRABALHO, para tentar nos acorrentar e controlar nossas vontades.

Mas, a população sotense, sabiamente, daremos a nossa resposta nas urnas, não só elegendo a melhor proposta para a cidade, mas repudiando com veemência essa prática do desespero e da maldade.

Concluo, fazendo meus os versos de Cora Coralina: quero *”mais esperança verdadeira nos meus passos do que tristeza nos meus ombros”*.

São João do Sóter, 08 de Junho de 2020.

*Luíza Rocha*, pedagoga, advogada e pré-candidata à prefeita.

 

Caxias Online