Vereador Dr. José Mendes participa de audiência pública para debater política estadual de resíduos sólidos

O Vereador Dr. José Mendes participou nesta quinta-feira (30) de audiência pública para debater a política estadual de resíduos sólidos. O evento aconteceu no auditório da unidade da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) em Codó, e contou com as presenças do deputado Estadual Zito Rolim (PDT) e o deputado estadual deputado Rafael Leitoa (PDT), presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

A audiência, que também será realizada em outros municípios maranhenses, tem por objetivo discutir a Política Estadual de Resíduos Sólidos e a atualização e conclusão do Plano Estadual de Resíduos Sólidos. De acordo com o deputado Rafael Leitoa a audiência é dirigida a representantes das câmaras municipais, professores, sociedade civil organizada, representantes de empresas geradoras de resíduos sólidos em atividade nos municípios envolvidos e a sociedade em geral.

“Estamos aqui ao lado do vereador Dr. José Mendes para falar do Projeto de que institui a política de redução das emissões de gases de efeito estufa, provenientes do desmatamento e da degradação florestal; conservação dos estoques de carbono florestal, manejo sustentável de florestas e aumento de estoques do carbono florestal, mas principalmente com objetivo de debater soluções e diretrizes para erradicação dos lixões nas cidades maranhenses”, explicou o deputado.

O líder do governo na Câmara, Vereador Dr. José Mendes, destacou a relevância da audiência. “É um projeto muito importante, pois visa estabelecer as metas de redução das emissões de gases de efeito estufa, trata também a questão da redução do desmatamento e irá debater a política estadual de resíduos sólidos e os lixões, e os planos e matas para que consigamos executar em nosso estado. Desta forma estaremos realizando as ações e políticas públicas corretas para preservação do meio ambiente, o equilíbrio do clima e uma economia sustentável”, concluiu.