Deputado Arnaldo Melo manifesta apreensão com o avanço do coronavírus em todo o país

O deputado Arnaldo Melo (MDB) participou, nesta terça-feira (2), da sessão solene que marcou a abertura dos trabalhos do novo ano legislativo do Parlamento Estadual maranhense. Antes da solenidade, ele concedeu entrevista ao jornalista Juraci Vieira Filho, da Rádio Assembleia, e falou das expectativas para 2021 e da apreensão com o crescimento do índice de contaminação do novo coronavírus em todo o país.

“São muitas as perdas de vidas no país inteiro e, também, no Maranhão. A contaminação é galopante e nós, deputados, como representantes do povo, dos municípios e das diferentes regiões deste estado, precisamos estar sintonizados para promovermos a verdadeira organização sanitária estruturante que o Maranhão necessita”, afirmou Arnaldo.

O deputado Arnaldo Melo avaliou que o Brasil nunca chegará ao patamar de uma vida sanitária equilibrada se não houver investimentos em saneamento básico. Segundo ele, ações desta natureza demandam muitos recursos, principalmente por parte do governo federal, mas, também, dos governos estaduais e municipais. “Saneamento é de extrema importância para conter os avanços de várias doenças”.

Uma das soluções defendidas por Arnaldo Melo para este setor é a formalização de parceria público-privada, que pode beneficiar, a médio e curto prazo, principalmente estados e municípios que tenham maior fragilidade econômica, sem condições de custear obras estruturais de saneamento.

Como ação parlamentar para o ano de 2021, Arnaldo pretende mobilizar seus colegas parlamentares no sentido de convidar o Governo do Estado a discutir parcerias com empresas privadas do Maranhão e, também, de outros estados, a fim de que possam ser garantidas obras de saneamento básico, pelo menos, nas cidades que têm maior aglomerado populacional.

“Com obras estruturantes de saneamento, vamos reduzir não apenas o nível de contaminação do coronavírus, como também da dengue e de tantas outras doenças que acometem em massa a nossa população”, explicou Arnaldo.

Ascom – Alema