Fiscalizações de combate ao coronavírus se estendem às agências bancárias

Dando prosseguimento às medidas preventivas para combater o avanço do coronavírus, o governador Flávio Dino estabeleceu a ampliação das medidas de fiscalização às agências bancárias de São Luís. A medida segue decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), definindo que estados e municípios têm autonomia para adotar medidas de isolamento social. No anúncio, feito em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (15), no Palácio dos Leões, o governador reforça a importância da contribuição de todos os cidadãos para que se possa aplacar os números da doença e preservar vidas.

“As medidas de distanciamento social são o único remédio existente no planeta, porque não há vacina. Mais gente nas ruas, mais circulação do vírus, mais contaminação de pessoas, situação que, infelizmente, cresce rapidamente. Diante disto, convoco todos os maranhenses para que possamos fortalecer as medidas preventivas, inverter essa curva de crescimento e garantir que as pessoas sejam atendidas na rede hospitalar”, frisou o governador Flávio Dino.

Fiscalizações de combate ao coronavírus se estendem às agências bancárias.

A fiscalização nos bancos da capital se deve ao fato de São Luís concentrar o maior número de casos no Estado. A proposta é que seja mantida distância de segurança de dois metros, para prevenir riscos, orientação das agências para orientar clientes sobre cumprimento das medidas e outras iniciativas de conscientização. O trabalho é realizado por equipe exclusiva formada por técnicos da Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual de Saúde (SES), fiscais do Procon-MA e grupamento da Polícia Militar. As agências terão 72 horas para se adequar às regras.

O Governo do Maranhão enviou, anteriormente, ofício ao Banco Central pedindo medidas para evitar aglomerações nas agências bancárias, mas não houve resposta. “Respeito as demais autoridades do país, mas, infelizmente, o Banco Central nada fez em relação às filas e por isso, determinei uma equipe de fiscalização exclusiva para os bancos”, informa. “Depende da decisão governamental e as assumo, mas também, da decisão de cada cidadão e contamos com apoio de todos”, reforça Flávio Dino.

O secretário de Estado da Casa Civil, Marcelo Tavares, se posicionou sobre a medida, enfatizando ser uma tarefa fundamental nestes dias complicados que se atravessa, e que trará resultados. “Independente da boa vontade dos bancos e das ações de fiscalização, o mais importante é que haja consciência de cada cidadão em usar o bom senso, mantendo distância nas filas e se protegendo para correr o menor risco possível”, disse o secretário.

Ações preventivas

Fiscalizações de combate ao coronavírus se estendem às agências bancárias.

Os supermercados também deverão adotar novas medidas de prevenção, conforme anúncio do governador na coletiva. Segundo o documento, o estabelecimento deverá limitar o acesso de pessoas, para que não ultrapasse metade de sua habitual capacidade física; uma pessoa por família terá acesso ao estabelecimento, exceto se precisar de acompanhante; para adentrar o estabelecimento, os consumidores deverão usar máscaras e higienizar as mãos com álcool em gel ou água e sabão.

O decreto determina ainda que o supermercado reduza pela metade o número de carrinhos e cestas de compras, assim como as vagas de estacionamento, quando houver. As novas medidas valem também para mercados, quitandas e afins e constam no Decreto nº 35.736, de 14 de abril. Os estabelecimentos terão 48 horas, a partir da data do decreto, para adequação às determinações. Paralelamente, prosseguem as fiscalizações e orientações nos estabelecimentos em diversos bairros e centros comerciais, a exemplo da Rua Grande.

 

Governo do Maranhão