Garoto que tocava em instrumento improvisado recebe bateria do Governo: “realizei um sonho”

Vice-governador entregou o novo instrumento ao menino João Pedro (Foto: Oris Moraes)

Qual sonho você realizou quando tinha 11 anos? O pequeno João Pedro Diniz Cantanhede Sá, morador do bairro Porto, da cidade de Alcântara, realizou o dele esta semana ao receber do governo do estado do Maranhão uma bateria musical. A primeira da vida dele.

“Eu só tenho a agradecer. É a realização de um sonho que eu tenho desde criança. Tocar é tudo para mim, é como eu extravaso os meus sentimentos”, disse João Pedro.

A solenidade de entrega da bateria foi no dia 13, no auditório do Edifício João Goulart restrita a familiares e autoridades. João Pedro recebeu o instrumento das mãos do vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, e do secretário de Estado da Cultura e coordenador do programa Nosso Centro, Anderson Lindoso, e depois fez uma demonstração do seu talento musical.

Mas antes de começar a solenidade, ao chegar no auditório, a primeira coisa que João Pedro fez foi correr para uma bateria que estava montada no canto da sala. Olhos brilhando e baquetas na mão, foi só deixar o talento fluir. O músico e professor da Escola de Música do Maranhão, Rogério Leitão, que estava lá para dar ensinamentos básicos, disse que ele já tinha a veia musical nas mãos, mas precisava aprimorar e dar continuidade nos estudos. “Pensei que ele não soubesse de muita coisa, mas ele tem talento, tem conhecimento. Precisa aperfeiçoar”, disse.

João Pedro começou a se interessar por música quando tinha 2 anos. Ele contou que pegava as tampas das panelas da casa da avó e saia tocando. Porque ele escolheu a bateria e não outro instrumento? Ele disse que não sabe, apenas que gosta. Tanto gosta que montou a sua própria bateria com pedaços de pau, canos, latas, cabo de vassoura, baldes, e o que mais dava para aproveitar.

A mãe de João Pedro, Doracilene Diniz Cantanhede, contou que a bateria feita de lata era montada e desmontada diariamente, e que João fazia sozinho. “Há tempos a gente vem fazendo campanha para conseguir essa bateria. Ainda não caiu a ficha para mim, porque era algo que a gente nunca ia ter condições de dar para ele”, disse.

Mas agora isso ficou no passado. João tem uma bateria de verdade. “Eu estou muito feliz, muito mesmo. Sonhava, mas achava que era distante, agora eu estou na escola de música e vou poder aprender mais”, contou. O gosto musical dele é eclético, mas destaca Alceu Valença, Legião Urbana e Wesley Safadão. Seu ritmo preferido, aliás, é o forró. João contou na solenidade, que nasceu com o cordão umbilical envolto no pescoço e pouca oxigenação no cérebro, por isso tem epilepsia occipital. A música é um refúgio. Ele faz tratamento para tratar a ansiedade também, e a música, segundo a mãe dele, funciona como uma terapia. “Vocês não tem noção do que é ver ele feliz, realizado. É muito orgulho que a gente sente”, disse emocionada.

“As pessoas só precisam de oportunidade”

João Pedro testou bateria durante a entrega (Foto: Oris Moraes)

Tudo começou quando a família de João Pedro soube que o vice-governador Carlos Brandão estava na cidade para o Arraial da Vacinação. Ao encontrá-lo, contou como era a bateria dele, pediu uma, fez uma pequena apresentação com a bateria da escola de música que estava lá. Dois dias depois novamente no Arraial, ele encontrou o governador Flávio Dino e reforçou o pedido.

“Ele me contou a história dele, eu fiquei comovido, vi o talento dele e perguntei a Anderson (secretário de Cultura) se a gente tinha como dar a bateria a ele. E hoje estou feliz de vê-lo aqui, dando início a esse sonho dele. Essa é a diferença do nosso governo, ter esse olhar para o outro e dar oportunidade. Esse é o governo que olha para as pessoas. E esse é só o início do sonho dele. Que ele seja muito feliz”, disse o vice-governador.

500 kits musicais

Em função do pedido de João Pedro, o governo do Estado vai distribuir 500 kits musicais para municípios maranhenses, para ajudar pessoas como João Pedro. “Às vezes as pessoas só precisam de oportunidade. Quando a gente quer, a gente consegue”, reforçou o vice-governador.

Para o Anderson Lindoso, esse é o papel do Governo do Estado, enxergar nas pessoas as necessidades e fazer com que elas sejam atendidas.

“Com o João Pedro o que nós estamos fazendo é dando oportunidade a uma criança que tem um talento, não tem condições nem equipamentos de desenvolver esse talento, mas o Estado observando a necessidade dele, levou esse instrumento para que ele possa desenvolver suas habilidades e assim crescer na vida e poder se especializar no seu instrumento e ter o futuro que a ele é reservado”.

O vice-prefeito de Alcântara, Nivaldo Araújo, disse que “era uma felicidade imensa realizar o sonho de uma criança, representando toda uma juventude do município de Alcântara, precisa de um olhar das autoridades”.