Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor

Parceria Seduc e UFMA promove Curso de Formação Continuada para educadores quilombolas

Cerca de 500 educadores da rede pública estadual de ensino participam, desde a última segunda-feira (18), do Curso de Formação Continuada “Educação para relações étnico-raciais e para o Ensino da História e Cultura Africana e Afro-brasileira”, promovido pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), em parceria com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Curso de Licenciatura em Estudos Africanos e Afro-brasileiros.

A Formação tem por objetivo propiciar a realização do projeto de formação de professores estaduais para que o ensino da História e Cultura Africana e Afro-brasileira seja realizada a partir de uma perspectiva intercultural emancipatória, além de debater acerca das políticas antirracistas no mundo para contribuir com a formação e a implementação de políticas públicas que efetivem a igualdade étnico-racial no Maranhão.

Segundo a assessora de Educação do Campo e Educação Escolar Quilombola da Seduc, Marinildes Martins, o Governo do Estado vem cumprido determinações do Plano Nacional de Implementação da Educação para as Relações Étnico-raciais – elaborado pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com as organizações sociais do Movimento Negro Nacional – que orienta a inclusão, no currículo escolar, da História e Cultura Africana e Afro-brasileira.

“É uma parceria que vem se estendendo ao longo do tempo e que tem fortalecido as duas instituições, porque é dever do Estado e das universidades federais cumprir com essas determinações e fazer esse processo formativo, uma vez que tem profissionais que acumulam essa discussão. E essa aqui é mais uma ação voltada para o cumprimento dessas legislações que existem sobre a educação para as relações étnico-raciais”, disse Marinildes Martins.

Ainda de acordo com a assessora da Seduc essa parceria tem possibilitado, por meio do Termo de Cooperação Técnico-Científica, a ida de profissionais da Seduc e estudantes do Curso de Licenciatura em Estudos Africanos e Afro-brasileiros da UFMA para participação em Colóquios Internacionais promovidos em países do continente africano.

Em 2018 a comitiva contou com a participação de 60 pessoas, que passaram 15 dias na capital de Cabo Verde, Praia, onde participaram de capacitações, adquiriram informações e retornaram para São Luís incorporados de elementos a respeito da temática de políticas antirracistas para aqui multiplicar esses conhecimentos.

“O Estado financia a realização do Colóquio, onde quer que ele vá acontecer nos países africanos, e dá devolutiva para o Estado no processo de formação de professores com temáticas especificas, uma vez que tem profissionais que acumulam essa função, essa temática dentro da estrutura do Curso de Estudos Africanos. Nessa gestão, a Seduc está capacitando seus profissionais para poder atuarem com melhor qualidade e maior capacidade de fazer gestão diante da política da educação para as relações étnico-raciais”, reafirmou Marinildes.

O Curso, que acontece até o próximo dia 22 de novembro, no auditório do Centro Pedagógico Paulo Freire (UFMA), é destinado a 460 educadores da Unidade Regional de Educação de São Luís (URE São Luís) e 40 das demais Unidades Regionais (UREs), especificamente, para a modalidade de Educação Quilombola.

Para o gestor do Centro de Educação Quilombola Rosemary Medeiro Muniz da Silva, em Itapecuru Mirim, José Wanderson dos Santos Amorim, a Formação é imprescindível para aprofundamento no currículo étnico-racial para a melhora da educação quilombola, uma vez que após a construção de escolas dentro dos próprios quilombos houve um avanço na educação desses estudantes.

“Com isso, veio uma melhoria significativa para os alunos que há tempos saíam dos seus quilombos para estudar em outras escolas fora da sua vivência. E essa formação só vem melhorar para nós como gestores e professores formadores termos mais conhecimentos para a implementação dos currículos quilombolas da educação básica”, afirmou Wanderson Amorim.

II Colóquio Internacional de Políticas Antirracistas no Mundo

Programação inclui o II Colóquio Internacional de Políticas Antirracistas no Mundo

Dentro da programação do Curso de Formação Continuada, acontece ainda o II Colóquio Internacional de Políticas Antirracistas no Mundo, com o tema “Diálogos Brasil–Moçambique”, onde acontecerá a assinatura de um novo Termo de Cooperação que, em 2020, encaminhará uma nova turma para Maputo, capital de Moçambique.

Para a coordenadora da Licenciatura em Estudos Africanos e Afro-brasileiros da UFMA, Kátia Regis, é fundamental o diálogo com as diferentes universidades moçambicanas para enriquecer sobremaneira a formação dos discentes além de contribuir para a formação dos professores do nosso Estado, que é um dos mais negros do país.

“Essa iniciativa do Governo é uma proposta ousada. Nunca tinha ocorrido ainda no Brasil um número tão grande de estudantes de Graduação, em grupo, visitar um país africano para realizar pesquisas e participar de congressos. Agora, o nosso próximo Termo de Cooperação será justamente com Moçambique, outra região da África. Primeiro estivemos na África Ocidental e agora caminhando para a África Austral. Esse novo termo vai possibilitar ampliar o olhar para a diversidade que é o continente africano”, concluiu Kátia Regis.

Secretaria de Educação

Categoria: Notícias

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

error: Content is protected !!