UFMA e SECMA dialogam para fomentar projetos culturais

SÃO LUÍS – “A Universidade Federal do Maranhão dialoga com todas as instituições que visam atender à sociedade e implementar políticas públicas para o bem comum. Estender os braços da UFMA para a cultura é uma das missões mais nobres que tomamos para nossa gestão”, declarou o reitor Natalino Salgado em reunião com o Secretário de Estado da Cultura do Maranhão (SECMA), Anderson Lindoso. O encontro, realizado nesta sexta-feira, 17, teve por finalidade fomentar a parceria entre a UFMA e o Governo Estadual, visando à projeção da cultura regional para além do cenário local.

“A UFMA é uma instituição muito importante para a educação do estado, e educação também é cultura. Por isso a parceria com a Secretaria de Cultura pode trazer maiores benefícios para a sociedade, valorizando nossos artistas e englobando todas as manifestações populares da nossa terra. A Universidade está cumprindo seu papel social, mostrando para o Brasil o que o Maranhão produz”, destacou Anderson Lindoso.

Na reunião foi abordada a parceria entre a UFMA e a SECMA para a realização de vários eventos culturais produzidos pela Universidade, entre eles o Palacete Interativo; a Virada Cultural; Prêmio UFMA de Cultura (Pintura, Escultura, Música, Teatro, Dança, Audiovisual e Fotografia); Uni Reggae, Programa de Ação Cultural do Bacanga; entre outros. Também foi discutido o aumento da captação de recursos para o Festival Guarnicê de Cinema.

“Como instituição de ensino, é essencial buscar parcerias, porque a Universidade não é um ente isolado. Por isso esse diálogo interinstitucional é fundamental para a cultura, a extensão, a pesquisa e a inovação. Neste momento atual de crise econômica e fiscal, quanto mais parceria nós temos, menos dependentes de uma única fonte de recursos ficamos”, explicou a diretora do Departamento de Assuntos Culturais da UFMA (DAC), Li Chang Shuen.

A pró-reitora de Extensão e Cultura da UFMA, Zefinha Bentivi, também falou sobre os benefícios advindos dessa união com a Secretaria de Estado da Cultura. “A gente não entende porque essas parcerias estavam sem funcionar durante tanto tempo, pois a Universidade deve ser um ente aberto, sobretudo, quando se trata de extensão da cultura. Estou muito feliz em integrar uma administração que tenha essa sensibilidade”, pontuou.

UFMA