César Pires afirma que o povo quer a libertação de Codó

O deputado César Pires afirma que o grupo de oposição deu uma grande demonstração de força popular na convenção que homologou as candidaturas de Zé Francisco a prefeito de Codó, e do seu vice, Camilo Figueiredo.

“O povo de Codó mostrou sua indignação com a forma de governar que se instalou na prefeitura. E vai às urnas com esse sentimento de mudança”, enfatizou o parlamentar, que apoia o grupo Liberta Codó.

Ao lado de Zé Francisco, Camilo Figueiredo, Biné Figueiredo, Pedro Belo, Chiquinho do SAAE e outras lideranças do grupo Liberta Codó, César Pires fez um forte discurso para os codoenses que lotaram o local da convenção, quarta-feira à noite. “Vocês demonstram aqui o desejo de mudar o comportamento instalado na prefeitura. É preciso mais humanização, governar com mais respeito, estendendo a mão às pessoas independente de suas escolhas políticas”, declarou ele.

Como deputado de oposição, César Pires lembrou que ele é a única voz em defesa dos interesses dos codoenses e da população maranhense na Assembleia Legislativa, porque todos os outros se calam para não contrariar o governo. “A situação precária da MA-020 e da MA-026, fui eu quem denunciou e cobrei providências da tribuna. Foi a mim que os médicos dos hospitais estaduais recorreram para cobrar seus salários atrasados, porque sou livre para defender o povo e não traiu a confiança daqueles que me elegeram. Nunca submeti meu voto às decisões do governo. E é com esse sentimento que vocês devem ir às urnas”, conclamou.

Mudança

Para a multidão que ouviu atentamente seu discurso, César Pires disse que Zé Francisco soube entender esse sentimento de indignação dos codoenses e conseguir unir em seu grupo grandes lideranças que colocaram a libertação de Codó acima dos seus interesses pessoas. “Este é o palanque da humildade, liderando por um médico acostumado a salvar vidas. Acredito que ele será capaz de cuidar melhor das pessoas e de realizar uma administração libertária, sem agressões e sem vingança, em comunhão com o povo de Codó”, afirmou ele.

O deputado concluiu afirmando que acredita na força popular e tem a convicção de que o povo saberá fazer a escolha certa, dia 15 de novembro, e Zé Francisco vai vencer a eleição: “Quando estiver sozinho com a urna, o cidadão codoense terá a responsabilidade de fazer sua opção pela liberdade de Codó e vai mudar para melhor o destino da nossa cidade”.

Em ano eleitoral, Secretaria Nacional de Mulheres do PSB lança campanha “Candidatura Laranja, não”

Com a proximidade das eleições municipais de 2020, a Secretaria Nacional de Mulheres do Partido Socialista Brasileiro apresenta a campanha “Candidatura Laranja, não”, seguindo os princípios éticos e socialistas que norteiam a atuação do PSB. Direcionada às candidatas a prefeitas, vice-prefeitas e vereadoras, a iniciativa visa informar a militância socialista sobre os danos e as consequências de quem adota a prática ilegal de lançar candidaturas fictícias.

A caracterização de candidaturas laranja, uma vez reconhecida pela Justiça Eleitoral, torna irregular toda a chapa. Tal decisão pode ocorrer antes e depois do pleito, com o indeferimento do registro de todos os inscritos pelo partido, ou, até mesmo, após a diplomação dos eleitos, com a desconstituição do mandato eletivo obtido através de chapa irregular. Além disso, todos os envolvidos na fraude eleitoral estarão sujeitos à declaração de inelegibilidade pelo prazo de oito anos.

A secretária Nacional de Mulheres do PSB, Dora Pires, afirma que a campanha busca “incentivar a igualdade política entre mulheres e homens nas eleições e na vida partidária, além de servir de alerta para dirigentes estaduais e possíveis candidatas”.

Para Dora, somente com a real participação da mulher na vida política é que poderemos modificar este cenário.“O fortalecimento e a visibilidade da mulher na política estimulam a participação de outras mulheres também. Assim, ampliaremos gradativamente a presença da mulher nos espaços de poder. Quanto mais mulheres conseguirmos eleger agora, em 2020, mais mulheres poderemos eleger em 2022! Companheiras, vamos agir estrategicamente para alcançar nossos objetivos!”, convida Dora.

Lei Eleitoral

Com a nova Lei Eleitoral, os partidos devem obedecer às cotas de gênero. Ou seja, precisam ter, no mínimo, 30% de mulheres candidatas e destinar a elas pelo menos 30% dos recursos do fundo eleitoral e do tempo de propaganda de rádio e TV. Além disso, devem reservar, também, ao menos 30% das vagas nos órgãos de direção partidária, como comissões executivas e diretórios nacionais, estaduais e municipais.

Com linguagem clara e didática, o vídeo “Candidatura Laranja, não” traz alertas sobre as consequências criminais de uma candidatura fictícia, artifício utilizado por algumas legendas para burlar a lei, compondo as nominatas eleitorais, de forma a registrar candidatas que não concorrerão efetivamente ao pleito.

O Tribunal Superior Eleitoral [TSE] entende que a candidatura laranja constitui fraude eleitoral, que pode ser caracterizada, por exemplo, pelas seguintes situações:

• Candidatas que não elaboram nenhum material de propaganda, tampouco praticam atos de campanha;
• Candidatas que recebem uma quantidade insignificante de votos;
• Candidatas que promovem de forma ostensiva a campanha de outros candidatos ou candidatas;
• Candidatas que não movimentam quaisquer recursos durante a campanha; e
• Candidatas que desconhecem os detalhes de sua própria campanha, como o número registrado na urna e o partido pelo qual concorrem.

Prejuízo à democracia

Segundo levantamento feito portal Metrópoles, em 2016, “o país elegeu 7.803 mulheres, que equivalem a apenas 13,5% do total das cadeiras das câmaras municipais. Os municípios com mulheres prefeitas são 11,6% e abrangem apenas 7% da população do país. Isso coloca o Brasil na 156ª posição em um ranking da Organização das Nações Unidas sobre a representação política feminina (que abrange 188 países)”.

Mesmo representando a maior parte da população brasileira, 52%, as mulheres nem sempre têm seus direitos respeitados. No mundo, o número de mulheres em cargos de chefia de governo ou Estado é de apenas 7%. Na América Latina, por exemplo, o Brasil está à frente apenas de Belize e Haiti, no ranking de representação parlamentar.

Em palestra sobre suicídio e automutilação, ministra Damares orienta: “abrace e acolha”

“Pais e responsáveis, fiquem atentos aos sinais de sofrimento de seus filhos. Quando souberem de algum caso, não agrida. Ao invés disso, abrace e acolha”, orientou a ministra Damares Alves durante palestra sobre a saúde mental de crianças, adolescentes e jovens, ministrada na Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) nesta quinta-feira (17).

Ao chamar a atenção para o problema, a titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) falou da importância dos cuidados tomados dentro de casa. A ministra lembrou ainda que o Brasil ocupa posições preocupantes nos rankings de saúde relacionados ao tema.

“Nós somos um povo alegre, que dança, que joga futebol, que se diverte. Como a gente chega num ranking como oitavo país em suicídios do mundo e o primeiro em ansiedade? Há pesquisas que indicam que as nossas crianças são as mais estressadas da América do Sul e uma das mais estressadas do mundo”, alertou.

De acordo com a ministra, a estatística assustadora impõe a necessidade de reflexão. “O Brasil é esse país incrível. Precisamos saber o que está acontecendo com a nossa nação”, disse.

A palestra, realizada no mês da luta pela prevenção e conscientização sobre o suicídio e a automutilação, foi mais uma das ações em celebração ao Setembro Amarelo.

Setembro Amarelo

Em 2003, o dia 10 de setembro foi instituído Dia Mundial da Prevenção ao Suicídio pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP). No Brasil, em apoio à iniciativa, o período do Setembro Amarelo tem sido marcado pela ampliação dos debates sobre a prevenção do suicídio no país.

A campanha, que ganha força neste mês, foi criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Ao todo, são 30 dias destinados a atividades de conscientização.

PTB Nacional proíbe alianças de petebistas com partidos de esquerda e determina possível extinção de diretórios que descumprirem

O PTB tem reforçado sua posição de colocar-se como resposta, em oposição a partidos comunistas e socialistas, que historicamente eram os únicos reconhecidos como representantes da classe trabalhadora.

Nesse sentido, a executiva Nacional do PTB determinou no dia 4, através da Resolução 89/2020, a vedação de alianças, coligações partidárias, entre candidatos petebistas com partidos de esquerda: DEMOCRATAS, DEM e PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA-PSDB;PT, PSOL,PDT, PCdoB,REDE,PSB,PCB,PSTU e PCO.

Segundo o documento, os diretórios estaduais e municipais que descumprirem essa resolução, poderão sofrer, desde anulação dos atos convencionais em desacordo com as diretrizes, até possível dissolução pela Comissão Executiva Nacional.

Em decorrência do descumprimento de diretrizes da norma citada, a Executiva Nacional do partido anulou, através de resolução em, 29 de julho, atos e coligações erradas, adotadas, em convenções partidárias, nos municípios de Águas Lindas de Goiás (GO), São Bernardo do Campo /SP, Osasco SP, Presidente Prudente/SP, Fortaleza/CE e Salvador BA.

Agência Trabalhista de Notícias  – PTB Nacional

Dr. José Mendes lança candidatura a vereador de Codó e apoiará Dr. Zé Francisco para prefeito

Na Convenção do PSD e partidos coligados realizada no dia 16, na AABB, foi lançada a candidatura ao cargo de Vereador do Advogado Dr. José Mendes e do médico Dr. José Francisco para Prefeito de Codó.

Dr. José Mendes possui inúmeros trabalhos em prol da Sociedade Codoense. Exerce a advocacia há 14 anos em Codó e Região e já ocupou a Presidência da OAB-Subseção de Codó, no período de 2015 a 2018, de forma muito dinâmica e atuante e participativa.

Durante seu mandato a frente da OAB-Subseção de Codó e por meio de sua atuação junto aos Orgãos Públicos foram instalados e equipados a Sala da AOB na Unidade Prisional de Codó e o Núcleo Permanente do Instituto Médico Legal na Cidade, dentre outras realizações.

O Advogado já conta com o apoio nesta empreitada dos Ex-Presidentes da OAB-Codó DR. Mendes, Dr. Barreto Roma e Dr. Machado, de advogados e de representantes de movimentos sociais de Codó.

Com grande experiência e credibilidade entre os seus colegas de Profissão e na sociedade civil pelo seu trabalho em defesa da Cidadania, dos Direitos Humanos e com novas ideias e projetos para a população será uma boa opção para a população codoense como candidato à Câmara Municipal de Codó.