Reitor Natalino Salgado inaugura novo laboratório de informática da Licenciatura Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros

Na tarde de sexta-feira, 6, o reitor Natalino Salgado inaugurou o Laboratório de Informática da Licenciatura Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros (Liesafro). O espaço conta com sete computadores novos e possui uma estrutura acolhedora. O trabalho é um esforço conjunto das pró-reitorias de Ensino e Assistência Estudantil, das superintendências de Infraestrutura e Tecnologia da Informação, e da gestão superior da UFMA.

Segundo o coordenador do curso, Rosenverck Estrela Santos, o laboratório surgiu a partir da demanda dos estudantes. “Estamos felizes com esta conquista, porque os estudantes estavam necessitando de um espaço para auxiliá-los nas produções monográficas e, também, nos trabalhos do curso, já que muitos deles não têm computadores em casa nem internet de qualidade para a realização das atividades acadêmicas”, expôs.

Para ele, esse apoio da gestão, que sempre foi ofertado desde a criação da Licenciatura, em 2015, dá ao curso visibilidade positiva no estado e no país. “Nossos alunos estão se formando, buscando mestrados, sendo aprovados em concursos públicos e conquistando vagas no mercado de trabalho: resultados exitosos para o curso que ainda é novo, mas já é referência no país”, declarou Rosenverck Santos.

O estudante Leonardo dos Santos vê essa conquista como um símbolo de luta pela educação superior. “Em meios aos ataques à ciência, damos mais valor a esses gestos simples, mas simbólicos e importantes para o crescimento da educação, e, sobretudo, para o desenvolvimento do curso Liesafro, pioneiro no Brasil. Nos sentimos agraciados por estarmos em uma instituição que preza pelo conhecimento democrático e pela difusão da ciência, mostrando que educação está avançando, e que ainda temos muito a produzir e atender à sociedade. Que essas ações se perpetuem na universidade federal”, clamou o estudante, que também é presidente do Centro Acadêmico Maria Firmina dos Reis.

Foi relembrado na ocasião que, após receber a demanda do curso, a Pró-Reitoria de Assistência Estudantil encaminhou o pedido ao reitor Natalino Salgado, cuja ação tomada de imediato foi dar a ordem de serviço da instalação dos computadores. “Ao todo, são seis computadores e mais um para a secretaria do local. A Superintendência de Infraestrutura planejou e montou uma bancada para recebê-los e todos tem acesso à internet. Tivemos, também, a preocupação de instalar equipamentos novos para que o laboratório tenha bastante longevidade”, explicou o Superintendente de Tecnologia e Informação, Anilton Maia.

O reitor Natalino Salgado destacou a relevância de espaços em que os alunos possam desenvolver suas pesquisas e se sentir acolhidos na Universidade. “Esse laboratório beneficiará os estudantes, sobretudo, os em vulnerabilidade socioeconômica, que não possuem acesso à internet em suas residências. É assim que festejamos a ciência, possibilitando meios de produção de conhecimento como forma de fortalecer o ensino e dando a este curso, pioneiro no país, ferramentas para que possa contribuir diretamente para os avanços científicos, gerando bens para toda a sociedade”, finalizou o reitor.

Estiveram presentes também na solenidade a pró-reitora de Ensino, Isabel Ibarra; e o pró-reitor de Assistência Estudantil, Leonardo Soares.

Por: Maiara Pacheco
Fotos: Thalia França

Bolsonaro entrega a Lira a Medida Provisória que cria o Auxilio Brasil, em substituição ao Bolsa Família

O presidente Jair Bolsonaro entregou nesta segunda-feira ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), a Medida Provisória que reformula o programa Bolsa Família, ampliando o valor e o número de beneficiados, e a proposta de emenda constitucional que prevê o parcelamento de precatórios a serem pagos pela União. O novo programa se chama Auxílio Brasil e seu valor será definido até setembro.

Lira afirmou que as propostas terão rito rápido na Casa e serão votadas com responsabilidade pelos parlamentares. “A Câmara vai se dedicar a fazer o melhor, com responsabilidade elevada. Essa matéria (novo Bolsa Família) tem urgência, como também a PEC dos precatórios, antes do envio do Orçamento, para que haja previsibilidade nas ações do Poder Executivo para o ano de 2022”, explicou Lira.

Segundo Bolsonaro, o governo tem atuado com responsabilidade e preocupação social. “São propostas para dar transparência e responsabilidade aos gastos, incluindo aí o viés social do nosso governo. Sabemos que a pandemia trouxe uma inflação para alimentos para o mundo inteiro e não podemos deixar desassistidos os mais vulneráveis”, disse Bolsonaro.

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Pela primeira vez no Maranhão, todos os municípios fazem adesão ao Selo UNICEF

Ao aderir ao Selo UNICEF, municípios assumem o compromisso de desenvolver ações estratégicas voltadas às crianças. (Foto: Divulgação)

Prefeitos e prefeitas de todo o Maranhão concluíram o processo de adesão ao Selo Unicef (2021-2024) neste último domingo (8). A estratégia do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) incentiva a implementação de políticas públicas para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes, por meio de uma metodologia intersetorial nos municípios.

No Maranhão, a implementação do Selo UNICEF é encorajada por meio dos compromissos firmados pelo Unicef com o Governo do Estado do Maranhão, além do parceiro implementador, o Instituto Formação – Centro de Apoio à Educação Básica (FCAEB), e do apoio institucional da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), do Ministério Público do Estado do Maranhão (MPMA) e do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA).

De acordo com Ofélia Silva, chefe do escritório do Unicef no Maranhão, o alcance de 100% de adesão no estado é a primeira conquista maranhense nesta nova edição do Selo Unicef, resultado de um esforço conjunto.

“Ter 216 municípios maranhenses fazendo parte do Selo Unicef é algo inédito. A parceria com o Governo do Estado do Maranhão assegurou que a gente tivesse uma equipe fantástica de pessoas de todas as secretarias de estado, que trabalham nas regionais, juntando-se a nós na mobilização, com dedicação, com suas habilidades e competências”, afirma Ofélia Silva. “O resultado vem de um esforço coletivo institucional e esta conquista merece ser celebrada por todos do Maranhão”, completou.

Com a adesão à iniciativa, os municípios passam a ser acompanhados pelas equipes do Unicef e do parceiro implementador, o Instituto Formação, para a realização de ações que visam melhorar a vida de crianças e adolescentes no estado. Ao longo de quatro anos, as gestões municipais terão acesso a formações, conteúdos programáticos, acompanhamento de seus indicadores sociais e de planos de ação municipais. Desse modo, a metodologia estratégica visa o fortalecimento de políticas públicas que gerem resultados sistêmicos, além do monitoramento e a avaliação dos resultados.

“As atividades já começam nas próximas semanas. Até o final deste ano, vamos realizar as primeiras capacitações, atividades de monitoramento, trabalhos com a Busca Ativa Escolar e preparação para o engajamento de adolescentes, jovens e lideranças dos municípios no planejamento municipal”, relata Ofélia Silva.

“Estaremos juntos com os municípios trabalhando na colaboração com toda a rede municipal de educação, de assistência social, de saúde, coletivo de adolescentes e jovens e todas as lideranças sociais”, concluiu.

Para as capitais, o Unicef possui um programa específico, que é a Plataforma dos Centros Urbanos. Sendo assim, São Luís participará da Plataforma dos Centros Urbanos (que abrirá as inscrições em breve) e os demais 216 municípios do Maranhão do Selo Unicef.

Parceria

Em 2017, o governador Flávio Dino criou o Comitê Estadual de Apoio Técnico aos Municípios para certificação do Selo Unicef (Ceatam), por meio do Decreto nº33.113, com a finalidade de apoiar e incentivar os municípios a participarem do Selo. Integram este comitê as Secretarias de Estado: de Governo (Segov), da Saúde (SES), do Desenvolvimento Social (Sedes), da Educação (Seduc), das Políticas Públicas (Seepp), dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e de Relações Institucionais (SRI).

Para Marcos Pacheco, secretário de Estado de Políticas Públicas e articulador estadual do Selo Unicef, a união de todos para que os municípios maranhenses façam parte deste programa é em prol de um único objetivo: a melhora na qualidade de vida das crianças maranhenses.

“Progressivamente o Maranhão tem melhorado a condição social de suas crianças. Não é da noite para o dia, mas é no dia a dia da educação, da saúde e da assistência que vamos avançando e cuidando da cidadania do amanhã”, explicou Pacheco.

Já Erlanio Xavier, presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), destaca que o Selo Unicef é uma iniciativa muito importante que estimula e reconhece os avanços dos municípios nas políticas públicas voltadas às crianças e adolescentes. “Por isso, parabenizamos todos os gestores que fizeram adesão à certificação atendendo também a nossa mobilização e incentivo, fazendo o Maranhão alcançar cem por cento de municípios inscritos”, comemorou.

Sobre o Selo Unicef

Maior projeto do Fundo das Nações Unidas (Unicef) no Brasil, ao aderir ao novo Selo Unicef, os municípios assumem o compromisso de desenvolver um conjunto de Ações Estratégicas de Políticas Públicas e de Participação Social. Elas têm o objetivo de promover os direitos das crianças e dos adolescentes.

No Maranhão, os municípios contam com o Instituto Formação, parceiro técnico no acompanhamento e monitoramento das atividades. A iniciativa acompanha os quatro anos de gestão municipal, com uma metodologia que inclui o monitoramento de indicadores sociais e a implementação de ações que ajudem o município a cumprir a Convenção sobre os Direitos da Criança, que no Brasil é refletida no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), norteados também pela Agenda 2030 – Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS).

Ascom – Governo do Maranhão

Polícia Federal combate funcionamento irregular de cerâmica em Caxias

Na manhã de hoje, a Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal e a Agência Nacional de Mineração, realizou trabalho visando combater o funcionamento irregular de cerâmica na cidade de Caxias/MA, identificado em diligências preliminares realizadas. Durante fiscalização, foram confirmados pontos de extração de argila sem título autorizativo válido e a utilização do material para a fabricação de tijolos para venda. Ainda no local, contando com auxílio de fiscais da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Defesa Civil de Caxias/MA, a Polícia Federal apreendeu aproximadamente 90 m³ (noventa metros cúbicos) de madeira originária de espécies nativas sem o respectivo documento de origem florestal. O responsável pela cerâmica foi conduzido à DPF/CXA/MA para lavratura do auto de prisão em flagrante como incurso nos crimes de extração de recursos minerais sem licença (art. 55 da Lei 9.605/1998 – Lei de Crimes Ambientais), usurpação de bem da União (art. 2º, inciso I, da Lei 8.176/1991) e depósito de produto de origem florestal sem licença válida (art. 46, parágrafo único, da Lei 9.605/1998 – Lei de Crimes Ambientais).