Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

HGM procura por familiares de homem morto vítima de atropelamento

O Hospital Geral Municipal (HGM), procura algum familiar de um homem morto que foi vítima de atropelamento no dia 03 na MA 026 – próximo ao parque de vaqueijada.

De acordo com o médico legista Cláudio Paz, o homem morto tem características de aproximadamente 35 anos, média compleição física, cor parda, cabelos escuros, barba, bigode cavanhaque e sem documentos.

A fotografia do homem não foi divulgada.

O HGM pede para quem tiver alguma informação procurar o serviço social do hospital.

Conheça o PROJETO MARGARIDA da Igreja do Evangelho Quadrangular

No Brasil, atualmente, mais de 200 mulheres morrem por dia por causa do infarto, problema que já mata seis vezes mais do que o câncer de mama.

O câncer de mama é o tipo de doença mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, e é a maior causa de morte por câncer nas mulheres em todo o mundo, com cerca de 520 mil mortes estimadas por ano.

Entendendo que a prevenção ainda é o melhor remédio, a Igreja do Evangelho Quadrangular, através da Coordenadoria Nacional de Mulheres, criou o Projeto Margarida.

O projeto consiste em um micro-ônibus equipado com aparelhos de última geração, para a realização de mamografia e eletrocardiograma, que percorre o Brasil realizando atendimentos e ações sociais, alcançando toda a sociedade, de forma gratuita.

O objetivo do Projeto Margarida é a conscientização da importância do cuidado e o acompanhamento que a mulher deve ter com sua saúde, consultando sempre seu médico e fazendo exames periodicamente.

“No país, muitas mulheres têm dificuldade de acesso a estes tipos de exames, muitas com mais de 50 anos nunca realizaram o exame, por isso, a Igreja vem com uma alternativa gratuita para que mais mulheres possam realizar os exames e tenham uma chance de cura, descobrindo precocemente”, comenta pastora Bianca de Oliveira, idealizadora do projeto.

É a Igreja do Evangelho Quadrangular cuidando do espírito, da alma e do corpo da mulher.

DSC03760-787981

Estuprada aos 11 anos, menina pede aborto, mas médica faz cesárea

O caso de uma menina de 11 anos abusada sexualmente pelo marido de sua avó ganhou repercussão mundial após ela pedir para abortar. Lucía, que vive na província de Tucumán, Argentina, pediu permissão para abortar segundo prevê a lei do país.

Diante do juiz, alegou que queria tirar de dentro dela “o que aquele velho colocou”. O estuprador, de 65 anos, está preso. Contudo, quando a interrupção da gravidez ia ser realizada, na manhã nesta quarta-feira (27), os médicos alegaram “objeção de consciência”.

A maior parte da equipe, incluindo o anestesista, abandonou a sala de cirurgia. A médica Cecília Ousset optou então por fazer uma cesárea sem perguntar à mãe da menina.

Ela alega que “algo deveria ser feito, pois a menina apresentava sintomas de pré-eclâmpsia e não teria como chegar aos oito meses de gravidez”.

O bebê, com apenas 600 gramas, foi levado para uma incubadora e seu caso é grave. Lucía passa bem.

A decisão de salvar a criança gerou uma enxurrada de críticas à Ousset. Um grupo de feministas, usando bandanas e bandeiras verdes, símbolo do movimento pró-aborto na Argentina, fez um protesto em frente ao hospital Eva Perón.

 

Gospel Prime

“Nenhum filho meu manda no governo”, diz Bolsonaro

Durante um café com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro declarou que seus filhos não mandam em seu governo. O assunto é referente a polêmica envolvendo o vereador Carlos Bolsonaro e o ex-secretário-geral da Presidência Gustavo Bebianno.

“Nenhum filho meu manda no governo, não existe isso”, garantiu Bolsonaro. Carlos chamou Bebianno de mentiroso pelas redes sociais ao desmentir reportagens que afirmavam que o ex-presidente do PSL mantinha contato com o presidente em meio aos escândalos de possíveis candidaturas laranjas nas eleições de 2018.

Depois do ocorrido, que levou Bebianno a ser demitido do cargo, Bolsonaro declarou que passou a “filtrar” as declarações que seu segundo filho faz nas redes sociais que possam ter relação com o governo.

“Tudo passou a ter um filtro da minha parte”, garante Bolsonaro. Carlos é responsável pela gestão das redes sociais do presidente.

Além do vereador carioca, Bolsonaro tem outros dois filhos na política: o senador Flávio Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro.

 

Gospel Prime

Governo do Estado inicia a liberação dos créditos do Programa Bolsa Escola nesta sexta-feira (1º)

Mais de 160 mil estudantes maranhenses poderão ser beneficiados com a liberação dos dois primeiros lotes dos recursos provenientes do Programa Bolsa Escola. Executada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes), a ação visa beneficiar estudantes da rede pública de ensino, por meio da transferência de renda para aquisição de material escolar.

Este ano, o recurso será creditado por etapas. Nesta sexta-feira (1°) iniciou o pagamento do primeiro lote destinado à Região Metropolitana e o segundo, previsto para sábado (2), contemplará os 30 municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Os créditos estarão disponíveis após 72 horas úteis a partir da data do desbloqueio do cartão.

Para atender a demanda de cerca de 100 mil famílias de todo o Maranhão, o Governo do Estado já habilitou 1.788 estabelecimentos comerciais para a venda de cadernos, lápis, borrachas, canetas, dentre outros itens.

De acordo com o novo titular da Sedes, Márcio Honaiser, o Bolsa Escola vai beneficiar, nesta fase inicial, estudantes regularmente matriculados em escolas públicas das cidades de Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Raposa, Rosário, Santa Rita, São José de Ribamar e a capital São Luís, além dos municípios apontados como os de Menor IDH do estado.

“Somente nesta etapa serão mais de R$ 8 milhões investidos para ajudar as famílias maranhenses na aquisição de material escolar, dando mais qualidade e dignidade aos estudantes na volta às aulas”, destacou o secretário. “Também estamos trabalhando para que todas as ferramentas que integram o Bolsa Escola como, por exemplo, o aplicativo para celulares, estejam em pleno funcionamento para facilitar o acesso dos beneficiários às informações mais importantes”, acrescentou Honaiser.

Para a babá Raimunda Irene Freitas, 39 anos, o Bolsa Escola tem proporcionado aos seus dois filhos o prazer de escolher seus materiais escolares. “Recebo o benefício do Bolsa Escola e sou muito agradecida por essa ajuda na minha vida. Tenho dois filhos e todo início do ano era um sacrifício enorme para comprar os materiais deles. Às vezes não tinha como comprar todos os itens solicitados pela escola e acabava reaproveitando lápis, cadernos, etc. Graças a Deus, hoje uma das maiores alegrias dos meus filhos é quando chega o dia em que eles podem escolher o material e conseguir pagar por ele”, disse dona Raimunda.

Pensamento similar tem a dona de casa Ana Maria Trindade, 62 anos, que não precisa mais comprar os materiais de seu filho por etapas. “Antes do Bolsa Escola sempre tinha que conversar com a professora e explicar que iria entregar o material aos poucos, conforme fosse entrando dinheiro. Hoje, com o acréscimo do programa, consigo comprar todos os materiais de uma vez só”, explicou.

Segundo a secretária adjunta de Renda e Cidadania (Sarc) da Sedes, Ana Gabriela Borges, o aplicativo – que pode ser baixado pelo Play Store – disponibiliza serviços de consulta de saldo, lista de estabelecimentos credenciados, notícias referentes ao programa e, ainda, o beneficiário poderá realizar o desbloqueio do cartão. Ana Gabriela explicou, ainda, que por medida de segurança todos os cartões do Bolsa Escola estão bloqueados, inclusive dos beneficiários que já utilizaram o cartão para efetuar compras nos anos anteriores.

“Esta decisão foi tomada devido às inúmeras denúncias recebidas pela coordenação do Programa, referentes ao uso indevido do crédito liberado e pela significativa quantidade de extravio”, explicou a secretária adjunta.

Sobre o Bolsa Escola

Instituído em 2016, pelo governador Flávio Dino, o Bolsa Escola busca complementar o recurso recebido pelas famílias já cadastradas no programa federal Bolsa Família. A iniciativa assegura a transferência de renda aos beneficiários em situação de pobreza extrema para aquisição de materiais escolares, inclusive fardamentos.

O recurso é destinado para crianças e adolescentes de 4 a 17 anos, que recebem o valor de R$ 51, sem limite de estudante beneficiado por família. Desde a criação do Bolsa Escola no estado, já foram investidos cerca de R$ 150 milhões, garantindo um acesso mais digno à escola de mais de 1 milhão e 200 mil crianças e adolescentes, além de contribuir para o aquecimento do comércio maranhense, garantindo o aumento de oportunidades de emprego e renda.

Municípios Beneficiados na 1ª Etapa

Alcântara, Axixá, Bacabeira, Cachoeira Grande, Icatu, Morros, Paço do Lumiar, Presidente Juscelino, Raposa, Rosário, Santa Rita, São José de Ribamar e a capital São Luís.

Municípios de menor IDH

Fernando Falcão, Marajá do Sena, Jenipapo dos Vieiras, Satubinha, Água Doce do Maranhão, Lagoa Grande do Maranhão, São João do Caru, Santana do Maranhão, Arame, Belágua, Conceição do Lago-Açu, Primeira Cruz, Aldeias Altas, Pedro do Rosário, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto, São João do Soter, Centro Novo do Maranhão, Itaipava do Grajaú, Santo Amaro do Maranhão, Brejo de Areia, Serrano do Maranhão, Amapá do Maranhão, Araioses, Governador Newton Bello, Cajari, Santa Filomena do Maranhão, Milagres do Maranhão, São Francisco do Maranhão e Afonso Cunha.

 

ma.gov.br

Deputado Zito Rolim recebe lideranças políticas em seu gabinete em sua primeira semana de trabalhos

Logo após sua posse na última terça-feira, em sua primeira semana de trabalhos na Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado estadual e ex-prefeito de Codó, Zito Rolim, já começa a receber lideranças políticas da Região dos Cocais em seu gabinete, como o Vereador Naldo Lisboa, Presidente da Câmara Municipal de Peritoró, que busca junto ao deputado parcerias e soluções para as demandas em sua cidade que passam por ações do Governo do Estado.

O vereador Naldo Lisboa solicitou ao deputado a inclusão de uma unidade de ensino na localidade Vila Vitória, aproximadamente quinze quilômetros do centro de Peritoró, no Programa Escola Digna.

Ascom

Audiência pública debate problemática do atendimento de pacientes com doenças genéticas e raras

Foi realizada, na tarde de quarta-feira (27), no Plenarinho da Assembleia Legislativa, audiência pública proposta e coordenada pelo deputado Wellington do Curso (PSDB), que debateu, por mais de sete horas, as Políticas Públicas e Atendimento nos Hospitais do Maranhão para Doenças Genéticas e Raras. Participaram também do evento os deputados Dr. Yglésio (PDT), Daniella Tema (DEM), Leonardo Sá (PR), Rafael Leitoa (PDT), Rildo Amaral (Solidariedade), Helena Duailibe (Solidariedade) e Fernando Pessoa (Solidariedade).

Além dos deputados, compuseram a mesa de debate a presidente do Coletivo de Mulheres com Deficiências do Maranhão, Deline Cutrim; a secretária-adjunta de Estado da Saúde, Lídia Sherman; o presidente da Fundação Antonio Dino, Antonio Dino Tavares; a coordenadora do Centro Integrado de Apoio às Pessoas com Deficiência da Defensoria Pública do Maranhão, Lídia Carvalho; o diretor do Núcleo de Relações Internacionais da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Leonardo Teixeira; o presidente da Associação Maranhense de Doenças Genéticas e Raras (Amager); a mãe de uma criança portadora de Atrofia Muscular Espinhal (AME), Ana Rita; e a médica geneticista Maria de Juliana Rodovalho.

Debate

“Fui cobaia de vários médicos. Ninguém sabia como fazer algo por mim. Eu que tive que pesquisar sobre minha doença. Quero que seja diferente com outras pessoas e que tenhamos um tratamento adequado. Vim me juntar a vocês por essa luta: o direito de a gente viver. Precisamos ter um Centro de Referência de Doenças Raras no Maranhão”, declarou Deline Cutrim, portadora de uma doença rara, que não existem mais de 50 casos no Brasil, abrindo o debate.

Paulo Ricarte, portador da Doença de Cushing, morador de Barra do Corda (MA), relatou o drama vivido para conseguir fechar um diagnóstico. “Fui muitas vezes a Teresina (PI). Só aos 25 anos de idade consegui ter a confirmação de um diagnóstico. O paciente adulto dessa doença não tem onde ser atendido. O Maranhão já tem avançado, mas precisa avançar muito mais no atendimento dessas enfermidades. Precisamos nos unir para exigirmos um atendimento digno”, salientou.

A médica geneticista Maria Juliana afirmou que há 10 anos ouve de autoridades da área da saúde, no Maranhão, que doenças raras não são prioridade na política pública de saúde. “Temos mais de 450 mil pessoas com doenças raras. É preciso termos um Centro de Referência. Não é concebível uma pessoa ter que viajar para receber polidromato. Chamo a atenção do estado e do município para a maneira indigna como vêm tratando os pacientes portadores de doenças genéticas e raras. É desumano o tratamento que recebem”, enfatizou.

Albenizia, mãe de criança com doença rara, moradora de Paço do Lumiar, declarou que teve que judicializar o caso de seu filho. “Mesmo com uma decisão liminar favorável, ainda não se tem nosso direito garantido. Há tempo que espero que o estado cumpra com a decisão, que o obriga a dar o tratamento que meu filho precisa”, contou.

Problemas no Hemomar e no Hospital da Criança

Laura Cutrim contou que há 18 anos faz tratamento do seu filho, que é portador de Anemia Falsiforme, no Hemomar. “Essa doença obriga a gente a fazer transfusões de sangue com frequência. Mas, de uns tempos para cá, está muito difícil o atendimento nesse hemocentro, que passa por uma reforma que nunca acaba, e que está trazendo muitos transtornos. O Hemomar vive uma grave crise. Tem faltado o básico nesse hemocentro. É preciso que se tome alguma providência. Meu filho pode deixar de ser atendido a qualquer momento”, denunciou.

Várias mães de crianças portadoras de doenças genéticas e raras reclamaram do atendimento no Hospital da Criança. “É preciso que os profissionais dessa unidade de saúde passem por uma capacitação para atender pacientes portadores de doenças genéticas e raras. Chega a ser vexatório o procedimento de certos profissionais”, frisou Keila.

Posicionamento

Os deputados presentes à audiência manifestaram solidariedade à causa dos portadores de doenças genéticas e raras, parabenizaram o deputado Wellington pela iniciativa e se colocaram à disposição para contribuir com a elaboração e a execução de uma política pública efetiva para esse segmento.

A secretária-adjunta de Estado da Saúde disse que é preciso ampliar o debate sobre a problemática em questão, envolvendo as três esferas de governo (União, Estado e Município) e que o estado já fez muito, mas ainda falta muito. Ela citou como exemplo a parceria entre os diversos entes federativos na realização de exames genéticos, utilizando o laboratório da Ufma, e se comprometeu em dar encaminhamento às reivindicações. “Na área da legislação, precisamos pensar uma proposta de reembolso para as despesas feitas pelos familiares com esses pacientes”, sugeriu.

O deputado Wellington do Curso reafirmou seu compromisso com a causa. “Vamos fazer esse enfrentamento. Se for preciso, vamos denunciar à Organização Mundial de Saúde (OMS). Vocês não estão sós. Podem contar com o nosso irrestrito apoio”, acrescentou.

Sugestões de Encaminhamentos

As diversas propostas de encaminhamentos apresentadas serão sistematizadas pelo Grupo de Trabalho constituído por entidades da sociedade civil organizada, órgãos governamentais e representação de instituições. Dentre esses encaminhamentos, constam a realização de uma audiência pública, na Comissão de Saúde da Assembleia, para tratar sobre o Benefício de Assistência Social (BPC-LOAS); a inclusão da representação desse segmento na composição do Conselho Estadual de Saúde; e a constituição de um Grupo de Trabalho Permanente para discutir e elaborar uma política pública de atendimento dos pacientes portadores de doenças genéticas e raras.

 

Agência Assembleia

Problema da Previdência se resolve gerando empregos, diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou um recado na terça-feira (26) sobre a proposta de reforma da Previdência apresentada por Bolsonaro. “A melhor forma de resolver o problema da Previdência é gerar empregos. Quanto mais emprego, mais salários, mais contribuições e menos déficit. Na minha época havia superávit”, sugeriu Lula.

Rumo aos 100 dias de governo, Jair Bolsonaro ainda não apresentou nenhuma proposta para geração de empregos no país.

 

lula.com.br

error: Content is protected !!