Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Bombeiros Civis prestam ajuda às famílias desabrigadas por inundações do Rio Itapecuru em Codó

Os Bombeiros Civis(Grupamento GAR) no comando do comandante Leandro Viana, preocupados com as famílias que estão sendo obrigadas a deixarem suas residências por conta do Rio Itapecuru que está aumentando de 7 a 8 cm por hora segundo a Defesa Civil de Codó, passaram a tarde ajudando as famílias desabrigadas.
 
Segundo o comandante da equipe, o Bombeiro Civil mesmo sem receber nenhum chamado da prefeitura, se prontificou voluntariamente para ajudar essas famílias.
Fonte: cocaisnoticias.com.br

Empresa Global tem contratos de R$ 30 milhões na Secretaria de Educação do governo Dino

Governo Flávio Dino (PC do B), já empenhou à Empresa Global Serviços e Comércio LTDA, R$ 29,5 milhões apenas em contratos com a Secretaria de Estado da Educação.

A empresa Global Serviços e Comércio Ltda foi alçada a ser fornecedora da Secretaria de Educação, durante a gestão da ex-secretária Áurea Prazeres (PDT), a empresa só foi efetivada após um processo administrativo, uma vez que a mesma não venceu o certame licitatório (veja abaixo), para prestar serviços técnicos de manutenção predial preventivo e corretivo.

De lá pra cá a empresa Global é a principal empresa prestadora de serviços à Seduc, no governo comunista, para manutenção das Unidades Regionais de Educação (URE), em todo o estado.

A empresa é de propriedade de irmãos que se revesam nas assinaturas dos contratos com a Seduc. A Global tem outros contratos com secretarias no governo Flávio Dino, contudo, chama a atenção o valor com a secretaria de educação.

Fonte:  http://filipemota.com.br

Deputados repudiam atitude preconceituosa e machista de assessor de Wellington do Curso, parlamentar se cala

A deputada estadual pelo Rio Grande do Sul e pré-candidata à presidência da República Manuela D’ávila (PCdoB) voltou a ser agredida covardemente na noite de terça-feira (10/04).

A parlamentar já tinha sido ofendida verbalmente por um bolsominion declarado, na tarde desta terça, em Curitiba. Desta vez, o agressor foi o professor da rede estadual de ensino, blogueiro e assessor do deputado Wellington do Curso, Hilton Franco.

O professor utilizou palavras de baixo calão e chamou a pré-candidata de “vaca”, “vagabunda” e “mulherzinha”. Em repúdio ao ataque misógino e machista praticado nas redes sociais pelo assessor do dono do Curso Wellington, os deputados professor Marco Aurélio, Othelino Neto e a deputada Francisca Primo se pronunciaram no plenário da Assembleia.

“Eu quero alertar e deixar o meu repúdio a algo que já é sabido por todos, discriminação é crime e amparado pela Lei Maria da Penha e pelo Código Penal. No dia 09 de abril, deste ano, às 19h39, um senhor publicou na sua rede social a seguinte frase: “Muito ridícula essa mulherzinha, tenho nojo dessa vaca”. Essa frase foi direcionada à Deputada Manuela D’Ávila, pré-candidata à Presidência, pelo PCdoB”, criticou Francisca Primo.

“Eu quero me solidarizar com a fala da Deputada Francisca Primo, quando coloca o seu repúdio a uma publicação de uma pessoa que se diz professor e faz uma publicação preconceituosa, e não é a uma pessoa. Essa postura certamente se dispõe a todas as mulheres. Usa palavras de ofensa, usa palavras que minimizam, usa palavras que humilham”, criticou Marco Aurélio.

O presidente da Assembleia Othelino Neto, igualmente, repudiou a agressão. “Foi postagem infeliz, agressiva, preconceituosa e que, independente de coloração partidária, merece o repúdio de todos nós”.

A União Brasileira de Mulheres – UBM Maranhão também se manifestou e emitiu uma nota contra as atitudes do assessor de Wellington e em solidariedade à Manuela. “A tentativa de desqualificar o protagonismo das mulheres em qualquer campo de atuação, mas sobretudo na política, busca intimidar a TODAS que ousam escolher seus caminhos e lutar por seus direitos”, dizia a nota.

Quem não deu um pio sobre o assunto foi o parlamentar do Curso. Ele preferiu ignorar a atitude preconceituosa de seu assessor.

Veja o Print da agressão:

Fonte:   http://www.marrapa.com

NOVO SUPERINTENDENTE DE POLÍCIA CIVIL DO INTERIOR É EMPOSSADO NA SSP

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP), priorizando as ações de investimento em prol de uma segurança pública cada vez mais compromissada com o cidadão, resolve substituir o Superintendente de Polícia Civil do Interior (SPCI), o Delegado Dicival Gonçalves, pelo Delegado de Polícia Civil do Interior Armando Pacheco.

O Delegado Armando Pacheco já assumiu as ações da SPCI na manhã desta segunda-feira (09), localizada na Secretaria de Segurança, pasta esta, incumbida de coordenar as ações da Polícia Civil; juntamente com as Delegacias Regionais, responsáveis pelas delegacias localizadas nos municípios maranhenses.

Delegado permanece no Pacto pela Paz

O Delegado Dicival Gonçalves se dedicará exclusivamente ao projeto Pacto da Paz, tendo em vista, vindo acumulando as duas funções. O Projeto do Pacto da Paz, realiza uma parceria entre as forças de segurança e a sociedade civil organizada, no sentido de ampliar o apoio das forças de segurança para com as comunidades, no quesito, ajuda por conta de serviços básicos, e na divulgação dos programas sociais do Governo do Maranhão, por conta da Secretaria de Segurança Pública.

Fonte:  www.ssp.ma.gov.br

Eleitor tem 30 dias para transferir, atualizar ou emitir título eleitoral

Os eleitores podem transferir, atualizar ou emitir o título eleitoral até 9 de maio para participar das eleições de 2018. O 1º turno ocorre em seis meses, no dia 7 de outubro. Se nenhum dos candidatos a presidente ou governador tiver mais da metade dos votos válidos, o 2º turno deve ocorrer em 28 de outubro.
Os eleitores votam neste ano para presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital. O voto é obrigatório no Brasil. Apenas eleitores que têm menos de 18 anos ou mais de 70 anos não precisam votar. O voto também é facultativo para analfabetos.
O eleitor que completa 18 anos até 7 de outubro, dia do 1º turno, também precisa emitir o título eleitoral até 9 de maio. Esse também é o prazo para quem mudou de endereço e deseja transferir o título eleitoral. O procedimento exige a apresentação do comprovante de residência e de um documento oficial com foto em uma unidade do cartório eleitoral.
Para transferir o título, o eleitor deve residir a pelo menos três meses no novo município. Ainda é necessário, no mínimo, um ano da data do alistamento eleitoral ou da última transferência do título. Consulte o site do Tribunal Regional Eleitoral do seu estado.
Neste ano, a biometria será obrigatória em cerca de 2.800 cidades de todos os estados. Nesses municípios, os eleitores que não fizerem o cadastro biométrico devem ter o título de eleitor cancelado. Ainda, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quem não votou nem justificou ausência nas últimas três eleições teve título cancelado e deve procurar a Justiça Eleitoral para regularizar a situação.
A partir deste ano, o título eleitoral de uma pessoa transgênero trará apenas o nome social com o qual ela se identifica, e não terá o nome da certidão de nascimento. Pessoas trans poderão pedir a mudança no documento no cartório eleitoral da cidade também até 9 de maio.
Justificativa eleitoral
Cerca de 8 milhões de eleitores costumam justificar a ausência em eleições. Essa parcela pode fazer a diferença em uma eleição polarizada, com muitos candidatos. Essa é a expectativa para a disputa para presidente em 2018. Por enquanto, há pelo menos 17 pré-candidatos à Presidência.
Nos últimos anos, o número de eleitores aptos cresceu enquanto o de justificativas eleitorais oscilou pouco. No 1º turno da eleição de 2016, 5,4% dos eleitores aptos justificaram a ausência.
Fonte: blogsilviodeoliveira

Por Professor Marcos: CODÓ- Preste a completar 122 anos de emancipação política! COMEMORAR O QUÊ?

● Não há nenhuma grande obra com previsão de inauguração no aniversário da cidade, os serviços públicos ofertados aos codoenses continuam de péssima qualidade;
● Grande parte das obras iniciadas ainda em 2012 continuam abandonadas e ou sem serem concluídas;
● O aumento do número de desempregados é visível aos olhos da população devido entre outros fatores, principalmente a quase falência de uma das principais fábricas do município e ao enxugamento nos contratos temporários e falta de concurso público por parte do principal órgão empregador: a PREFEITURA;
Ainda como destaque podemos citar:
• Uma saúde pública cada vez mais precária, ruas esburacadas e uma educação ineficiente, com a maioria das escolas sem infraestrutura adequada onde falta material didático/pedagógico necessário para o bom desenvolvimento das aulas, além da indefinição por parte da administração da garantia de valorização do professor mediante os recursos dos precatórios do fundef.
Diante de tudo isto, ainda nos envergonha o fato de vermos um Legislativo Municipal que é o principal órgão responsável em legislar, cobrar, fiscalizar, reeinvindicar e defender o bem-estar da população, estar há praticamente 2 meses parado deixando nossos edis de exercer suas reais funções e obrigações para as quais foram eleitos.
Essa é a real e atual situação de nossa querida CODÓ, que apesar de tudo, amamos e lutamos por um futuro próspero de crescimento e desenvolvimento.

Por prof. Marcos. Em 09/04/2018.

“Temos o maior programa educacional do Brasil”, diz Flávio Dino em palestra em Harvard

O serviço público cumpre uma função essencial no país, e os servidores precisam se sentir parte de uma causa para chegar a resultados cada vez melhores – e o Maranhão tem exemplos que mostram que isso é possível. A avaliação foi feita pelo governador Flávio Dino durante palestra nesta sexta-feira (6) na Brazil Conference at Harvard & MIT 208, em Boston, Massachusetts, nos Estados Unidos da América.

O evento busca soluções para o futuro do Brasil. O tema da palestra de Flávio Dino e outros convidados, na Universidade de Harvard, foi “Impulsionando talentos no setor público”. Flávio Dino citou casos de como o Maranhão vem dando grandes saltos a partir dos investimentos públicos e do serviço prestado pelo Estado.

Isso requer, naturalmente, recursos financeiros. “O segredo está na conjugação do custeio [o dinheiro aplicado para manter o Estado e os serviços funcionando] e do investimento. Não se faz serviço público de qualidade sem custeio. Por exemplo, temos hoje o maior programa educacional em execução do Brasil. Cada escola nova que inauguro significa professores, material didático, etc”, explicou, referindo-se ao Escola Digna e ao impacto financeiro dessas iniciativas. Mas o resultado é muito mais do que vantajoso para a população.

Antes do início do debate, o apresentador do evento destacou outros investimentos que vêm sendo feitos pelo Governo do Maranhão. Ele deu como exemplos o maior salário para os professores do Brasil e os avanços na Segurança Pública, como a saída de São Luís da lista de 50 cidades mais violentas do mundo.

Bons resultados

Flávio Dino ressaltou que é preciso mais do que estímulo financeiro para alcançar bons resultados no serviço público. “A autoridade de quem lidera às vezes é mais estimulante que prêmios. No Governo do Maranhão, estamos conjugando as duas coisas. Quando cheguei, apreendiam-se 1.800 armas ilegais por ano; hoje se apreendem quase 3 mil, um salto de 80%, conjugando autoridade com premiação”, exemplificou.

Para o governador, é preciso ir além de salários e gratificações: “Não devemos ter a ilusão de que os estímulos econômicos vão gerar maior produtividade, porque é preciso que os servidores públicos se mobilizem por uma causa. Todos precisamos de causas, sonhos. Precisamos de metas mensuráveis, mas também e sobretudo abstratas. Ninguém vai executar bem suas funções apenas para cumprir uma determinada equação matemática”.

Para ele, é preciso ter metas objetivas, mas igualmente é fundamental engajar todos num “esforço coletivo”. Flávio Dino acrescentou que é preciso “construir uma nova cultura geracional” sem perder as virtudes do poder público.

Durante a apresentação, Flávio alertou para a correção de algumas distorções. Por exemplo, há mais engenheiros interessados em ser auditores do que em trabalhar diretamente com o planejamento e a construção das obras. Porque envolve uma cultura de valorização e desvalorização de funções. “É preciso balancear melhor as esferas de controle e de execução do serviço público.”

Além de Flávio, também fizeram palestras sobre o mesmo tema Claudio Haddad, do Insper; Denis Mizne, da Fundação Lemann; Joice Toyota, da Vetor Brasil; e Regina Pacheco, da Fundação Getúlio Vargas.

Brazil Conference

O evento é organizado pela comunidade brasileira de estudantes em Boston. A conferência vai até este sábado (07) e conta com mais de cem palestrantes convidados.

Fonte:  http://www.ma.gov.br

Wellington denuncia corrupção em hospital estadual onde diretor é dono da empresa que paga seu salário

MARANHÃO – O deputado estadual progressista Wellington do Curso utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, na tarde dessa segunda-feira (2), para denunciar mais um provável caso de corrupção na saúde do Maranhão. Trata-se de contratos firmados com a Secretaria de Saúde do Governo do Maranhão, através do Instituto Acqua, sendo um deles para gerir a Santa Casa de Cururupu; outros relacionando-se ao Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago.
De acordo com as informações que foram encaminhadas ao deputado Wellington, o principal suspeito é o médico Edilson Júnior, que além de possuir vários empregos em hospitais e clínicas, é também o proprietário da empresa S.M.C. – Serviços Médicos de Cururupu, sendo o responsável por contratar-se e pagar a si próprio.
“De acordo com as denúncias que recebemos, é o médico quem assina as requisições de pagamento da sua empresa SMC e, do outro lado do balcão, como Diretor do Hospital de Pinheiro, é quem atesta o pagamento dos serviços de R$356 mil. O diretor do hospital é proprietário de empresa que paga seu próprio salário. Expomos aqui essa denúncia, estaremos encaminhando ao Ministério Público e aguardamos um posicionamento do Governo do Estado do Maranhão, que também responde pelos atos em questão”, disse Wellington.
Seguem os documentos que fundamentam a denúncia:
Fonte:  aquinomaranhao