Blog do Leonardo Alves - Compromisso com o Leitor!

Ação judicial contra Gaviões da Fiel exige que escola se retrate

A escola de samba Gaviões da Fiel enfrenta agora uma ação judicial após ter usado a figura de Cristo sendo derrotada pelo Diabo durante o Carnaval deste ano em São Paulo.

O advogado Carlos Alexandre Klomfahs abriu um processo, alegando que a escola “desrespeitou o símbolo e a religião cristã” com a representação em sua comissão de frente da “disputa” onde Jesus é aparentemente vencido.

Após ter gerado a maior polêmica do Carnaval este ano, a Gaviões chegou a publicar em suas redes sociais uma foto do desfile com os dizeres “Jesus venceu o mal. Ele vive”.

Não foi o suficiente para Klomfahs. Ele requereu que a escola paulista  se “retratasse em 24 horas sobre o tema do enredo escolhido para sua Escola que apresentou a figura cristã de maior relevo ao cristianismo – Jesus Cristo – sendo vencido e humilhado por Satanás em nítido desrespeito ao sentimento religioso do autor e de milhões de brasileiros cristãos”.

Contudo, não obteve resposta. Ele pede na justiça que a Gaviões da Fiel seja obrigada judicialmente à “imediata retratação pública à comunidade cristã de todo Brasil, sob pena de multa diária de 30 mil reais”.

 

Gospel Prime

Magistrados realizam mutirão para julgamento de casos de violência contra a mulher

O Poder Judiciário promove em todo o país, de 11 a 15 de março, a 13ª Semana da Justiça pela Paz em Casa. A iniciativa integra a Política Judiciária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. No período, magistrados vão concentrar esforços para impulsionar e julgar processos que envolvam casos de violência doméstica e familiar contra as mulheres.

No Maranhão, o evento é coordenado pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça (Cemulher/TJMA) – presidida pela desembargadora Angela Salazar. A iniciativa conta com a participação de juízes e servidores de diversas comarcas do Estado, que aderiram à Semana.

Nas 12 Semanas da Justiça pela Paz em Casa realizadas no Maranhão, foram realizadas mais de quatro mil audiências, 3,5 mil sentenças e mais de cinco mil despachos expedidos, de acordo com os dados da Cemulher.

PROGRAMAÇÃO – No Fórum Des. Sarney Costa, em São Luís (Calhau), será realizado um mutirão de julgamento na 1ª Vara Especial de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Termo Judiciário de São Luís – Comarca da Ilha. Os julgamentos ocorrerão em quatro salas, com audiências simultâneas nos turnos matutino e vespertino. A unidade fica no 5º andar do fórum. São 160 processos em pauta.

Os magistrados participantes do esforço concentrado da 1ª Vara da Mulher são: Rosária de Fátima Almeida Duarte (titular da 1ª Vara da Mulher), Vanessa Clementino Sousa, Maricélia Costa Gonçalves, Lícia Cristina Ferraz Ribeiro de Oliveira, Francisco Ferreira de Lima e Clésio Coelho Cunha.

Na oportunidade, equipes multidisciplinares orientarão as partes e distribuirão cartilhas e folders informativos sobre a Lei Maria da Penha.

A 2ª Vara Especial de Combate à Violência contra a Mulher participará da Semana da Justiça pela Paz em Casa proferindo despachos, decisões e sentenças. A 3ª Vara do Tribunal do Júri do Termo Judiciário de São Luís – Comarca da Ilha também participa da programação com a realização de um júri de feminicídio.

Além dos julgamentos, serão promovidas em São Luís, pela equipe da Cemulher, diversas atividades especiais integrantes dos projetos “Cine Mulher”, “Aprendendo com Maria da Penha no Cotidiano” e “Lei Maria da Penha: Caminhos para a (Re) Construção da Cidadania e Paz Familiar”.

CAMPANHA – A Campanha Justiça pela Paz em Casa foi criada em 2015, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em parceria com os tribunais de Justiça estaduais, com o objetivo de ampliar a efetividade da Lei Maria da Penha (Lei n. 11.340/2006), concentrando esforços para agilizar o andamento dos processos relacionados à violência de gênero.

O projeto acontece em três edições de esforços concentrados por ano. As semanas ocorrem em março (marcando o dia das mulheres), em agosto (aniversário de sanção da Lei Maria da Penha) e em novembro (quando a ONU estabeleceu o dia 25 como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher).

De acordo com dados do Departamento de Pesquisas Judiciárias do Conselho Nacional de Justiça (DPJ/CNJ), tramitam, atualmente, mais de um milhão de processos relativos à violência doméstica na Justiça brasileira.

tjma.jus.br

Presidente do TJMA reafirma compromisso do Judiciário com os direitos das mulheres

O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), desembargador Joaquim Figueiredo, afirmou que mais que uma simples data de comemorações o Dia Internacional da Mulher é, na verdade, uma inegável oportunidade para uma profunda reflexão sobre a situação do segmento feminino na sociedade.

O magistrado diz que, mundialmente vinculado às reivindicações femininas por Justiça e igualdade social, o Dia Internacional da Mulher indica que é necessário que seja continuado o trabalho em busca da concretização dos direitos já positivados no ordenamento jurídico, mas ainda não efetivados plenamente.

“Com essa preocupação, o Poder Judiciário do Maranhão conclama que todos sigam juntos, de mãos dadas, trabalhando pela construção de um mundo melhor, de uma vida mais digna para todos, sem a violação dos direitos das mulheres”, asseverou.

Para o presidente do TJMA, o Dia Internacional da Mulher deve ser um referencial da luta incessante contra todas as formas de discriminação e de exploração, para que a mulher cidadã, orgulhosa de seu gênero, possa ocupar o espaço que lhe cabe na construção de uma sociedade mais justa.

Reafirmamos o compromisso do Poder Judiciário com a defesa e o fortalecimento dos direitos das mulheres em prol do respeito e da efetiva igualdade de gêneros no Maranhão e no país. Que o sentimento de luta contra as injustiças impostas às mulheres continue presente todos os dias do ano”assinalou.

Desembargador Joaquim Figueiredo

tjma.jus.br

Pastora codoense é a primeira mulher nomeada capelã pelo estado e realiza trabalhos nas unidades prisionais

Nesta data 08 de março em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, o Blog do Leonardo Alves homenageia aquelas mulheres guerreiras, cheia de garra, de coragem e determinação. Elas são incansáveis, eternas batalhadoras e sempre vencedoras.

A pastora codoense Regina Célia da Igreja Assembléia de Deus ministério Crescendo para Cristo, é a primeira e única mulher capelã nomeada pelo estado, que desenvolve trabalho pioneiro nas unidades prisionais do Maranhão, evangelizando e profetizando nas unidades prisionais.

Pastora Regina profetizando na prisão

Sabemos que evangelizar detentos é um trabalho desafiador. Diversas penitenciárias recebem a pastora Regina, que leva a verdade que pode realmente libertar o homem de uma vida presa ao crime.

Regina Célia é atualmente presidente do Instituto Resgatando para Cristo de Codó, que ajuda pessoas em dependência química e em situação de rua.

Jesus disse: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura”. (Marcos 16:15).

Parabéns pastora Regina. Receba nossa homenagem e conte conosco.

error: Content is protected !!