NOVO SECRETÁRIO: Paulo Roberto assume a Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Paulo Roberto: “A igualdade não tem lado, não tem ideologia é uma temática basilar”. Foto: (Clarice Castro/ MMFDH).

Nomeação está no Diário Oficial da União (DOU), dessa terça-feira (5)

O advogado Paulo Roberto é o novo titular da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (SNPIR/MMFDH). Antes de chegar ao MMFDH, Paulo Roberto ocupava o cargo de assessor especial do ministro Milton Ribeiro, no Ministério da Educação (MEC).

“Recebi com muita alegria o convite da ministra Damares Alves para assumir a secretaria. Pretendo inicialmente fazer um diagnóstico das políticas públicas já implementadas e só depois de conhecer, estabelecer estratégias e os rumos que desejo dar à secretaria”, apontou o secretário.

Paulo Roberto disse ainda, que vai seguir as diretrizes estabelecidas pela ministra Damares Alves e destacou que o tema igualdade não tem lado.

“A igualdade não tem lado, não tem ideologia é uma temática basilar. É dever do Estado, como diz o artigo 2º do Estatuto da Igualdade Racial, dever do Estado e da sociedade promover a igualdade racial. Vamos seguir todas as diretrizes da ministra, e fazer o que nós pudermos fazer para auxiliar e fazer o ministério avançar”, enfatiza Paulo Roberto.

O secretário pontua ainda os principais desafios que deve encontrar em sua gestão à frente da SNPIR. “Pretendemos trabalhar para que todos os brasileiros possam ter o mínimo, as populações que não têm visibilidade possam ser também contempladas. É um desafio do combate ao preconceito. Às vezes você discrimina porque não conhece, então vamos trabalhar isso junto à educação”, disse.

O secretário Paulo Roberto é advogado, especialista em ciência política, comunicação social, docência do ensino superior e tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal.

Ascom MMFDH

CASO DE POLÍCIA: Reportagem mostra sabotagem, saqueamento e crime cibernético na Prefeitura de Codó

SABOTAGEM, SAQUEAMENTO E CRIME CIBERNÉTICO, DEIXAM PARTE DA PREFEITURA DE CODÓ SEM ACESSO

O descaso do governo passado com administração pública fica evidente em todas as pastas do município. O Centro de Processamento de Dados – CPD, que hoje recebe o nome de Tecnologia da Informação – TI, local este onde fica todos os sistemas computacionais da prefeitura, foi criptografado por uma pessoa que prestava serviço para o município no setor citado acima, que de forma silenciosa e maliciosa teve acesso de forma presencial ou remota, teve acesso a esta repartição pública e cometeu este crime. O ato gerou um prejuízo incalculável ao município, impossibilitando inúmeras atividades essenciais para funcionamento normal da administração.

Acompanhe na reportagem produzida pela Assessoria de Comunicação – ASCOM

 

Prefeitura Municipal de Codó

O SONHO NÃO ACABOU: Dra Ana Thamires se articula para disputar a Câmara dos Deputados

Depois de ter disputado a prefeitura de Timbiras, a jovem Dra Ana Thamires já começa a se articular para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições 2022.

Parabenizamos a jovem pela intenção. Precisamos ampliar a representação política elegendo mais mulheres para estarem à frente destes espaços de poder.

Assembleia do Maranhão passa a ter a maior bancada feminina da sua história

Betel Rodrigues e Socorro Waquim estão entre as mulheres com assento no Parlamento Estadual maranhense

Com a posse das deputadas Betel Gomes (PRTB) e Socorro Waquim (MDB), na manhã desta segunda-feira (4), a Assembleia Legislativa do Maranhão passa a ter a maior bancada feminina de toda a sua história. Agora, são dez mulheres com assento no Parlamento Estadual maranhense, o que corresponde a 24% do total das vagas, percentual maior do que a atual presença feminina na Câmara Federal, que é de 15%.

Betel Gomes e Socorro Waquim deixaram a condição de suplentes e passaram a ser titulares de mandatos na atual legislatura, ao lado das deputadas Ana do Gás (PCdoB), Andreia Rezende (DEM), Cleide Coutinho (PDT), Daniella Tema (DEM), Detinha (PR), Thaiza Hortegal (PP), Helena Duailibe (Solidariedade) e Mical Damasceno (PTB).

Betel Rodrigues e Socorro Waquim deixaram a condição de suplentes e passam a ser titulares de mandato na atual legislatura

Durante a posse das duas parlamentares e de Fábio Braga (Solidariedade), que também passou da condição de suplente a titular, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), destacou a importância do aumento da representatividade das mulheres no Parlamento Estadual maranhense. “É um momento marcante, que reforça a bancada feminina. Se comparada com a nacional, a média no Maranhão está acima dos outros estados”, ressaltou.

Othelino Neto enfatizou que o seu desejo é que as mulheres ocupem cada vez mais espaços na política e que, nas próximas eleições, em 2022, a bancada feminina aumente ainda mais na Assembleia do Maranhão.

Mesa Diretora

Outro ponto relevante que confirma a força da presença feminina na Assembleia Legislativa do Maranhão é que dos nove membros da Mesa Diretora, cinco são mulheres. São elas: as deputadas Detinha (2ª Vice-Presidente), Thaiza Hortegal, (3ª Vice-Presidente), Andreia Martins Rezende (1ª Secretária), Cleide Coutinho (2ª Secretária) e Daniella Tema (4ª Secretária).

De acordo com Othelino, a expressiva representatividade de mulheres na Mesa Diretora da Assembleia do Maranhão também é algo que não existe em outro estado do Brasil. “Concretamente, isso significa que a mulher, no Legislativo maranhense, vem ocupando um lugar de destaque”,